Publicidade

Estado de Minas ARTE FINAL

Black Friday: Natal antecipado no comércio brasileiro?


postado em 17/11/2019 04:00

Com a mudança de comportamento, o Natal está chegando cada vez mais cedo para o comércio(foto: ItaúPower/Divulgação )
Com a mudança de comportamento, o Natal está chegando cada vez mais cedo para o comércio (foto: ItaúPower/Divulgação )

 
 
A Black Friday caminha para se consolidar como a data mais importante do varejo nacional, ultrapassando o Natal? A data movimentou mais de R$ 2,6 bilhões em vendas no ano passado. O consumidor brasileiro planeja cada mais cedo suas compras, em busca de preços mais baixos e de melhor experiência de compra, adotando comportamentos que antes eram típicos apenas do período pré-natalino, no início do mês de dezembro. 
 
De olho nessa mudança de comportamento, as marcas implementam estratégias arrojadas que vão da logística à comunicação personalizada. Nos primeiros anos, a mobilização maior era no e-commerce. O segmento ainda lidera o faturamento, mas as lojas físicas também estão cada vez mais adaptadas à nova realidade. Pelo menos é o que mostra o estudo "Dados Comentados: Black Friday 2019", preparado pelo IAB Brasil (Interactive Advertising Bureau), entidade sem fins lucrativos que reúne mais de 250 empresas do mercado digital entre veículos, agências, anunciantes e empresas de tecnologia. 
 
A pesquisa aponta que as vendas durante a Black Friday cresceram 23% em relação à 2017, como reflexo do aumento do awareness (percepção do consumidor) brasileiro em relação à data. Segundo a e-Bit, um em cada três consumidores afirmava saber o que era Black Friday em 2014. No ano passado, 99,8% dos entrevistados revelaram conhecimento sobre ela, e o comércio eletrônico figura como um dos principais responsáveis por essa popularização. Entre 2012 e 2018, o número de brasileiros que se aproveitou das promoções da data pelo comércio eletrônico saltou de 30 milhões para 60 milhões, e o mobile foi responsável por metade das vendas em 2018, que obteve um ticket médio de R$ 608, 8% mais alto do que o ano anterior.
 
CRESCIMENTO A Black Friday 2018 contabilizou 4,27 milhões de pedidos online, alta de 13% em um ano. Os setores que registraram os maiores aumentos em vendas foram turismo (29,2%), eletrodomésticos (22,9%), vestuário (8,1%), cosméticos (8,1%) e alimentos (3,9%). O interesse por apps de e-commerce também aumenta na semana da Black Friday; no ano passado, o download de aplicativos de comércio eletrônico foi três vezes maior do que a média semanal do resto do ano.

DÚVIDAS O estudo destaca que muitos consumidores põem em xeque a veracidade das ofertas, devido à pratica de alguns varejistas que reajustam os preços alguns dias antes. Falhas no atendimento online e não cumprimento do prazo de entrega também integram a lista de pontos negativos.

ANTECEDÊNCIA A análise mostra que quase metade dos e-shoppers (46%) começa a pesquisar suas compras com pelo menos um mês de antecedência. Outros 26% fazem essa pesquisa cerca de um mês antes, enquanto 14% pesquisam duas semanas antes, 22% pesquisam na semana anterior e 18% pesquisam na data exata. Apenas 6% desse público compram sem fazer nenhum tipo de pesquisa. Os números são do Google.

MAIS PROCURADOS Smartphones e passagens aéreas têm o pico de interesse do consumidor na semana da promoção, e a categoria perfume só perde para as vendas de Natal.  Veja o estudo completo no link https://iabbrasil.com.br/dados-comentados-black-friday-2019/


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade