Publicidade

Estado de Minas VIDA INTEGRAL

Como manter a saúde mental durante a quarentena

"O Brasil é o país com o maior número de pessoas ansiosas do mundo"


postado em 19/04/2020 04:00

(foto: Pixabay)
(foto: Pixabay)

 
 
O isolamento social pode desencadear estado de ansiedade permanente. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) o Brasil é o país com o maior número de pessoas ansiosas do mundo (18,6 milhões). Isso representa cerca de 10% da população convivendo com o transtorno. O período de quarentena por pandemia de coronavírus pode agravar ainda mais o cenário, principalmente quando o isolamento social se entende por mais tempo, desencadeando um estado de estresse e ansiedade permanentes que podem fragilizar o sistema imunológico e debilitar o equilíbrio mental.
De acordo com Karina Stryjer, psicóloga e gerente de promoção de saúde da It’sSeg, terceira maior corretora de seguros do país especializada em gestão de benefícios, o isolamento pode ser angustiante por diversos motivos, que vão desde o medo de contrair a doença até as perdas financeiras. "As pessoas são especialmente impactadas por fatores que fogem ao seu controle, como é o caso da pandemia gerada por um vírus invisível, desconhecido e incontrolável até o momento. Então, a situação que estamos enfrentando demanda cuidados não só com a saúde física, mas também com a psicológica."

O que fazer para manter o equilíbrio
durante o período de isolamento?

1 - Mantenha a calma: De acordo com Karina, o isolamento tende a exercer maior impacto emocional quando já existe predisposição para quadros depressivos ou para ansiedade. A imunidade também corre risco, caso um estado de estresse venha a ocorrer com frequência. Quando ocorre, uma série de hormônios de defesa, como adrenalina, cortisol e noradrenalina, entram em ação e prejudicam o sistema imunológico, abrindo brechas para o contágio de novas doenças. Para manter a calma, procure entender o assunto a fundo por meio de canais seguros e evite ficar pensando sobre o tema durante o dia. Mantenha uma rotina ativa e saudável e lembre-se de que a situação, além de passageira, vai contribuir para o progresso científico, médico e intelectual.

2- Seu esforço contribui para o bem coletivo: É importante ter em mente que seu esforço pessoal impede que um número ainda maior de pessoas se contagie com o vírus. O isolamento é importante para quem apresenta ou não sintomas da doença. Afinal, o quadro pode ser assintomático ou pode demorar para que se manifeste. A quarentena pode interromper a propagação da pandemia e salvar vidas.

3 - Apoie-se na tecnologia: A tecnologia é uma grande aliada para o equilíbrio da saúde mental durante a qua- rentena. Aproveite as redes sociais para manter contato com familiares, amigos e colegas de trabalho. Por mais que o contato pessoal não seja possível, ligações e videochamadas podem facilitar as relações e amenizar a solidão. Além disso, é possível encontrar filmes, séries, livros e jogos gratuitos voltados para diversas faixas etárias.

4 - Mantenha-se ativo: Evite desenvolver uma rotina sedentária. Procure formas de fazer atividades físicas dentro de casa. Planeje um cronograma com alguns exercícios que podem ser feitos até mesmo com sacos de alimentos, por exemplo. Atividades manuais estimulantes, como artesanato e gastronomia, também são alternativas.

5 - Tenha empatia: Em meio às dificuldades físicas e psicológicas que o período pode apresentar, preze pela empatia. A criação de uma rede de apoio entre todos torna tudo mais suportável. Mesmo que a distância, procure manter contato com conhecidos e preste atenção caso demonstrem instabilidades emocionais.

6 - Estabeleça horários e se mantenha informado por canais confiáveis: O excesso de informações pode causar picos de ansiedade constantes. Evite ficar com televisões e rádios ligados o dia todo, consumindo notícias sobre o coronavírus. No entanto, é de extrema importância que todos estejam bem informados e que acompanhem as novidades e resoluções acerca do tema. Uma dica é escolher períodos do dia para acompanhar os noticiários e utilizar o resto do tempo livre para praticar outras atividades e manter a rotina de trabalho e da família.

7 - Faça terapia on-line: Muitos pacientes e psicólogos já estão fazendo as sessões de terapia on-line. Essa é uma medida recomendada para evitar o contágio do coronavírus e, ao mesmo tempo, cuidar da saúde mental. Caso você já faça terapia, não deixe de realizar as sessões por conta do isolamento. Converse com o seu psicólogo sobre a possibilidade de a prática ser realizada on-line. Se você ainda não faz terapia e sente que está com os níveis de ansiedade muito altos, essa pode ser a melhor hora para começar a se cuidar. Procure por profissionais sérios e respeitados e faça contato. Existem também algumas plataformas que contam com diversos psicólogos disponíveis para atendimento de forma remota.

8 - Pratique meditação: Uma ferramenta valiosa e que já está no cotidiano de muitas pessoas deve receber ainda mais atenção agora. A meditação é grátis e pode ser feita em qualquer lugar da casa. Só precisa sentar em uma posição confortável, fechar os olhos e não se prender a nenhum dos pensamentos que lhe ocorrerem. Caso nunca tenha praticado, a recomendação é utilizar aplicativos especializados, que poderão ser úteis no começo. A meditação ajudará a diminuir os níveis de ansiedade e estresse, além de ser benéfica para o fortalecimento do sistema imunológico. Afinal, quando a mente vai bem, o corpo fica mais forte também. O ideal é fazer pelo menos uma meditação por dia, mas se quiser ir além pode começar e iniciar o seu dia com pequenas meditações para ficar mais tranquilo.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade