Continue lendo os seus conteúdos favoritos.
Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

briefing


postado em 13/01/2019 05:06

CANETADA DA SORTE
Na posse de um presidente, nada passa batido. Nos tempos de redes sociais, o mínimo detalhe pode gerar milhões de views. Como, por exemplo, o vestido de "princesa" da primeira-dama Michelle Bolsonaro, um dos assuntos mais comentados nas redes, com crítica positivas e negativas. Mas quem saiu ganhando mesmo no momento histórico da transição do cargo foi a caneta Compactor. A marca nacional de caneta foi a escolhida pelo presidente Jair Bolsonaro para assinar o livro de posse.

HONRA HISTÓRICA
Esferográfica de cor azul e parecida com a francesa Bic, tradicional no segmento, a Compactor é fabricada no Brasil e vendida a preço popular. A marca aproveitou a mídia espontânea com precisão e inteligência. Em seu Instagram a empresa registrou sua participação histórica na posse, com o seguinte post: "Presidente Jair Bolsonaro assinou a posse com caneta 100% brasileira Compactor Economic. Uma honra ver nossa marca ajudando a escrever um capítulo tão importante na história do país".

OPORTUNIDADE
Diante da intensa repercussão, a marca já planeja uma campanha para aproveitar o momento. Especialmente depois que o presidente respondeu ao post da empresa, via Twuitter: "Nós é que agradecemos a ótima qualidade e preço da caneta!". Agora, a empresa estuda lançar novos modelos com motivos nacionalistas, como as cores da bandeira do Brasil e frases de efeitos do presidente. Fazendo alusão a uma delas, a empresa publicou fotos das canetas com a seguinte frase: "Economic. A caneta ideal para quem precisa enxugar o orçamento". E vem mais por aí, promete a Compactor.

CARONA CELESTE
E no vale-tudo digital, quem tentou fazer 'gol de placa' foi a Casas Bahia. A marca foi citada pelo vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Itair Machado, ao associar o modelo de venda a crédito da empresa durante entrevista em que falava sobre a proposta do Flamengo ao jogador uruguaio De Arrascaeta. "Cruzeiro não é Casas Bahia e, para aliciar jogador, tem que ter dinheiro pra pagar à vista", soltou Itair. Sem perder tempo, a empresa logo usou seu Twitter oficial e surfou na onda da polêmica da milionária (18 milhões de euros) transferência: "Meio-campo parcelado ainda não temos. Mas tudo para torcer e jogar futebol em até 24x no Cartão Casas Bahia tá aqui".

SEMP NA SELEÇÃO
A seleção brasileira de futebol tem novo patrocinador. Trata-se da Semp TCL, que assinou contrato três anos. O acordo inclui exposição da marca nas placas de campo e no local de entrevistas, além do direito ao uso do selo de patrocinador oficial da empresa nos produtos e ativações da marca. Detentora da Alcatel, Blackberry, SEMP, TCL e Toshiba, a Semp TCL também patrocina os árbitros da Copa do Brasil, do Campeonato Brasileiro e da Copa do Nordeste.

MULTITEXTO
Com o case "1º Encontrão de Contadores de Histórias de BH", a Multitexto Comunicação é bicampeã do Prêmio Arcos Dourados de Comunicação Corporativa. O resultado foi divulgado durante o 2º Workshop de Comunicação Corporativa da Arcos Dourados, realizado em Alphaville (SP). O evento reuniu as agências de comunicação afiliadas da marca, maior rede de serviço rápido de alimentação da América Latina e Caribe com operação em 20 países e territórios. A outras duas agências premiadas nesta edição foram a Conceito, de Ribeirão Preto (SP) e a P6, de Vitória (ES) .

TEMPLUZ
A Templuz Iluminação, empresa do Grupo Loja Elétrica, patrocina a segunda edição da Magazinebook iDeia Design. Explorando a temática da ressignificação, o volume 2 traz novos olhares sobre o universo do design, moda, gastronomia e cultura em geral. Além de a edição impressa ser distribuída para profissionais de design, formadores de opinião e interessados no assunto, a versão online pode ser baixada gratuitamente por qualquer pessoa no site www.revistaideia.com.

HIPOCRISIA
A fabricante dos cigarros Marlboro, a empresa Philip Morris International, deu um tiro no pé em sua última campanha. A marca publicou anúncio para incentivar fumantes a deixar o vício de fumar. A publicação foi considerada um ato hipócrita da marca. Na campanha que circula no Reio Unido, a Philip Morris, na qual a maior companhia internacional de cigarros do mundo está propondo um desafio de 30 dias para as pessoas deixarem de fumar. No vídeo e no site onde os fumantes podem se inscrever para o desafio e obter informações para ajudá-los a largar o vício.

ELETRÔNICOS
O desafio na campanha, porém, seria apenas uma cortina de fumaça da Philip Morris para seu real motivo. A verdade a estratégia de substituir o fumo por dispositivo de aquecimento de tabaco IQOS. Os chamados cigarros eletrônicos, ainda proibidos no Brasil, segundo a empresa, seriam menos perigoso para a saúde que os tabacos tradicionais. A Philip Morris, no ano passado, foi acusa de tentar derrubar o tratado global de tabaco da Organização Mundial da Saúde (OMS), que visa reduzir o tabagismo em todo o mundo.

CONSUMO
Depois de um período de retração do consumo no primeiro semestre de 2018, as classes C, D e E alavancaram o varejo de itens básicos, de acordo com o mais recente estudo Consumer Insights, da Kantar Worldpanel. O relatório é relativo ao terceiro trimestre de 2018. Além das classes mais baixas, as regiões do leste, interior do Rio de Janeiro e Nordeste foram as que mais contribuíram para a retomada do consumo de itens básicos e de rápido consumo. O principal canal de compras para itens desta categoria foi o atacarejo. Em seguida, está o varejo tradicional e a venda porta a porta, embora tenham perdido um pouco de espaço em relação ao estudo anterior. Nas cestas dos consumidores, destacam-se itens perecíveis e produtos de mercearia doce.

DIAS CONTATOS
O cheque praticamente desapareceu do mercado, o dinheiro também é cada vez menos usual para pagar as contas. E, agora, o cartão de crédito e debito também pode estar com os dias contados, devido a popularização cada vez maior dos pagamentos digitais. De olho na mudança de hábito dos consumidores, a Mastercard mudou o design da marca. Depois de 20 meses de pesquisa, a nova logo esconde o nome "Mastercard" e evidência o cartão (card). A ideia é que o consumidor dissocie a marca da ideia única de "cartão de crédito" e passe a vê-la como uma marca de "soluções de pagamento", seja ele em cartão ou com o pagamento digital. Ficam no logo os icônicos círculos vermelho e amarelo. É a primeira vez em mais de 50 anos que o nome da empresa não aparecerá em seu logo.

CUSTO/BENEFÍCIO
Quando o assunto é celular, os consumidores brasileiros avaliam como principais atributos na decisão de compra do aparelho preço (35%), reputação da marca (25%), facilidade de uso (21%) e tamanho da tela (19%). Os dados são do painel contínuo criado pelo Grupo Croma, que disponibiliza para as empresas um mapeamento de comportamento dos usuários, preferências e tendências do mercado mobile no Brasil. Contrapondo esses números, a pesquisa realizada com 1.400 usuários de celulares em todo país, aponta em último lugar o processador (11%), atualização de modelo (10%) e qualidade da câmera traseira - fotos e vídeos – (10%).


Publicidade