Publicidade

Estado de Minas IDENTIDADE

Estampas autorais

Dupla de designers é responsável pela criação de prints exclusivos que dão personalidade às coleções de várias marcas mineiras, lincando sempre moda e arte


postado em 10/11/2019 04:00 / atualizado em 07/11/2019 15:58

 Desfile de lançamento dos panneaux de Giselle Said(foto: Divulgacao)
Desfile de lançamento dos panneaux de Giselle Said (foto: Divulgacao)


Impossível pensar em Versace sem lembrar as estampas icônicas que contribuíram para a identidade da marca italiana. O apelo barroco, o excesso de dourado, o animal print ficaram para sempre no imaginário definindo um estilo que é alvo de releituras constantes..
 
Quando se fala em Missoni, o que vem à cabeça são as padronagens e estamparia em zigue-zague que atravessaram o tempo e estão presentes em todos os lançamentos da label milanesa. No mercado nacional, os temas tropicais fizeram o sucesso da Farm e Adriana Barra também ficou conhecida por encarnar esse espírito.
 
Desfile Victor Dzenk no Fashion Rio (foto: Divulgacao)
Desfile Victor Dzenk no Fashion Rio (foto: Divulgacao)
 
 
Sim, não dá para fazer uma coleção sem um print especial e é nessa seara que muitos profissionais se debruçam a cada temporada, buscando criar imagens que expressem o DNA de uma marca. É o caso dos diretores de arte mineiros Rodrigo Baba e Virgínia Domingos. Experts no assunto, eles dirigem o Studio1. Incomum e atendem nomes conhecidos do universo fashion, que apostam e confiam em suas propostas – como Ronaldo Fraga, cliente há mais de 15 anos, ou Victor Dzenk, que também não abre mão dos seus serviços.
 
Vestido de madeira para desfile Ronaldo Fraga(foto: Leonardo Soares/Divulgacao)
Vestido de madeira para desfile Ronaldo Fraga (foto: Leonardo Soares/Divulgacao)
 
 
O diferencial do que apresentam é a criação autoral envolvendo elementos como a apropriação das tendências da moda, o mood do momento, o conceito da coleção, o desejo do estilista, o perfil da marca. É a partir daí que eles vão interpretar os temas escolhidos e garantir a exclusividade do print. “Somos uma dupla de criadores e temos olhares diferentes que se convergem em um produto final”, sintetiza Virgínia.
 
Mas há muito em comum entre os dois. A afinidade e convivência vêm de muito tempo. Desde os 14 anos, buscam um caminho artístico frequentando inúmeros cursos livres. A faculdade, interrompida logo no início, foi substituída por pesquisas, experimentações e liberdade de imersão em ateliês de diversos artistas, ao longo dos anos, o que lhes permitiu transitar em diversas áreas como cerâmica, fundição, sumi-e, escultura, colagem, técnicas tradicionais de desenho, pintura.
 
Virginia Domingos, Rodrigo Baba e Giselle Said participaram da Mostra de Design Solar(foto: Marcelo Poleze/Divulgação)
Virginia Domingos, Rodrigo Baba e Giselle Said participaram da Mostra de Design Solar (foto: Marcelo Poleze/Divulgação)
 
 
Adquiriram conhecimento em processos químicos têxteis e passaram por cursos na área administrativa para gerir empresa e equipes. Em determinada época, chegaram a ter 43 funcionários contratados em uma estrutura para processo de serigrafia por corante direto em seda pura, corrosões em jeans e técnicas artesanais de pintura a mão e aplicações localizadas, sempre de forma artística, além de lavanderia e acabamentos têxteis.
 
“Temos desenvolvido todos os nossos processos técnicos e criativos de forma autoral e independente desde a fundação da nossa primeira empresa, em 1996, quando tínhamos 20 anos”, explica a designer. Foram muitas as transformações que rolaram nesse tempo, da pintura manual com pincel, com a qual começaram, à tecnologia dos computadores. Passar por várias fases e acompanhar as mudanças garantiu experiência e expertise no negócio.
 
O volume de trabalho é grande: são cerca de 20 marcas atendidas a cada estação. “A estampa dá o tom de uma coleção, garante a personalidade das roupas, faz com que uma marca de diferencie do fast fashion”, ressalta Rodrigo Baba. Encontrar uma linguagem própria para cada demanda é o grande desafio. “Hoje, temos uma liberdade maior para criar porque os clientes acreditam que vamos procurar novos caminhos, soluções diferentes. Não ficamos só na moda, trabalhamos também com muito material de arte”.
 
Esse olhar certamente foi o responsável para que a relação com alguns deles extrapolasse o design de superfície propriamente dito, saindo do plano para o tridimensional. Caso de Ronaldo Fraga, com o qual têm mantido parceria nos desfiles do São Paulo Fashion Week. Para a apresentação em que o estilista homenageou o Pará, criaram um vestido de madeira.
 
E, mais recentemente, o que Ronaldo nomeou de vestido-lego, construído pela dupla com técnicas da moulage. Já Victor Dzenk os convidou para assinar cenário e passarela em preto e branco do desfile em que abordou as belezas de São Luis e o folclore maranhense. “São uma série de experiências prazerosas, algo que causa impacto e que você constrói para o show sem pensar na parte comercial. É muito bom arriscar e contar essas histórias”, afirma o designer.
 
Outra parceria de longa duração foi com Eduardo Suppes, quando ele tinha marca própria e desfilava na semana fashion paulista. E com a label Chicletes com Guaraná, que migrou, depois, para B. Bouclé e continua cliente. Apadrinhamentos são constantes: no último Minas Trend, eles fizeram todas as estampas da Norb, marca jovem que participou do desfile de abertura.

Decoração Saindo do fashion, a decoração também tem sido alvo da dupla por meio da criação de objetos, produtos como abajures, sousplats, jogos americanos... Seus prints estão presentes na linha home da La Perle, de Ticha Ribeiro. Para esse mesmo mercado, a novidade é a criação de telas a partir do conceito do fine art, tendo como suporte o design de superfície no têxtil a partir de sobreposições e cut-outs, que garantem efeitos tridimensionais inusitados.
 
As peças, verdadeiras instalações, são impactantes e se tornaram outro canal de expressão artística para os dois. Elas foram mostradas, recentemente, na Mostra de Design Solar, acompanhando o lançamento oficial da cápsula de panneaux assinada pela estilista Giselle Said. “A parceria com os talentos Virgínia e Rodrigo existe há mais de 10 anos, sempre com muito sucesso. O que não seria diferente nessa mostra em que eles apresentaram uma obra inédita que irá para diversas galerias no Brasil”.
 
Formada pela Fumec, Giselle faz parte da cena fashion da cidade há 18 anos. Trabalhou na equipe de estilo da Alphorria, passou pela Gig Couture, Yuppie, Chicletes com Guaraná, entre outras boas empresas de moda de Belo Horizonte, e já comandou uma confecção feminina e um showroom de atacado.
 
Os panneaux se tornaram um projeto especial. “Queria enfatizar a versatilidade dos lenços, que podem funcionar de diversas maneiras por meio de nós ou amarrações, criando looks muito fashions. E nada melhor para apresentar isso do que com modelos e passarela”. Foi também uma forma de mostrar sua criatividade como stylist e a inquietação por novidades.
 
“Escolhi a moda devido à minha demanda criativa. Construir imagens é um trabalho que me dá muito prazer e vem funcionando bem, pois algumas marcas que não tinham a preocupação em contratar uma profissional nessa área estão percebendo a diferença no posicionamento de suas campanhas”. Nesse ofício, ela inova mais uma vez: montou uma equipe completa e afinada que a acompanha para cada shotting. “São pacotes personalizados para cada tipo de cliente”, explica.
Todas as estampas foram desenvolvidas pelos designers e impressas no Studio1.Incomum e marcam algumas coleções feitas por Giselle para label própria ou outras labels. A ideia da estilista, daqui pra frente, é alimentar o mercado com o lançamento de cápsulas periódicas.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade