Publicidade

Estado de Minas ARTE FINAL

Dia das Mães com menos presentes e muita criatividade


postado em 10/05/2020 04:00

O setor de floricultura lançou campanha
O setor de floricultura lançou campanha "Envie um abraço em forma de flor" na tentativa de minimizar prejuízos (foto: Reprodução/Divulgação )

 
Desde que foi oficialmente instituído no Brasil por decreto no governo do presidente Getúlio Vargas, nem o mais pessimista dos mortais seria capaz de prever um Dia das Mães como este.  Ficar distante de uma pessoa querida como qualquer mãe, sem poder abraça-la ou beijá-la, antes da pandemia, seria um comportamento abominável. A comemoração do Dia das Mães teve origem nos Estados Unidos, no início do século 20. E rapidamente se transformou na data comercial mais importante, atrás apenas do Natal. Neste domingo, porém, tudo está diferente. Por isso, encontrar a melhor maneira de festejar a data sem correr risco de contaminação pela COVID-19  passou a ser o grande desafio. 

Com shoppings e lojas fechadas, o povo isolado em suas casas, o e-commerce e as redes sociais são as opções na tentativa de não deixar a data passar em branco. O e-commerce deve aumentar as vendas em 40% em relação a 2019. No ano passado, o faturamento em todo o país nesse período foi de R$ 2,2 bilhões, com destaque para as categorias de moda&acessórios e perfumaria&cosméticos.
 
Porém, este ano, muitas mães ficarão sem presente. Estudo do Instituto de Pesquisas Econômicas, Administrativas e Contábeis da UFMG (Ipead) indicam que apenas 37% dos belo-horizontinos têm intenção em comprar algum presente. No ano passado, segundo a pesquisa, 47,62% dos entrevistados afirmaram que iriam comprar presentes. A queda na receita financeira, o desemprego, expectativa de recessão e o comércio fechado pelo isolamento social são alguns dos motivos para a queda no comé rcio neste domingo. 

AÇÕES NA INTERNET Segmentos que tradicionalmente lideravam o período, como de eletrodomésticos e vestuários, de- vem sofrer mais. Outros que já atendiam por delivery, como as floriculturas, vivem a expectativa de crescimento.  As floriculturas, que vêm amargando prejuízos, iniciou na segunda-feira passada a campanha "Envie um abraço em forma de flor" para amenizar a crise no setor.
 
Com as restrições de circulação das pessoas na maioria das cidades, as empresas focaram seus comerciais na internet. E haja criatividade. O grupo brMalls, por exemplo, que administra 25 shoppings no Brasil, para potencializar as vendas faz campanha durante todo o mês de maio. Na ação, clientes podem acessar um site e escolher opções de vale-presente das marcas que integram a campanha. A iniciativa deve beneficiar cerca de dois mil lojistas que operam nos empreendimentos e integra o programa Juntos pelo varejo – um conjunto de iniciativas lançado pela companhia para dar suporte aos lojistas durante a crise.
 
Alguns shoppings chegaram a anunciar que adotariam o sistema drive-thru. Assim, os clientes agendariam com os lojistas a data e o horário em que gostariam de recolher o produto sem sair do carro. Entretanto, essa iniciativa está proibida na maioria das cidades, a não ser para o setor de alimentação.  Resta o sistema de delivery.  

CRIATIVIDADE Com a crise estabelecida,os tradicionais comerciais de TV escassearam, concentrando-se mais na semana passada. O maior volume, no entanto, ficou mesmo com as redes sociais. As marcas no segmento de beleza, cosméticos e vestuário investiram mais, mas com maior impacto na internet. Restaurantes e cafés montaram menus especiais para entrega por delivery. 
 
Nas peças das campanhas, as narrativas também mudaram. Carinho, amor e afeto, sempre exaltados nos comerciais, ganharam a companhia de temas como o distanciamento físico entre mães e filhos. Este ano, nada de abraços e beijos efusivos, antes tão recomendados. A maioria dos comerciais tenta mostrar que, neste ano, mais importante do que estar perto é estar presente. 
 
Outra mensagem importante é que o mês inteiro é considerado das mães. Assim, quem não conseguir – ou não puder – comprar um presente agora terá mais tempo com as promoções esticadas até o final de maio. Assim, resta aos filhos buscarem nas opções da forma mais adequada para demonstrar o amor sentem por ela, esforço que será ainda mais valorizado pelas dificuldades estabelecidas pela pandemia do coronavirus.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade