Publicidade

Estado de Minas arte final

Banco muda cores, para alegria da massa


16/08/2020 04:00

Além de mudar as cores da camisa, o banco promete novas ações para os torcedores (foto: BMG/ Montagem /Divulgação)
Além de mudar as cores da camisa, o banco promete novas ações para os torcedores (foto: BMG/ Montagem /Divulgação)
No mercado publicitário, mexer em marca é como fazer uma cirurgia plástica no rosto. Você tem que estar ciente do que pretende mudar em seu visual e buscar o melhor cirurgião possível, para não correr o risco de que sua nova imagem deixe de refletir a sua personalidade. Mas dizem no popular que a "voz do povo é a voz de Deus!". O provérbio, que vem do latim – Vox populi, vox Dei –, induz a seguir mudanças de acordo com o clamor popular. E é exatamente o que faz o BMG. Para atender ao desejo dos torcedores de Atlético, Corinthians e Vasco, as cores de seu logotipo nos uniformes desses clubes estão agora em preto e branco.
O banco havia lançado o desafio no qual prometia mudar suas cores quando atingisse 50 mil novas contas. Mas não esperou bater a marca. Decidiu modificar a partir da segunda rodada do Campeonato Brasileiro, no meio de semana, quando esses times já jogaram com a logo em preto e branco. 

REFORMULAÇÃO Com 90 anos de existência, o BMG mostrou que não está acomodado. Incluiu a alteração em suas ações de rebranding, anunciado sua transformação na segunda-feira (10/7). Assim, ao mesmo tempo em que retribui o apoio das torcidas até aqui, incentiva a abertura de novas contas. "O engajamento das torcidas na abertura de contas foi essencial para que o banco colocasse esse tema na mesa enquanto discutia o rebranding", afirma Alexandre Winandy, responsável pelo marketing da instituição financeira. Ele explica que, "mesmo com a mudança, permanecem os benefícios oferecidos aos torcedores e seus clubes. Ou seja, R$ 10 a cada torcedor que abrir sua conta e R$ 1 milhão aos clubes quando atingirem 50 mil contas abertas".

MUDANÇAS Além da marca, o banco também mexeu em posicionamento no mercado. A empresa se coloca entre os players financeiros tradicionais, com os seus 90 anos de história, e os digitais, para aumentar sua atuação no segmento. Os bancos digitais passam a se chamar Galo BMG, Corinthians BMG e Vasco BMG. De acordo com Marco Antunes, vice-presidente do BMG, a campanha para aumentar o engajamento das torcidas foi um grande sucesso. 
 
GALO NA FRENTE O Atlético contabilizou mais de 35 mil contas abertas, sendo que somente durante o desafio foram mais de 25 mil novos correntistas. Já no Corinthians, foram mais 28 mil contas abertas em 2020, sendo quase 14 mil durante o mês. Na mesma comparação, o Vasco, atualmente beirando as 24 mil contas abertas neste ano, conquistou 10 mil novos correntistas em apenas um mês.

fIGITAL O banco apresentou ao mercado seu novo conceito, que une o melhor dos mundos físico e digital em sua estratégia de negócios batizada de Figital. Para Ana Karina Bortoni Dias, GEO do banco, o reposicionamento é focado na expansão da inclusão financeira e na oferta de melhores experiências para os clientes. "Não há mais a necessidade de perguntar se você tem mais confiança no banco tradicional ou digital. Deixamos essa diferença para trás e conectamos os dois mundos. É um novo conceito, que abrange um banco completo para todos os tipos de público", explica a executiva.
 
O novo propósito da marca é "Transformar para incluir", em consonância com a missão do banco de popularizar as soluções financeiras no Brasil. O visual foi renovado, com as cores laranja e roxo, e a assinatura do BMG passa a ser "É pra mim", resumindo as ambições de proporcionar o pertencimento aos clientes por meio de um ecossistema completo, conectado e moderno.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade