UAI
Publicidade

Estado de Minas Arte final

Publicidade na Black Friday já supera Natal


31/10/2021 04:00

Comércio
Consumidores estão cada vez mais antenados nas promoções da Black Friday (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)

 
A 12ª edição da Black Friday no Brasil ocorre em 26 de novembro. Famosa nos Estados Unidos, onde o termo foi usado pela primeira em 24 de setembro de 1869, o evento acontece tradicionalmente por lá depois do feriado de ação de graças, com filas a perder de vista nas lojas, que chegam a oferecer descontos reais de até 90%. Por aqui, a cada ano, é cada vez mais aguardada pelos consumidores, uma vez que é possível encontrar uma série de produtos com descontos tanto em lojas físicas como nas digitais. E essa crescente popularidade tem feito com que as marcas invistam cada vez mais com campanhas publicitárias, proporcionando picos de investimento publicitário do ano.

SALTO Para criar um panorama do período, a Kantar IBOPE Media desenvolveu estudo sobre o comportamento dos players de mercado na última edição da Black Friday. A partir desses dados, identificou que 10% de toda a mídia adquirida em 2020 estava concentrada em novembro. E ao comparar a compra de espaços publicitários entre janeiro e outubro do ano passado com os gastos em novembro, é possível ver um salto de 43%, atingindo um patamar aproximado de R$ 358 milhões. O número supera o investimento feito em dezembro, tradicionalmente considerado como o "mês das festas".

ANTECIPAÇÃO A razão para o crescimento está no novo comportamento do consumidor. Com a pandemia de Covid-19, os brasileiros passaram a ter mais familiaridade com o e-commerce. Isso fez com que as empresas criassem grandes expectativas sobre o volume de vendas durante o evento. E, de forma geral, os varejistas que mais investiram em publicidade para a Black Friday foram Amazon, Casas Bahia, Lojas Americanas, Magazine Luiza e Mercado Livre. Ao que tudo indica, os cinco continuam apostando no sucesso da data. Isso porque, neste ano, iniciaram tais comunicações já em outubro. As campanhas vão desde contagens regressivas até dicas de planejamento.

EVENTO DE MASSA Os setores que mais elevaram a compra de mídia no mês da Black Friday foram telecomunicação (alta de 51%), turismo (41%) e comércio (16%). Entre janeiro e outubro, as marcas investem mais no meio digital. Em média, 59% da verba é voltada para esse canal. Mas como é considerada um evento de massa, em novembro, a televisão fica com a maior fatia (58%) dos investimentos, para potencializar seu alcance em todos os segmentos. 
O estudo completo, chamado de AD to cart: a publicidade na Black Friday, que analisa como funciona a compra de propaganda nesta época  e aponta as expectativas para a edição de 2021, está disponível em https://my.visme.co/view/01p39pm9-data-stories-ed-15-ad-to-cart-a-publicidade-na-black-friday.

SEM RACISMO No ano passado, algumas marcas fizeram movimento para substituir o termo Black Friday por outros, alegando cunho racista. Players como Natura, Boticário, Adidas e Lojas Americanas aderiram a outros termos, como Red Friday e Beauty Friday. Contudo, o efeito ainda não aparece na pesquisa entre os 400 consumidores ouvidos pela Conversion: 92,31% não entendem que o termo seja racista, não se importando em comprar mesmo depois de saber do movimento.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade