Publicidade

Estado de Minas decoração

Coletivo Juntos

mostra virtual de arquitetura, design de interiores e paisagismo


22/11/2020 04:00

Casa na Arvore(foto: Coletivo Juntos)
Casa na Arvore (foto: Coletivo Juntos)

 
Com a premissa de compartilhar experiências, reunir talentos e potencializar o protagonismo de diversos profissionais, nasceu o Coletivo Juntos (@somosjuntos_), um grupo de jovens arquitetos que fez da concorrência uma oportunidade para somar e contribuir. Pensando em promover a coletividade e incentivar a parceria entre os escritórios, o grupo criou a Juntos se Mostram, primeira mostra virtual de arquitetura, design de interiores e paisagismo do Coletivo, disponível no site www.somosjuntos.com.br/se-mostram.
 
Com mais de 500 metros quadrados e 17 ambientes projetados por escritórios de arquitetura de diversos cantos do Brasil, a mostra tem tour 360 graus e permite a interação do público por meio de votação no melhor projeto até 10 de dezembro. O anúncio dos três primeiros colocados será no Instagram da mostra, em 12 de dezembro.
 
Além dos escritórios selecionados, o evento conta com a participação dos âncoras convidados Cate Poli, Aiê Tombolato e Renato Mendonça. Os outros escritórios são: 6mm Arquitetura, Angá Arquitetura, Argus Arquitetura, Estúdio 035 Arquitetura, Estúdio Fubá, Estúdio Glik de Interiores, Estúdio Risca, LB Interiores, MAB3 Arquitetura, Matz + J.Ribeiro, Monica Costa, Motirõ Arquitetos, Orto Arquitetura, Renata Freire e Studio Rosa.
 
o jardim da piscina, espaço completo de lazer (foto: Coletivo Juntos)
o jardim da piscina, espaço completo de lazer (foto: Coletivo Juntos)
 


o jardim da piscina
por Cate Poli 

Espaço completo de lazer que conta com spa, pergolado e lareira externa, além da própria piscina. Degraus de grama e aço cortén ligam a varanda da casa ao solarium, que dá acesso à lareira externa e se conecta ao pergolado através de um espelho d’água comjasmim-manga ao centro.
Uma face do pergolado reproduz os brises da fachada, a fim de dar privacidade em relação à alameda de ipês-brancos que compõem a entrada de veículos. Descendo pelas escadas laterais tem-se acesso ao spa, com hidromassagem e sauna, e ao jardim, com gramado e jabuticabeira.
Com estilo contemporâneo e vegetação exuberante, o jardim assinado por Cate Poli convida você a desfrutar dos bons momentos que a vida ao ar livre pode proporcionar.

Living, por Aiê Tombolato 
e Renato Mendonça 

Os arquitetos, responsáveis por assinar o living optaram por não integrar a área social e setorizaram as salsa de estar e jantar. O primeiro espaço recebeu um único sofá: grande, confortável e convidativo, voltado unicamente para a área externa da casa, quase como um convite à vista das grandes portas de correr.
 
Já o jantar recebeu uma mesa proporcional às suas dimensões, mais intimista, sem excessos, sem pendentes, mas aproveitando-se da estrutura em pedra criada para servir como buffet. Os arquitetos evitaram a iluminação decorativa vinda do teto e optaram por luminárias de piso, buscando luz baixa e pontual apenas para um determinado canto da mesa. No buffet, o mix de materiais desenvolvido em pedras brutas, casca de bloco de rocha e aço cortein revelam o estilo dos moradores e contrasta com o delicado painel ripado que reveste todo o bloco da cozinha.
 
O pé-direito, de dimensão generosa, foi devidamente valorizado, de forma que fosse capaz de direcionar os olhares para cima. O toque final fica por conta da lareira aconchegante e convidativa que faz parte do espaço. Clima despretensioso de ambiente aconchegante, humano e amigável.
 
SPA terapêutico(foto: Coletivo Juntos)
SPA terapêutico (foto: Coletivo Juntos)
 
 
Academia com visual de ginásio 
esportivo, por  Fernanda Henckel

    Para uma família ativa e unida, a academia assinada pela arquiteta Fernanda Henckel une cuidados com o corpo e com a mente. O espaço foi projetado para ser um ambiente de interação durante os exercícios físicos, que podem ser praticados tanto na área interna quanto na externa, junto ao jardim.
 
Sendo assim, o espaço interno foi dividido por uma cortina translúcida que pode separar ou integrar as atividades que cuidam do corpo e da mente. Remetendo aos ginásios de high school e universidades, o espaço conta com pé-direito alto e estrutura do telhado aparente, azulejo nas paredes, bandeira pendurada no forro e uma arquibancada para descansar entre uma atividade e outra.
 
A madeira, a iluminação indireta e as folhagens foram usadas na intenção de promover aconchego, trazendo também um pouco da área externa para dentro do espaço. Neste ambiente, o cuidado e as relações são fortalecidos, proporcionando o encontro, o cuidado e o relaxamento.

Garagem e bicicletário, 
por  Angá Arquitetura 

        Carolina Gurgel e Gabriela Balieiro, arquitetas do escritório, tinham como premissa fugir da ideia de que oficina, garagem e bicicletário são apenas cantinhos da bagunça e que uma oficina é um ambiente mais masculino. A intenção do projeto foi criar um espaço que abrigasse diversas atividades, desde consertos a usos mais criativos, além de também convidar para momentos de permanência.
 
Um pergolado de madeira que se estende da garagem até o fim da oficina foi a peça-chave para integrar os ambientes e facilitar o fluxo entre eles. A peça orienta o olhar numa linha única e cria a sensação de continuidade dos espaços. No interior da oficina, os acabamentos seguem uma paleta natural, mas com um toque de cor.
 
Sala de jogos(foto: Coletivo Juntos)
Sala de jogos (foto: Coletivo Juntos)
 
 
A bancada de granilite amarelo ganhou uma pia esculpia, profunda e larga, que foi pensada para comportar os mais diversos itens. A marcenaria sob ela organiza peças e máquinas: as gavetas são móveis e podem ser facilmente transportadas para acompanhar o trabalho; e as portas escamoteáveis permitem um fácil manuseio dos equipamentos quando recolhidas.

Quarto da adolescente, 
por Argus Arquitetura 

 Com a missão de projetar o quarto de uma adolescente, a arquiteta Rafaela Amaral partiu da reflexão de que a adolescência é a fase em que o ser humano começa a entender quem ele é e o que representa para o mundo. Sendo assim, além de um espaço aconchegante, o quarto precisa refletir perfeitamente a personalidade do dono.
 
Sendo assim, para estimular o autoconhecimento, a arquiteta projetou um espaço calmo, sereno e com significado. A natureza e suas formas estão presentes intrinsecamente. A fluidez da linha curva presente no painel atrás da cama, no tapete e nas luminárias harmoniza com as texturas do linho, da palhinha indiana e da lâmina de madeira natural.
 
Living(foto: Coletivo Juntos)
Living (foto: Coletivo Juntos)
 
 
No equilíbrio dos tons claros e tranquilos, entre rose e marfim, o verde mantra, que levanta questões sobre o autoconhecimento, torna-se o ponto de cor no quarto. O painel iluminado destaca a delicadeza do mármore rosa, pedra que simboliza o amor, e, no banheiro, o destaque fica por conta do granilite e do charme dos azulejos inspirados na azulejaria marroquina.

Cozinha, 
por Estúdio 035

    Com traços retos e minimalistas, nasce o conceito do projeto da Cozinha Essencial, assinada por Graziella Almeida e Guilherme Almeida. A ideia foi proporcionar diferentes momentos em um único espaço através da disposição do layout.
 
Brinquedoteca e banho infantil(foto: Coletivo Juntos)
Brinquedoteca e banho infantil (foto: Coletivo Juntos)
 
 
A simplicidade e a leveza estão presentes na paleta neutra e nos revestimentos com texturas naturais. A luz natural e o paisagismo ao redor trazem frescor ao ambiente e nos convidam a contemplar a natureza. Juntos, esses elementos traduzem a importância do que realmente é essencial. Afinal, o simples é belo.

Casa na Arvore,
por Estúdio Fubá 

 Totalmente relacionada à memória afetiva, a Casa na Árvore assinada por Larissa Veloso e Natália Rosa foi projetada como um ninho. Um espaço de leitura para toda a família, sendo o refúgio para os pais relembrarem suas histórias e ajudar os filhos a criarem as suas próprias. Pensada nos mínimos detalhes, nela o mundo adulto e o infantil se misturam através do encontro de linhas retas e orgânicas, composição de cores, objetos antigos e brinquedos infantis. Um lugar especial para todas as gerações.

Varanda Gourmet, 
por Estudio Glik de Interiores 

 Localizada entre o living e um lindo jardim, Daniela Cianciaruso, designer de interiores à frente do escritório, projetou um ambiente que prioriza o convívio, o lazer, os encontros e os momentos de relaxamento. O local ganhou o nome de Varanda dos Prazeres e conta com uma cervejeira, adega, churrasqueira e um forno de pizza. A designer também apostou em um grande e confortável sofá, para que o espaço fosse o ponto de encontro ideal para reunir os amigos, a família e até mesmo para a leitura de um bom livro e momentos de introspecção.
 
Na paleta de cores, o bege se destaca entre os tons neutros que aparecem em diferentes texturas, trazendo uma sensação de conforto e aconchego. Próximo ao sofá, poltronas, mesas de apoio e penduradores completam o ambiente. Já a área onde estão acomodados os equipamentos e itens do gourmet, recebeu uma estante para plantas, livros e alimentos como frutas e verduras. 
A cor do espaço ficou por conta da bancada revestida em pedra hijau, dando um toque esverdeado para criar uma atmosfera mais natural e sofisticada. A presença de elementos terrosos marca o contraste do local. As banquetas em madeira, finalizam a composição do projeto. 

Lavabo, 
por Estúdio Risca 

Criar um lavabo aconchegante e surpreendente foi a premissa das arquitetas Clara Damasceno e Nayara Felix. Para isso, apostaram numa atmosfera em tons de rosa, uma cor que carrega consigo sentimentos positivos, aliada ao efeito monocromático e às texturas, proporcionando uma experiência leve, porém marcante.
 
Casa na Arvore(foto: Coletivo Juntos)
Casa na Arvore (foto: Coletivo Juntos)
 
 
A chapa de aço perfurada com pequenos “riscos” é o principal elemento de destaque do lavabo. A ideia foi explorar a versatilidade desse material, utilizando-o também na cuba e na bancada. Para aproveitar a iluminação natural, a chapa perfurada foi utilizada como um elemento que, além de proporcionar privacidade, ainda tem uma permeabilidade que possibilita a passagem da luz, criando, assim, desenhos gráficos pelo espaço.
 
A frase em néon “Pode se achegar” – junto à produção com elementos não muito usuais no lavabo, como mesinhas laterais, luminária de piso e plantas – reforça o convite a se aconchegar.

Closet, 
por LB Interiores

Lívia Boechat teve como premissa otimizar a vida de um casal jovem contemporâneo que pouco fica em casa. Para isso, criou um closet e banheiro que se adaptam à rotina, traduzem as necessidades e promovem momentos de autocuidado e interação.
 
Três pontos principais deram partida ao projeto: o conceito de closet aberto, a integração dos espaços e o resgate dos banheiros vintage de “casa de avó”. O closet aberto vem na tentativa de promover menos consumo, uma vez que quando tudo fica exposto no guarda-roupa, é possível encontrar as peças com mais facilidade e ser mais assertivo na compra do que falta.
 
A integração dos espaços permite também maior otimização do tempo. Enquanto o casal toma banho, consegue visualizar o guarda-roupa e já escolher o que vai vestir. Enquanto um está no chuveiro, o outro consegue se vestir e, ainda assim, podem conversar e aproveitar um momento que talvez passasse despercebido.
 
Por fim, o uso e abuso de cores e materiais que remetem aos banheiros antigos, com cara de casa de vó, deram o toque final na decoração do banheiro. Para isso, Lívia usou o granilite, a meia-parede azul com marcenaria em tons terrosos, arandelas e os metais, que são releituras das torneiras antigas.
 
O minimalismo, como movimento de busca por uma vida mais simples e não somente um traço projetual, nos leva a repensar nosso consumo e como gastamos nosso tempo. Vivemos um momento de valorização do tempo. O que estamos fazendo com ele? Como podemos aproveitá-lo da melhor forma? Acreditamos ser este um dos maiores dilemas do adulto atual, que tenta conciliar da melhor forma o trabalho, as relações e o lazer.

Suíte do Casal, 
por MAB3 Arquitetura 

 A ideia foi trazer uniformidade entre os materiais. Para conseguir esse efeito na área da cama, o piso, as paredes e o teto são de madeira e na área fora da cama os mesmos espaços ganham textura protécnica. O uso de materiais naturais dá o toque de brasilidade ao ambiente. A textura que lembra areia e a coleção de vasos de barro trazem essa atmosfera. A premissa do quarto é ter momentos de relaxamento, por isso a iluminação é toda indireta, com exceção das luminárias decorativas. A grande parede de barrisol atrás da cama cria um ambiente acolhedor e aconchegante.

Fachada modernista, 
por Matz J.Ribeiro

 Buscando aderir um estilo mais modernista, o escritório optou pelo uso de poucos elementos, equilibrando entre os mais leves e os mais rústicos, mantendo a simplicidade e a naturalidade dos materiais. Os blocos da residência voltados para o jardim frontal e abertos para o jardim posterior apresentam uma integração quase total da casa com o ambiente externo. Por esse motivo a paleta segue tons escuros, enfatizando, assim, a paisagem natural e dissimulando os limites entre o espaço aberto e fechado, trazendo um pouco da vegetação para o interior.
A presença dos tons naturais, como a madeira carbonizada e a madeira clara, tijolos de barro e cimento queimado, maximiza a sensação de aconchego, conforto e bem-estar.

Paisagismo da praça, horta e lounge pet, por Monica Costa

 Um jardim onde o cheiro das frutas, dos temperos e das flores perfuma a sombra das árvores enquanto se brinca com o cachorro foi o ponto de partida da paisagista. O alecrim que tempera e aromatiza o jantar é gentilmente colhido do jardim, e o licor de jabuticaba também vem das frutas colhidas no quintal. A premissa principal desse espaço é conectar os visitantes com a própria essência.

Sala de jogos,
por Motirõ Arquitetos

 Contrariando o raciocínio óbvio, os arquitetos propõem um ambiente claro e plural. A sala de jogos foi explorada de quatro maneiras distintas e integradas, a fim de ser compartilhada por diferentes pessoas e usos simultâneos.
 
A mesa de jogos pode ser usada ao mesmo tempo em que o videogame ou a mesa de sinuca, enquanto o bar atende todos os usos. Para reforçar a integração, os móveis centrais e o painel de madeira orgânico que percorre todo o ambiente têm a mesma paleta de cores, criando uma unidade em contraste com o revestimento da parede.

SPA terapêutico, 
por Orto Arquiteura 

“Qual a origem do spa?” Essa pergunta foi o ponto de partida para que Flavia Buzzinari e Luiza Vianna, arquitetas do escritório, começassem a pensar na concepção do projeto. Levando em consideração que o uso da água com fins terapêuticos se reinventa ao longo dos séculos, as arquitetas especularam qual seria o perfil e o objetivo de quem busca investir e usufruir de um spa particular em casa.
 
Pensando em uma família dinâmica com dia a dia agitado, o ambiente foi projetado para ser um refúgio, um espaço para encontrar calma, equilíbrio e cura para o corpo e para a mente. A proposta é que a experiência no espaço se inicie através de um percurso e, para isso, foi criado um hall de acesso que leva o visitante a uma descoberta gradual do local, como um portal que faz a transição do meio externo para o interno. Um caminho não só para o corpo, mas que prepara também a mente para esse momento de introspecção.
 
O ambiente de repouso é circundado por um espelho d'água com formas orgânicas, que forma uma "ilha". Um brise articulado com vidro martelado filtra a luz e estabelece uma sutil comunicação visual dessa área com o meio externo. Tais elementos evidenciam o caráter introspectivo desse espaço.
Para esse spa, Flávia e Luiza pensaram em soluções que fossem capazes de despertar os sentidos do corpo – visão, tato, audição e olfato. O piso, que remete a uma pedra com formato irregular, bem como o revestimento da parede, têm texturas rústicas que vão estimular o toque. A água corrente do espelho d'água promove um som constante e relaxante e o paisagismo presente nos vasos conta com plantas aromáticas e medicinais, que podem ser utilizadas na rotina de autocuidado.
 
Os pequenos mobiliários de apoio, como bancos e mesas, complementam a composição junto à banheira de imersão e à poltrona. Além de promoverem aconchego ao espaço, eles garantem flexibilidade e funcionalidade. A sauna úmida a vapor recebeu o mesmo revestimento em tons terrosos presente nos demais ambientes. O lavabo tem uma linguagem minimalista e conta com a diversidade de iluminação para criar uma ambiência interessante que segue toda a linguagem visual proposta.

Suíte infantil, 
por Renata Freire 

 A inspiração foi em uma menina de 6 anos apaixonada por praia. A cama, inspirada em um bangalô à beira-mar, saiu do chão e foi posicionada em uma nova laje. Nas cores principais do quarto, o azul faz lembrar a água e o céu da vida ao ar livre. O rosa terroso cria um ambiente aconchegante e cheio de personalidade.
 
O quarto remete ao estilo tranquilo e relaxado da vida no litoral, trazendo a natureza para dentro do espaço com o uso de elementos naturais como a palha, a madeira e plantas. O resultado é um ambiente confortável e com o visual descontraído e praiano. A iluminação da área embaixo da cama nos leva à ideia de uma claraboia, enquanto acima da cama a iluminação cria um céu estrelado e complementa a ideia de estar ao ar livre.  No banheiro, a pia, o vaso sanitário e a banheira foram projetados para o uso ergonômico de acordo com a altura da criança, garantindo assim o uso independente do espaço. O deck de madeira possibilitou a remoção do box, ampliando o ambiente e permitindo o escoamento da água. O banheiro dá continuidade ao uso das cores do quarto e também usa elementos naturais para complementar a ideia praiana do ambiente.

Brinquedoteca e banho 
infantil, por Studio Rosa 

Com uma atmosfera lúdica e colorida, a proposta conceitual da brinquedoteca com banheiro assinada pelas arquitetas Mayara e Evelee foi de remeter à sala de estar de uma casa. O ambiente composto por mobiliário solto permite acolher tanto crianças como adultos, oferecendo flexibilidade para atividades de lazer e repouso.
 
As formas orgânicas compõem cenários imaginativos, entretendo os usuários e servindo como refúgio dos ambientes externos/tradicionais. O destaque fica por conta das cores, texturas, desenhos e formas, estimulando a criatividade e o desenvolvimento humano.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade