Publicidade

Estado de Minas

Entenda o caso


postado em 19/11/2008 06:55 / atualizado em 08/01/2010 04:02

• Em 1990, quando o médico e empresário Antônio Luciano Pereira Filho morreu, seus 3 filhos dentro do casamento e 21 fora do matrimônio assinaram um acordo para repartir a herança.

• Especialistas contratados pela família dividiram o espólio transferindo ações e empresas entre os irmãos. Oito cotas ficaram reservadas para outros prováveis irmãos, mas o número de interessados superou a reserva. São 30 confirmados e mais 10 na disputa judicial.

• A grande procura de filhos e uma sentença de fevereiro (1ª instância) que reconhece como união estável o relacionamento de Luciano com uma mulher fizeram o juiz Júlio César Lorens a solicitar nova partilha. Ela pode ter direito a metade de tudo.

• Os irmãos terão que “devolver” o dinheiro para recontagem e nova divisão que será concluída depois que se fizer um inventário detalhado (já em curso) dos bens e das partes envolvidas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade