Continue lendo os seus conteúdos favoritos.
Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

SPFWN-46 balanço final


postado em 04/11/2018 05:06

Apartamento 03(foto: Nelson Almeida/afp)
Apartamento 03 (foto: Nelson Almeida/afp)

 

 

 

Marta De Divitiis
De São Paulo

O SPFWn 46, que teve início dia 21 com o desfile de Lilly Sarti no Farol Santander, no Centro da capital paulista, foi finalizado dia 26, com a apresentação da Água de Coco por Liana Thomaz, na ARCA, imenso galpão industrial na Vila Leopoldina, zona Oeste da cidade. De acordo com o diretor criativo do evento, Paulo Borges, foi a vontade de expandir fronteiras e ir além, ressignificando espaços que fez seus realizadores optarem pelo novo local.
Em meio ao clima de expectativa por conta do período eleitoral a Arca foi um oásis tranquilo que recebeu em 29 desfiles (Glória Coelho se apresentou no teatro da FAAP - Fundação Álvares Penteado), o que a moda das próximas estações - tanto Primavera/Verão quanto Outono/Inverno - dita.

Conforto e
boa modelagem

O que se percebeu nessa temporada, que já vem acontecendo desde que a crise econômica despontou, foi coleções com apelos mais comerciais, com peças que primaram pela boa modelagem e acabamento. A ordem do dia é durabilidade.O conforto predominou em calças amplas, pantalonas, pantacourts e macacões, que vieram em versões femininas e masculinas como na Osklen. As calças estilo carrot, clochard nos remeteram aos anos 90 e vieram em Beira. Já as mais justas apareceram nas passarelas de Reinaldo Lourenço, com listras laterais.
A alfaiataria teve papel de destaque em calças bem cortadas e paletós que ganharam uma certa amplidão, especialmente em Gloria Coelho. No masculino,  em pantalona com camisa na Hundred e no paletó com bermuda na Piet. Em PatBo nos shorts bem cortados e debruados por mini babados. Muitas peças ganharam elementos esportivos como listras laterais, bolsos amplos e funcionais.

Franjas e palas

Um clima western surgiu com franjas, botas de cowboy e até chapéus, em marcas como Lilly Sarti e Gloria Coelho. As franjas foram usadas de forma inédita em Apartamento 03, sobre looks em lindos degradês de cores (foi a primeira vez que Luiz Claudio se aventurou a utilizar cores vibrantes, com muito sucesso!) e também na coleção masculina de João Pimenta, em mangas de paletós.

Cores e estampas

As cores naturais, como o areia, off white, beges e chás vieram em muitas marcas como na Osklen, na Torinno, na Aluf, em Helena Bastos e Adriana Valente, ambos do Projeto Estufa, Gloria Coelho, Beira. Branco e azul claro vieram na Cotton Project. As tonalidades terrosas ressurgiram em  Lilly Sarti, Bob Store e João Pimenta.
 Mas nem só de areias e terrosos a passarela se cobriu. Tons vibrantes vieram na apresentação de Apartamento 03, nas estampas verdes de PatBo, na coleção de João Pimenta, no vinho, amarelo e laranja da Bob Store, no laranja e vermelho da Água de Coco. Lino Villaventura trouxe um festival de tonalidades, lindas, em peças que eram puro desejo.
 As estampas vieram lindas em PatBo, com verdes folhagens, algumas rebordadas. As imagens de santos e orixás, evidenciando o sincretismo religioso esteve na passarela de João Pimenta enquanto Água de Coco trouxe belos traços geométricos e numa linha especial em parceria com a Disney, elementos de Mickey e Minnie. Outra aposta mais geométrica foi de Apartamento 03. Torinno trouxe estampas barradas e outras miúdas em looks totais.
 
Tecidos rústicos
e sofisticados

O denim foi matéria prima de 2DNM, que utilizou inclusive lurex na trama, em lavagens escuras e também na marmorizada, numa clara referência aos anos 90. Ronaldo Fraga trouxe o mesmo material em criações lindas, com bordados vazados. O couro também apareceu, especialmente em Reinaldo Lourenço, Torinno, nas franjas de Apartamento 03 e em detalhes da Bob Store. O cetim esteve presente em lindos conjuntos de short e camiseta Torinno, em jaquetas Bomber bordadas de João Pimenta e na Modem também. Boa parte das coleções teve o linho e a seda presentes, como no vestido de chiffon da Cacete Company. Na Água de Coco uma série de vestes em gazar trouxeram um visual luxuoso.

Apostas que
valem investimento

A peça das próximas estações será, com certeza, a parca. Ela veio em todos os tecidos possíveis, do couro ao cetim, passando por linho, sarja e tecidos empapelados. Mesmo com vertente mais esportiva pode ser usada sobre vestidos leves e de tecidos mais luxuosos, fazendo a linha High-Low.
A cintura feminina permanece no lugar tanto em vestidos, como nas saias e calças compridas. Pantalonas, calças estilo carrot, com a barra mais ajustada ou mesmo as retas permanecem imbatíveis.
O comprimento das saias continua variando, com predominância para as longas e as abaixo dos joelhos (mi-mollet ou midi), bem confortáveis. Vale apostar nas de tecidos fluídos e leves.
Paletós ganharam um pouco mais de corpo, mais largos e mais compridos. Investir em peças de alfaiataria em cores neutras é uma boa pedida, pois tende a se perpetuar por várias estações.
Cores neutras como o areia, marinho, preto e off-white, em looks totais, pontuados por tonalidades vibrantes em detalhes ou nos acessórios.


Publicidade