Publicidade

Estado de Minas Arte final

Expectativa de maior faturamento aquece o dia mais romântico do ano


06/06/2021 04:00

Com o comércio aberto, a expectativa é de aumento no faturamento(foto: Pixabay /Divulgação)
Com o comércio aberto, a expectativa é de aumento no faturamento (foto: Pixabay /Divulgação)

A exemplo do ano passado, o Dia dos Namorados será comemorado em plena pandemia do coronavírus e sob a temida ameaça de uma terceira onda. Porém, este 12 de junho, considerado a data mais romântica do ano, promete trazer um pouco de alívio para o comércio brasileiro. Com a flexibilização do comércio, a expectativa de faturamento é bem melhor que no ano passado, quando a data ocorreu durante a primeira grande onda da Covid-19 e sob forte restrições de circulação de pessoas.

Na época, com o comércio fechado, pouco conhecimento sobre como lidar com os vírus, o resultado foi uma queda de 25,3% nas vendas em relação a 2019, de acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Mas, agora, as vendas no varejo devem chegar a R$ 1,8 bilhão, o que anima o setor, apesar da ameaça de terceira onda da pandemia.

De acordo com a estimativa da própria CNC, neste ano o comércio deve apresentar crescimento de 29,4% na data, em comparação com 2020, alcançando um total de R$ 1,8 bilhão. Os números da CNC referem-se somente ao comércio de lojas físicas. Isso porque 31% dos consumidores declararam que só comprarão presentes uma semana antes da data, enquanto 11% esperarão entre um e três dias antes do Dia dos Namorados.

Em Belo Horizonte, levantamento da Câmara dos Dirigentes Lojistas da cidade (CDL-BH) mostra otimismo com a data. A pesquisa aponta que 51,8% dos comerciantes da capital esperam aumento das vendas em comparação à mesma data do ano passado. Além disso, estimam que cada cliente gaste, em média, R$ 132,59 com o presente. A projeção é de faturamento de R$ 2,08 bilhões na economia local.

TRADIÇÃO 
As campanhas de varejo devem focar mais em roupas, preferência da maioria dos entrevistados (29,3%). Calçados estão em segundo (17%) e acessórios como relógios, óculos de sol e bijuterias estão em terceiro (14,7%). Os demais itens preferidos pelos casais são: flores (11,7%),  cosméticos (11,7%), bombons e chocolates (10%), itens de decoração (8%), bolsas, malas ou mochilas (5,7%) e utensílios e utilidades domésticas (4%).

E-COMMERCE  
Em movimento oposto, o e-commerce brasileiro cresceu na data no ano passado. O estudo Webshoppers registrou que o comércio eletrônico do Brasil, em 2020, considerando todo o período de vendas, faturou R$ 4,1 bilhões em 15 dias (ou R$ 278 milhões diários). Foi o maior faturamento com relação a 2019, apresentando um acréscimo de 91%. O ticket médio no e-commerce ficou em R$ 449.

Em 2020, as compras virtuais dos namorados tiveram um valor 32,73% maior que as das namoradas. Uma das possíveis razões para isso é que eles presentearam mais com o segmento de eletrônicos e informática (93,9% contra 6,2% delas), enquanto as mulheres preferiram moda e acessórios 82,7% contra 17,3% deles).


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade