Publicidade

Estado de Minas Exposição

Foco na casa

Profissionais mostram que é possível decorar a casa com custo acessível usando a criatividade


05/09/2021 04:00 - atualizado 06/09/2021 14:47

Sala de Convivência - Olavio José/Ambiente com uma pegada chique e um quê de despojado(foto: Ivan Araújo/divulgação)
Sala de Convivência - Olavio José/Ambiente com uma pegada chique e um quê de despojado (foto: Ivan Araújo/divulgação)


Nunca se investiu tanto em reforma e decoração de casa como agora. Não é era para menos. Com a pandemia, a casa passou a ser o local onde tudo acontece. Além de ser o local para dormir e descansar, virou também o espaço para trabalhar, estudar e se divertir. E ficar, 24 horas por dia, vendo a mesma paisagem por meses a fio cansa. Porém, muita gente pensa que essa mudança não cabe no seu bolso. A 14ª edição da mostra Morar Mais por Menos chegou, na Cidade Jardim, para provar que é possível ter uma casa bonita e chique sem pagar muito por isso.
 
Lavabo minas e minos - Daniela Rúbia, Patrícia Alcici/Uso de muito material de descarte como madeira de demolição e argila, coletor de frutas, aparas de madeira e folhas secas(foto: Ivan Araújo/divulgação)
Lavabo minas e minos - Daniela Rúbia, Patrícia Alcici/Uso de muito material de descarte como madeira de demolição e argila, coletor de frutas, aparas de madeira e folhas secas (foto: Ivan Araújo/divulgação)
 
 
Atualmente, o que mais se quer é ter qualidade de vida dentro de casa. A decoração tem papel essencial para transformar o olhar sobre os ambientes e torná-los o reflexo de quem usufrui deles. A mostra desafia a criatividade de 48 arquitetos e designers de decoração, que criaram 40 ambientes com propostas elegantes e acessíveis.
 
Sala de prosa - Aline Ferreira, Ana Amélia Goulart/ Ambiente que incentiva a convivência e o prazer mineiro de receber amigos em casa para uma boa prosa com café(foto: Ivan Araújo/divulgação)
Sala de prosa - Aline Ferreira, Ana Amélia Goulart/ Ambiente que incentiva a convivência e o prazer mineiro de receber amigos em casa para uma boa prosa com café (foto: Ivan Araújo/divulgação)
 
 
Com foco no luxo acessível, na criatividade e na beleza sem ostentação, levando a decoração para a realidade de cada um, a mostra Morar Mais por Menos faz sua edição em formato híbrido, em que o público poderá fazer a visita presencial ou virtual até 3 de ou- tubro. O chique que cabe é apresentado valorizando os conceitos da sustentabilidade.
 
 Quarto do bebê - Isabela Penna/O ponto central é a floresta, que surge em pintura na parede e em pássaros no estilo origami(foto: Ivan Araújo/divulgação)
Quarto do bebê - Isabela Penna/O ponto central é a floresta, que surge em pintura na parede e em pássaros no estilo origami (foto: Ivan Araújo/divulgação)
 
 
Para a mostra, os princípios norteadores são sustentabilidade, brasilidade, inclusão social, tecnologia e inovação, customização e negócios, todos dentro da proposta principal: mais por menos. E agrega-se a isso personalização e criatividade.
 
 Ateliê Ybyrá - Angélica Santana/A palavra vem do tupi e significa 'árvore madeira', material que preenche o ambiente(foto: Ivan Araújo/divulgação)
Ateliê Ybyrá - Angélica Santana/A palavra vem do tupi e significa 'árvore madeira', material que preenche o ambiente (foto: Ivan Araújo/divulgação)
 
 
Com a brasilidade como foco, a perspectiva é explorar todas as possibilidades, sincretismos e influências culturais do país. “A proposta é valorizar o que é nosso, esquecendo um pouco o que vem de fora e, principalmente as coisas mineiras. Nessa toada, também ações de responsabilidade social. A Morar Mais contempla serviços e produtos produzidos por, e para, as minorias”, diz a curadora em Minas Gerais, Josette Condurú Davis.
 
Casa de Boneca - Lindi Santos/Mundo lúdico e sustentável, onde a caixa de feira virou poltrona, latas formaram a luminária e isopor com papel uma estante(foto: Ivan Araújo/divulgação)
Casa de Boneca - Lindi Santos/Mundo lúdico e sustentável, onde a caixa de feira virou poltrona, latas formaram a luminária e isopor com papel uma estante (foto: Ivan Araújo/divulgação)
 
 
Dentro da ideia mais por menos, vem à tona a preocupação em combinar peças de design com outras mais acessíveis, dosadas na composição, chegando a um bom resultado estético – é o belo de mãos dadas com o econômico. Repensar objetos e seus usos, incluir soluções que também fazem bem para o planeta, buscar o que há de novo são outras características da mostra.
 
 Refúgio das Ceramistas - Nei Nicolato/Texturas do barro no piso, argila e sua queima nas paredes e destaque para o teto de vegetação seca do cerrado(foto: Ivan Araújo/divulgação)
Refúgio das Ceramistas - Nei Nicolato/Texturas do barro no piso, argila e sua queima nas paredes e destaque para o teto de vegetação seca do cerrado (foto: Ivan Araújo/divulgação)
 
 
Os profissionais são desafiados a traduzir em seus projetos os pilares do evento, com soluções ambientalmente responsáveis, ao lado de sacadas engenhosas, com o retorno do artesanal e do faça você mesmo. Afinal, imprimir novas funções a objetos que poderiam ser considerados descartáveis é mais uma forma de dar identidade aos lugares. Os expositores são estimulados a perceber um cliente bem-sucedido, exigente e poupador no momento de montar o projeto. Com inventividade, planejamento e pesquisa, a mostra reafirma que viver bem é um sonho possível.
 
Restaurante Dissimetria - Dyanne Anjos e Stephany Galantini / Integra o espaço interno e externo por meio do mobiliário. Iluminação, materiais, cores e vegetação realçam a sinuosidade da parede principal e dissimetria do espaço. Tampinhas nos painéis recebe a cervejaria Lagoon como destaque(foto: Ivan Araújo/divulgação)
Restaurante Dissimetria - Dyanne Anjos e Stephany Galantini / Integra o espaço interno e externo por meio do mobiliário. Iluminação, materiais, cores e vegetação realçam a sinuosidade da parede principal e dissimetria do espaço. Tampinhas nos painéis recebe a cervejaria Lagoon como destaque (foto: Ivan Araújo/divulgação)
 
 
A Morar Mais é uma exposição que valoriza o trabalho de jovens profissionais e ajuda o visitante a ter uma noção mais real do valor das coisas, pois apresenta o preço de todos os móveis, adornos, tapetes, etc. de forma visível.
 
Quarto do casal - Letícia Aguiar, Yasmin Rotondo/Cores sóbrias trazem aconchego sem dar um ar pesado ao ambiente(foto: Ivan Araújo/divulgação)
Quarto do casal - Letícia Aguiar, Yasmin Rotondo/Cores sóbrias trazem aconchego sem dar um ar pesado ao ambiente (foto: Ivan Araújo/divulgação)
 
 
Além dos ambientes decorados, a Morar Mais por Menos promove workshops, degustações, shows, desfiles e ações relacionados ao universo de casa, decoração, moda, gastronomia e comportamento. 


serviço

Até 3 de outubro
De quarta a sexta-feira, das 16h às 22h
Sábado, das 13h às 22h
Domingos e feriados, das 13h às 19h 
Venda de ingressos antecipada pelo site morarmaisbh.lets.events/
Rua Eduardo Porto, 246 – Cidade Jardim
 
Quarto da Influenciadora - Mariana Galvão/Muita cor para dar um ar lúdico, divertido e moderno. O espaço se converte em home office, cenário para fotos e dormitório. A varanda ganha um ar mais intimista para fuga da rotina(foto: Ivan Araújo/divulgação)
Quarto da Influenciadora - Mariana Galvão/Muita cor para dar um ar lúdico, divertido e moderno. O espaço se converte em home office, cenário para fotos e dormitório. A varanda ganha um ar mais intimista para fuga da rotina (foto: Ivan Araújo/divulgação)
 
 
 Cozinha Conceito Brasil - Débora Xavier/Projetada em conexão com a natureza, combina plantas e texturas naturais às novas tecnologias(foto: Ivan Araújo/divulgação)
Cozinha Conceito Brasil - Débora Xavier/Projetada em conexão com a natureza, combina plantas e texturas naturais às novas tecnologias (foto: Ivan Araújo/divulgação)
 
 
Escritório Alternativo - Aline Souza, Alexandre Gomides/Transformação de uma pequena sala de TV em um ambiente em que coexistem atividades de trabalho, saúde e lazer(foto: Ivan Araújo/divulgação)
Escritório Alternativo - Aline Souza, Alexandre Gomides/Transformação de uma pequena sala de TV em um ambiente em que coexistem atividades de trabalho, saúde e lazer (foto: Ivan Araújo/divulgação)
 
 
Jardim de entrada - Francisco Mascarenhas/O arquiteto e paisagista usou plantas exuberantes que preencheram bem os vazios existentes para o jardim de passagem, que é também a entrada da casa(foto: Ivan Araújo/divulgação)
Jardim de entrada - Francisco Mascarenhas/O arquiteto e paisagista usou plantas exuberantes que preencheram bem os vazios existentes para o jardim de passagem, que é também a entrada da casa (foto: Ivan Araújo/divulgação)
 
 
Sala Zilliz - Marcela Meira Machado/Nome dado por causa de brasilidade e teve como inspiração a biofilia, a natureza e a diversidade cultural dos povos indígenas e dos imigrantes(foto: Ivan Araújo/divulgação)
Sala Zilliz - Marcela Meira Machado/Nome dado por causa de brasilidade e teve como inspiração a biofilia, a natureza e a diversidade cultural dos povos indígenas e dos imigrantes (foto: Ivan Araújo/divulgação)
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade