Publicidade

Estado de Minas Decoração

Tapetes com histórias

O arquiteto Pedro Lázaro assina a coleção Rever, criada à imagem e semelhança dos conceitos que professa em seu trabalho e com apelo sustentável


05/09/2021 04:00 - atualizado 05/09/2021 18:34

Pedro Lázaro assina sua primeira linha de tapetes(foto: Marco Antônio/divulgação)
Pedro Lázaro assina sua primeira linha de tapetes (foto: Marco Antônio/divulgação)


A mais nova aventura de Pedro Lázaro é uma coleção de tapetes que chega ao mercado com a marca da pesquisa, bom gosto e qualidade que fazem parte do seu trabalho. Lançando mão de uma curiosidade latente e da disposição para enfrentar novos desafios, o arquiteto mineiro de debruçou sobre essa experiência no período mais contundente da pandemia, concentrando-se para dar forma não somente a mais um produto, mas criar conteúdos significativos, que, ao mesmo tempo, contassem histórias por meio dos temas escolhidos e tivessem um diferencial no setor.
 
(foto: Marco Antônio/divulgação)
(foto: Marco Antônio/divulgação)
 
 
Exibida no final de agosto em exposição no Memorial da América Latina, em São Paulo, com o nome de Rever, ela expõe, além do rigor típico de Pedro Lázaro – que sempre teve um olhar certeiro para conceber elementos referentes ao interior design, do mobiliário aos adornos – uma combinação quase que matemática de padrões e de cores. Para se ter uma ideia, os 12 modelos apresentam 135 possibilidades de composições cromáticas, que, em breve, estarão disponíveis nas boas lojas do país.
 

Três linhas sintetizam o pensamento de Lázaro: Mode, Arqmex e Dentro do mar tem um rio"

 
 
Como talento não se explica, o que se pode dizer é que esse trabalho é mais um exercício daquilo que o arquiteto enxerga à sua volta, nesse caso refletindo vivências acumuladas na moda, na natureza, na arquitetura latino-americana e na própria afetividade que permeiam os conceitos em que acredita. Eles passam, particularmente, por humanismo, essencialismo, questões éticas individuais e uma ordem orgânica, vital nas suas criações. A isso tudo pode se acrescentar, sem dúvida, o flerte com a escola modernista, que o alimenta desde sempre.
 
(foto: Marco Antônio/divulgação)
(foto: Marco Antônio/divulgação)
 
 
O convite para criar os tapetes para a Punto e Filo chegou por meio do designer Zanini de Zanine, nome de destaque na área do design, e da marchand mineira Marcela Bartolomeu, que fizeram a conexão entre Pedro e a empresa. Foi a primeira vez que ele entrou na área. Preso em casa, como a maioria dos habitantes do planeta Terra no período pandêmico mais crítico, teve a oportunidade de entrar em profundo contato com a sua intimidade. “Esse contato me propiciou a volta de um tempo desconhecido, com visões específicas sobre assuntos diversos que começavam a formatar minha trajetória profissional. Pensamentos definidores das minhas crenças e processos criativos em que estive envolvido”, afirma.
 
(foto: Marco Antônio/divulgação)
(foto: Marco Antônio/divulgação)
 
 
A dobradinha entre as partes deu certo sobretudo porque a marca à qual se associou segue um lifestyle: investir em “tapetes que contam histórias”. A ideia foi bem representada em uma cenografia assinada pelo próprio arquiteto, que também cultiva essa habilidade tanto na arquitetura de interiores quanto na concepção de eventos, como o Minas Trend, o maior salão de negócios do Brasil, do qual foi diretor artístico por alguns anos. O ensaio fotográfico foi realizado em locais conhecidos do universo das artes e design, como a galeria Ziper, Poliform e Etel. Pedro reforça: “Minha arquitetura é limpa, trabalha volumes e proporções. Gosto de tapetes que tenham algum significado e que, assim, permitam uma aura mais elevada aos ambientes”.
 
(foto: Marco Antônio/divulgação)
(foto: Marco Antônio/divulgação)
 
 
A cultura local com as vibrações e cores do país 
 
Foi durante o período que passou pelo Minas Trend que ele conheceu mais estreitamente o universo da moda e pôde perceber tanto o glamour, que envolve o setor, quanto o backstage de uma indústria forte e poderosa, que fomenta negócios, atrai compradores, divisas para o Brasil. Ao mesmo tempo, como uma atividade cujos produtos são temporais e sazonais e precisam ser trocados, no mínimo, duas vezes por ano, tem especificidades estruturais. Para mesclar isso, arquitetou ambientes convidativos que atraíssem e encantassem os lojistas por meio da beleza e do conforto, cenários que repercutiam diretamente no efeito das vendas em todos os recantos do Expominas – da passarela aos estandes das marcas.
 
Evidentemente que a linha de tapetes Mode fosse criada a partir da sua relação com esse segmento e da compreensão da moda como uma linguagem além do vestir, dentro de uma visão semiótica ampla e filosófica. “A moda é vista e retratada como uma manifestação que organiza reflexões instantâneas do tempo, caracteriza questões sociais e políticas e diz sim e não”, pontua.
 
Uma das três peças representa a silhueta de uma modelo na passarela, mas é mais do que isso. Segundo Pedro, mostra a delicadeza e, ao mesmo tempo, a força do feminino. As estruturas cromáticas do tapete são esta- belecidas em função de composições que serão tendência na moda nos próximos anos. A partir desse desenho, os demais foram criados com fragmentos que representam todo esse conceito”, explica.
 
(foto: Marco Antônio/divulgação)
(foto: Marco Antônio/divulgação)
 
 
Já a linha Arqmex tem cinco modelos, cuja principal inspiração é o modernismo latino-americano, em especial a arquitetura mexicana. A referência acompanha o profissional desde a época da faculdade. Ali conheceu e se sentiu impactado pela sensibilidade que envolve esse formato arquitetônico com ca- racteres surgidos após a Revolução Industrial.
 
A cultura local com as vibrações e cores do país, a alta dose de humanidade e a natureza tiveram um papel preponderante de cone- xão com a arquitetura e é com esse lifestyle que as peças foram concebidas. O resultado são composições geometrizadas, cheias de nuances cromáticas e luminosas.
 
Para completar, a linha Dentro do Mar Tem um Rio é a resposta às dúvidas que estão claramente dispostas na natureza. Elementos aquáticos, como plantas, corais, crustáceos e tudo o que se move nos rios e que constrói a grandiosidade dos mares, são as principais referências para os desenhos dos quatro mo- delos. Um dos exemplares do trabalho é uma simbólica paisagem em que as redes de pesca em torno do mundo são recolhidas, assim como acontece com os fios que produzem os tapetes da marca – um formato necessário e fundamental para o atual momento.
 
Do ponto de vista da confecção das peças pela Punto e Filo, se reúnem uma combinação de alta tecnologia e respeito ao meio ambiente, que proporcionam impacto positivo do ponto de vista social. Tudo isso só é possível graças à utilização do fio ECONYL®. Desenvolvido pela marca italiana Aquafil – líder global em produção de fibras sintéticas e pioneira em sustentabilidade no setor –, ele é fa- bricado por meio de uma técnica revolucionária, que usa como matéria-prima produtos de náilon descartados em oceanos e aterros sanitários do mundo inteiro e, mais importante, sem perda da qualidade da matéria-prima original. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade