Publicidade

Estado de Minas arte final

Estudo analisa surgimento de novas oportunidades no mercado em 2021


27/12/2020 04:00 - atualizado 26/12/2020 15:14

(foto: Accenture Interactive/Divulgação )
(foto: Accenture Interactive/Divulgação )

 
Entramos em contagem regressiva. Momentos de despedida e de boas-vindas. Podemos sentir o alívio mundial: "Ufa! Sobrevivemos!". Mas logo vem a reflexão que nos faz franzir a testa. "Mas, e agora? Como será 2021?" Quantos planos ficaram para trás, quantos projetos emperrados, quantos sonhos se transformaram em pesadelos pela devastadora Covid-19. Porém, com a chegada da vacina, esperamos recuperar um pouco da liberdade tolhida. Mas como vai ficar os novos hábitos de consumo criados? E os antigos, quais serão resgatados? Para tantos e inquietantes questionamentos, o "Fjord Trends 2021" da Accenture (NYSE: ACN) divulga a 14ª edição da série de estudos anuais que analisa as transformações em 2020 e aponta novas oportunidades para o mercado no pós-crise. 
 
Certo é que o mundo já não é mais o mesmo. Ao mesmo tempo em que a crise de Covid-19 virou de cabeça para baixo as relações econômicas e sociais em 2020, também colocou à prova a criatividade humana. Mergulhamos no desconhecido e aceleramos a criação de uma série de inovações que ficarão para as próximas décadas. O estudo realizado pela rede global de designers e equipes de criação da Accenture Interactive aponta algumas tendências de como as organizações poderão aproveitar novas oportunidades, criar estratégias, serviços e experiências. O estudo reúne as principais tendências de negócios, tecnologia e design para o próximo ano, a partir de sua rede global, formada por mais de 2 mil profissionais da criatividade, espalhada por mais de 40 locais. O Fjord Trends 2021 foca nas possíveis soluções para pessoas, organizações e marcas atenderem às velhas e novas necessidades humanas.
 

"Se o futuro traz insegurança com tantas incertezas, elas também abrem a oportunidade para o inovador, para a criatividade que faz surgir o humano"

 
 
"A história já nos ensinou que depois de uma crise global vem uma nova era de pensamento", resume Mark Curtis, diretor de inovação e liderança da Accenture Interactive, na apresentação do estudo. "Ao olhar para o futuro, enxergamos mundos potenciais. Alguns nos assustam, outros nos animam, mas todos têm grande potencial de exploração. O que fizermos agora irá definir o resto do século. É a máxima oportunidade para as empresas pensarem e agirem de forma diferente", completa.

NOVOS DESAFIOS A crise tirou o mundo do lugar-comum. E agora, enquanto lutamos pela sobrevivência, temos que atender às novas demandas, dar respostas positivas ao número crescente de expectativas dos consumidores. No entanto, só isso já não basta. É preciso que as marcas também contribuam para um mundo mais empático. Talvez seja a principal exigência do consumidor e o maior desafio para o novo mercado que está em construção.
 
Para ajudar a entender melhor o cenário, o Fjord Trends 2021 analisa sete tendências emergentes que irão definir os negócios, o comportamento dos consumidores e a sociedade em geral. O estudo passa algumas dicas práticas sobre como as empresas podem contribuir e se adaptar a essa nova realidade. 

DESLOCAMENTO COLETIVO O lugar e a forma de experimentar os acontecimentos mudaram em 2020. Surgiram novos formatos de compartilhamento de deslocamento à medida que buscávamos coletivamente novas maneiras e locais para fazer as coisas de que gostamos e que precisamos fazer. O jeito como trabalhamos, compramos, estudamos, socializamos, cuidamos de nossas famílias e da nossa saúde mudou para muitos de nós e as marcas precisam buscar novas formas de oferecer experiências inéditas de interação entre as pessoas.

INOVAÇÃO Cada vez mais, a inovação é impulsionada pelo talento das pessoas em encontrar novas formas ou atalhos para lidar com os desafios, como aquele pai ou mãe que passou a usar a tábua de passar roupa como mesa para sua nova função de professor. A tecnologia assumiu um novo papel, tornando-se uma facilitadora para a criatividade humana, fazendo as pessoas chegarem mais longe. Isso inclui de políticos a personal trainers, que deram um novo significado a plataformas como o TikTok e videogames para a transmissão de shows e outras mensagens importantes. Todos buscam as melhores soluções, mas a era em que uma marca precisava criar uma solução fechada está terminando, enquanto outra, em que as marcas criam as condições para inovações individuais e personalizadas, ganha cada vez mais força.

RELACIONAMENTO Quem trabalha de forma remota agora vive no escritório, o que tem um efeito significativo nos acordos recíprocos entre empregados e empregadores e as várias suposições envolvidas. Por exemplo, quem decide que roupa deve ser usada em uma videochamada de trabalho de dentro de casa? Quais são os limites de privacidade para quem trabalha em casa? Mesmo com a chegada da tão esperada vacina, a mudança na relação entre as pessoas e seus trabalhos e entre empregadores e equipes é permanente. O futuro não guarda uma solução única para todos e por algum tempo ainda veremos várias tentativas nesse universo.

INFRAESTRUTURA LíQUIDA Uma vez que mudou a forma como as pessoas adquirem produtos e se envolvem com os serviços, as organizações tiveram que repensar suas cadeias de suprimentos e o uso de todos os seus ativos físicos e focar em pequenos agrados – como a satisfação imediata ao fechar a compra em lojas físicas (que poucos valorizavam e agora sentem falta). Agora, as empresas precisam demonstrar agilidade e resiliência em todas as frentes para que possam se adaptar rapidamente às mudanças, inclusive as que ainda estão por vir, como as impulsionadas pela sustentabilidade.

INTERAÇÃO As pessoas estão passando cada vez mais tempo interagindo com o mundo por meio de telas. O resultado é que notamos uma certa "mesmice" causada pelos modelos de design adotados nas experiências digitais. As empresas devem repensar esse design, o conteúdo, o público-alvo e a interação entre eles, a fim de injetar cada vez mais emoção, alegria e a sensação de feliz coincidência nas experiências de tela.

EMPATIA As pessoas se preocupam muito com as causas defendidas pelas empresas e a forma como expressam seus valores. A pandemia deixou claros os problemas e a desigualdade de sistemas ao redor do mundo – da falta de acesso a serviços de saúde à desigualdade de modo geral. Como resultado, as empresas precisam se esforçar para gerenciar as narrativas que moldam suas marcas, priorizando os assuntos que realmente importam e definem seus comportamentos.

NOVOS RITUAIS O cancelamento e a disrupção dos rituais, que vão desde celebrar o nascimento até dar o último adeus a quem morreu, tiveram um grande impacto no bem-estar coletivo. A tendência indica um espaço aberto para as empresas que desejam ajudar as pessoas em suas buscas por significado e novos rituais capazes de trazer alegria e conforto. Tudo começa com a compreensão da lacuna deixada pelo ritual perdido e o desenvolvimento de um substituto à altura.
 
Para acessar o estudo detalhado acesse
https://www.accenture.com/us-en/insights/interactive/fjord-trends?c=acn_glb_fjordtrendslinkedin_11686240&n=smc_1220&abc=fjord trends_linkedin_100001705936081&linkId=100000024048941 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade