Publicidade

Estado de Minas

Foco nos detalhes

Marca mineira se destaca pelo estilo e capacidade de perceber o momento certo das mudanças


06/06/2021 04:00 - atualizado 05/06/2021 22:22

Podemos dizer que a empresária e estilista Thamara Capelão é mais parecida com um camaleão. Tem um perfil bem diferente da maioria das pessoas que trabalha com moda. É discreta, tímida e nem um pouco chegada a se mostrar ou mesmo divulgar suas criações. Pode se dizer que “fica na dela”, e tem um feeling especial para perceber a hora de mudar e se adequar às novas tendências. Ela não perde o time, e consegue fazer isso mantendo sua essência e o DNA da marca.

Com 32 anos de empresa, começou trabalhando com couro, depois introduziu o tricô. Um tempo depois, passou a trabalhar com os jeans bordados e aí percebeu que estava na hora de abandonar o couro e passar a produzir em outros tecidos, com todas essas transições a roupa manteve o estilo marcante de um Thamara Capelão (TC), a essência sempre esteve ali.

Depois de mais de um ano vivendo em um novo estilo de vida por causa da pandemia, mais uma vez soube perceber rapidamente a mudança pelas quais sua clientela passou e o que queriam, provavelmente antes delas, Mesmo tendo que atender o mercado nacional, com toda nossa diversidade cultural, entendeu o momento e conseguiu traduzir para sua roupa que o importante era o que a acompanhava desde o início: a essência. Por isso sua nova coleção capsula se chama Essencial.

Como inspiração, a dupla criativa Thamara Capelão e Eduardo Suppes pegou a frase de Saint-Exupery “o essencial é invisível aos olhos”, e criou uma coleção que reflete suas crenças mais íntimas. “Acreditamos no essencial, na elegância discreta, na família, na fé e na generosidade. Essencial é viver intensamente, partilhar sentimentos, ser você mesma. Essencial é a simplicidade de ser”, explica a empresária.

A coleção foi dedicada às mulheres modernas, sofisticadas, acima de 30 anos – mas de braços abertos para as mais novas –, que valorizam uma moda não massificada, com características de handmade, atemporalidade e exclusividade. Este sempre foi o fio condutor da marca.

Quatro coisas sempre estiveram presentes nas roupas da TC: detalhes, bordados, aplicações e estampas. Porém, com o avanço tecnológico, ficou cada vez mais fácil de as confecções criarem suas estampas, e o que era um grande diferencial acabou ficando cansativo pelo excesso no mercado. Mais uma vez o feeling dos criativos entrou em ação, e inovaram mudando a maneira de usar essas interferências.

No outono inverno 2021 as estampas são discretas, muitas delas nem parecem estampas, mas o próprio tecido, algumas parecendo texturas. “Temos que fugir do comum. Hoje ficou fácil estampar, muitas confecções têm sua própria máquina para estampar o tecido, e tudo que fica muito em evidência, cansa. Mudamos, nossas estampas não parecem estampas, são limpas”, conta Eduardo Suppes. Os bordados não têm brilho, as aplicações são pontuais para destacar algumas rendas ou dar o charme necessário à roupa, mas sem tirar o conforto da peça, qualidade indispensável atualmente, mas sem perder a elegância.

A TC criou a coleção seu inverno 2021 dentro do mesmo conceito, mas está lançando em cápsulas. Segundo Suppes, depois de mais de um ano de pandemia, nada mais essencial que as marcas terem uma identidade e um DNA, “isso é muito mais importante que a tendência de moda, quando as marcas entenderem isso, venderão mais. Essa necessidade se transformou em um grande alavancador para liberar ainda mais a criatividade dos estilistas que ficam mais livres. As pessoas estão buscando o sentimento das roupas, um lifestyle. Por que comprar Thamara? Porque oferece um diferencial. A Thamara pensa fora da caixa, adora fazer pesquisa em decoração, busca em um universo diferente. É possível buscar inspiração fora das passarelas, mesmo porque o que se desfila hoje, em um minuto todo mundo já viu. Claro que as grandes marcas internacionais como Chanel, Dior, Zimmermann etc sempre serão referência”. “A tendência é importante, mas o que vai fazer você sobreviver é a sua essência. Por que estou aqui até hoje? Por causa da minha essência”, diz Thamara.

O COMEÇO 

Thamara Capelão sempre gostou de costurar, de fazer suas roupas, mas nunca pensou em ter uma marca própria. Tudo começou com o vestido de couro que fez para seu noivado. As amigas enlouqueceram com a beleza da peça e começaram a “fazer encomendas”. A demanda foi grande e ela decidiu abrir uma marca de roupas de couro, bordadas, com seu nome e passou a produzir para o atacado. Como a moda está em constante mutação, depois de um tempo introduziu peças em tricô, mas sempre com aplicações e bordados. A empresária e estilista sempre fez questão de oferecer peças trabalhadas, com um diferencial, coisas que as clientes só encontrariam lá. Foram anos trabalhando com os dois materiais, depois veio o jeans. Porém a procura pela roupa de couro diminuiu e Thamara passou a introduzir outros tecidos como algodão, tricoline, jersey, que até hoje estão presentes nas coleções.

Com o crescimento da marca, foi preciso buscar reforço e a empresária trouxe o conhecido estilista Eduardo Suppes, que está ao seu lado há 20 anos. A dupla Thamara e Suppes continua firme, unida, quase em uma simbiose criativa. Se entendem quase por telepatia, e estão totalmente afinados no DNA da marca e na proposta de não criar coleções em cima de um tema, a criação vem de inspirações e conceitos, com muita liberdade. Há dez anos Capelão decidiu abrir loja própria em Belo Horizonte, também em função da demanda de pedidos de amigas que sempre queriam comprar suas peças, mas sua grife também pode ser encontrada em outras lojas multimarcas da cidade, bem como nas principais butiques do país.

O que começou como um negócio pequeno, por causa do seu vestido de noivado, cresceu a ponto de se transformar no negócio da família. O marido Flávio Righi é o responsável pela área financeira da empresa, e o filho Bruno cuida de toda a parte de TI. Com a pandemia da COVID-19 e o abre e fecha do comércio, foi de Bruno a responsabilidade de melhorar o site e as redes sociais da label e implantar um e-commerce eficiente. O jovem de 30 anos superou as expectativas e a adaptação ao novo estilo de vida foi mais rápido do que o previsto.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade