Publicidade

Estado de Minas Arte final

Tendências indicam crescimento depois do "tumulto econômico"


03/01/2021 04:00


Se você está lendo a Coluna Arte Final de hoje, óbvio, viramos! Ufa! Que ano! Já passou! Pior que não! Estamos com os dois pés em 2021. Mas a cabeça parece que continua em 2020. A letargia nas ações do Governo Federal, principalmente em relação à vacina contra o coronavirus, provoca incertezas. Muitas perguntas continuam sem respostas e, com isso, o mercado publicitário, assim como toda economia do país, segue titubeante pela falta de um horizonte melhor delineado. 

Porém, com a experiência vivida no ano passado, pesquisas, estudos, análises de dados e todas as informações possíveis estão sendo ferozmente processados para apontar tendências e oferecer caminhos menos tortuosos que 2020. Entre os principais estudos está o relatório anual Ad Age Marketing Fact Pack 2021. Trata-se do guia anual do Advertising Age elaborado para profissionais de marketing, mídia e agências, que reascendem as esperanças. 

TUMULTO E CRESCIMENTO 
Em 28 páginas, o estudo apresenta diversos dados e percepções sobre o mercado de publicidade em 2020 e o que esperar em 2021. Logo de cara, em sua abertura, o documento fala do “tumulto econômico” provocado pela pandemia. Mas entende que a crise “acabou sendo menos deprimente” do que se previa em seu início, em março de 2020. Por isso, apesar das incertezas, o relatório indica que 2021 será um ano de crescimento. E aponta um crescimento recorde nas receitas globais de publicidade de US $ 651 bilhões em 2021. Ou seja, crescimento em torno de 10,2%, sobre a queda de 4,1% em 2020. 

Nos EUA o estudo aponta ainda que os gastos com mídia e serviços de marketing dos EUA chegarão a US $ 487 bilhões em 2021, projeção que representa aumento de 2,8% ano a ano, de acordo com Zenith. Os gastos com mídia nos EUA crescerão um pouco mais rápido (crescimento de 3,2% para US $ 236,7 bilhões, após cair 5,4% em 2020) do que serviços de marketing (2,4% para US $ 250,6 bilhões). Os gastos com anúncios de rádio ficarão estáveis em 2021, em US $ 15,2 bilhões, ficando em terceiro lugar, atrás de TV e internet.

MAIORES FATURAMENTOS
 Com relação a publicidade, a Amazon aparece no topo da lista de anunciantes dos EUA. A gigante do varejo online desembolsou US $ 6,8 bilhões em dólares de publicidade em 2019 nos Estados Unidos, ultrapassando os gastos da Comcast Corp. Completando os cinco primeiros lugares estão AT&T, P&G e Walt Disney Co. 

Para ver o estudo completo, as principais dicas de tendências, análises dos dados mais relevantes para 2021 ou baixar o conteúdo completo, acesse o link https://adage.com/article/datacenter/global-advertising-forecast-set-new-record-2021/2302256 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade