Publicidade

Estado de Minas CASA MINEIRA

Vista para a cidade


postado em 15/03/2020 04:00 / atualizado em 13/03/2020 14:29

Área da piscina conta com o apoio de uma sala de lazer, ao fundo, que garante conforto para os moradores e seus convidados(foto: jomar bragança/divulgação)
Área da piscina conta com o apoio de uma sala de lazer, ao fundo, que garante conforto para os moradores e seus convidados (foto: jomar bragança/divulgação)
 

 

A residência apresentada nesta edição da Casa Mineira passou por uma reforma radical, com inclusão de alguns ambientes e de elementos para integrar os espaços, como panos de vidro e patamares, que enriquecem a composição dos interiores. O projeto do arquiteto David Guerra tira proveito da paisagem do entorno do bairro Mangabeiras, onde o imóvel se localiza, permitindo que os moradores usufruam da natureza e da vista surpreendente que se descortina ao redor.   

 

jantar e estar - A criação de desníveis e os panos de vidro recorrentes enriquecem a composição dos interiores. O lustre é destaque no pé direito avantajado (foto: jomar bragança/divulgação)
jantar e estar - A criação de desníveis e os panos de vidro recorrentes enriquecem a composição dos interiores. O lustre é destaque no pé direito avantajado (foto: jomar bragança/divulgação)
 

 

Reforma radical

 

O terreno era estreito, a casa precisava se expandir e respirar. Essas foram as condições que David Guerra encontrou quando foi conhecer o imóvel que seria alvo do trabalho do seu escritório de arquitetura por alguns meses. Com estilo colonial, telhado aparente, interiores labirínticos, o desafio do arquiteto seria abrir espaços para que os cinco andares da residência se integrassem por meio de ambientes generosos e acolhedores.

 

JANTAR/ESTAR - Outro ângulo do jantar/estar: peças de família, quadros e móveis assinados por designers clássicos brasileiros e por designers atuais colocam em evidência o mix de materiais usados no projeto(foto: jomar bragança/divulgação)
JANTAR/ESTAR - Outro ângulo do jantar/estar: peças de família, quadros e móveis assinados por designers clássicos brasileiros e por designers atuais colocam em evidência o mix de materiais usados no projeto (foto: jomar bragança/divulgação)
 

 

Quem vê a construção atual não consegue identificar traços da anterior. Os 200 metros quadrados de área ocupada inicialmente se transformaram em 600 metros quadrados no novo projeto. Duas suítes foram incluídas, além da alocação de uma sala de estar na entrada da casa, a adição de mais dois lavabos, uma adega e um espaço gourmet. Este, por sua vez, englobou, ainda, uma sala de TV/jogos e um jantar, tudo isso integrado ao deck e à piscina.

 

suíte - Madeira, couro e fibra natural dão aconchego ao dormitório localizado no segundo andar da casa, com direito à varanda anexa(foto: jomar bragança/divulgação)
suíte - Madeira, couro e fibra natural dão aconchego ao dormitório localizado no segundo andar da casa, com direito à varanda anexa (foto: jomar bragança/divulgação)
 

 

Fazer com todos os ambientes usufruíssem de uma vista privilegiada de Belo Horizonte – o imóvel está localizado no Bairro Mangabeiras – foi outro desafio vencido. De qualquer ângulo em que se esteja no interior da residência, a paisagem pode ser descortinada através dos panos de vidro que rasgam as paredes.

 

VARANDA DA SUITE - Pequena e charmosa, é ponto estratégico para vislumbrar a paisagem em torno da casa (foto: jomar bragança/divulgação)
VARANDA DA SUITE - Pequena e charmosa, é ponto estratégico para vislumbrar a paisagem em torno da casa (foto: jomar bragança/divulgação)
 

 

Se a casa já tinha quatro níveis, a reforma aumentou esse número para seis. Entretanto, eles não podem ser considerados como pavimentos – na verdade, são patamares distribuídos em um desnível de mais de 30 metros. É a mistura de pequenos desníveis nesses patamares que dá riqueza à composição dos ambientes.  

 

banho da suíte - O piso, parede e bancadas são em mármore travertino romano. Duas duchas foram colocadas ao lado de uma banheira com vista para a cidade(foto: jomar bragança/divulgação)
banho da suíte - O piso, parede e bancadas são em mármore travertino romano. Duas duchas foram colocadas ao lado de uma banheira com vista para a cidade (foto: jomar bragança/divulgação)
 

 

O trabalho demandou também a instalação de um elevador panorâmico, que tem uma das faces em vidro para que o entorno da cidade seja apreciado em três paradas: gourmet, estar e suítes.

 

Distribuição Os ambientes se distribuem entre os níveis aproveitando a dimensão longitudinal do espaço. No da entrada ficam a sala de estar, o jantar, a cozinha, um lavabo e garagem. Um metro abaixo, mais ao fundo, se localizam o escritório e a suíte de hóspedes. No segundo andar, logo acima do térreo, o quarto do casal com banho máster, closet e varanda – além de mais uma suíte que também tem a sua varanda.

 

Adega - Localizada no subsolo da casa, a adega é revestida de pedra mourisca no piso, nas paredes e no teto. As estantes são em cedro sem verniz para garantir a qualidade dos vinhos(foto: jomar bragança/divulgação)
Adega - Localizada no subsolo da casa, a adega é revestida de pedra mourisca no piso, nas paredes e no teto. As estantes são em cedro sem verniz para garantir a qualidade dos vinhos (foto: jomar bragança/divulgação)
 

 

O subsolo ocupa um lugar privilegiado no projeto: é o local do refúgio e, ao mesmo tempo, onde os donos da casa recebem a família e amigos. Conviventes, eles são anfitriões de encontros de grandes grupos. Nada mais natural que aí se encontre o espaço para as festas.

 

Sala de lazer - A mesa de jantar comprida em madeira, complementada por cadeiras com encosto em palhinha, foi colocada em ponto estratégico da sala de lazer (foto: jomar bragança/divulgação)
Sala de lazer - A mesa de jantar comprida em madeira, complementada por cadeiras com encosto em palhinha, foi colocada em ponto estratégico da sala de lazer (foto: jomar bragança/divulgação)
 

 

A área de lazer conta com uma adega, lavabo, cozinha gourmet, área de jogos e de jantar, além de um espaço multimídia completo, piscina, deck e jardim. Combinado a  esse conjunto – um metro acima – há uma sala de TV com banheiro, além de uma despensa.

 

Um dos destaques do projeto é a adega climatizada revestida de pedra mourisca no piso, paredes e teto. As estantes são de cedro, sem verniz, para não atrapalhar a qualidade dos vinhos.

 

O ambiente, em dois ângulos diferentes, serve de apoio para a área da piscina e vem com mesa de jogos, em primeiro plano, conversação com sofá em L, no centro, e, ao fundo, a mesa de jantar(foto: jomar bragança/divulgação)
O ambiente, em dois ângulos diferentes, serve de apoio para a área da piscina e vem com mesa de jogos, em primeiro plano, conversação com sofá em L, no centro, e, ao fundo, a mesa de jantar (foto: jomar bragança/divulgação)
 

 

As cozinhas também se destacam pela mistura de matérias-primas empregadas: na principal, o piso é em granito preto, as bancadas em granito marrom imperial, os armários inferiores em vidro café e os superiores na cor oliva. Já na gourmet, a bancada em granito preto são gabriel conjuga com o piso em placa cimentícia, com a parede em ladrilho e com armários em réguas de peroba.

 

Cada banheiro revela uma mistura própria de cores e materiais, assim como os lavabos, que foram individualizados.

 

Acolhimento Como acolhimento é a palavra de ordem do projeto, David Guerra escolheu materiais que criassem essa atmosfera. Nos interiores, existem diversos tipos de madeira aplicados, seja na forma de forros, pisos, painéis, brises ou venezianas. Pedra, tijolo, concreto, massa cimentícia, ladrilho e cores como vinho, cortén, azul e cinza, agregados aos grandes panos de vidro nas esquadrias e nos guarda-corpos que se abrem para a cidade, também contribuem para criar esse lugar ideal de refúgio e contemplação.

 

O conceito de memória e afeto, presente em todo o trabalho, se desloca também para o mobiliário, que foi escolhido com muito cuidado, e abrange desde designers clássicos brasileiros, como Sérgio Rodrigues e Jorge Zalszupin, a designers atuais como Jader Almeida, Paulo Alves, Ronald Sasson, Zanini de Zanine e Marcelo Ligieri. Objetos de família e quadros harmonizam com os espaços intimistas. 

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade