Publicidade

Estado de Minas DESAFIOS DA SUSTENTABILIDADE

Sacolas reprovadas


postado em 10/06/2012 06:00 / atualizado em 07/06/2012 15:24

(foto: Marcos Michelin/EM/DA Press)
(foto: Marcos Michelin/EM/DA Press)
SACOLAS REPROVADAS
» O Centro Tecnológico de Processos e Produtos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), de São Paulo, realizou um estudo para comparar a biodegradação de quatro diferentes embalagens vendidas ou dadas em supermercados. O resultado apresentou a porcentagem de cada material de biodegradação: as de papel biodegradaram cerca de 40%; as de plástico comum 30%; as de amido de milho (feitas a partir de fontes retornáveis) 15%; e as oxidegradáveis (que recebem aditivos para se degradarem mais rápido) apenas 2%. De acordo com o IPT, a margem de erro é de 10%.

O ÔNUS É LOCAL
» A mineração gera impostos e empregos e é fundamental para a cadeia produtiva de muitos dos produtos que trazem conforto para a vida moderna. Porém, quem fica com o ônus maior da atividade minerária são as comunidades locais. A conclusão está expressa em tese de doutorado defendida pelo geólogo e advogado Maurício Boratto, que analisou 70 indicadores aferidos em uma dezena de minerações em Minas Gerais. Segundo ele, ao mesmo tempo em que propicia crescimento econômico e benefícios sociais, a mineração provoca impactos socioambientais e dificilmente promove desenvolvimento igual para todas as partes envolvidas. Vencer essa dicotomia é, para ele, o grande desafio do setor.

SE A MODA PEGA...
» A União Europeia intimou 10 empresas de aviação chinesas e indianas a informar, até o próximo dia 15, o volume de emissão de carbono de seus voos dentro do continente europeu em 2011, sob pena de serem multadas. A informação é do jornal francês Le Monde. Já pensou se a moda pega?

A ÁGUA TEM VALOR
» O governo federal quer quantificar o valor da água, de tal modo que se possa saber quanto vale a riqueza que um litro de água gera, por exemplo, para a indústria. O estudo será feito pelo Comitê das Contas Econômicas da Água, recentemente criado pelos ministérios do Meio Ambiente e do Planejamento. A metodologia a ser adotada foi definida pela Comissão de Estatística da Organização das Nações Unidas
(ONU) com base nas recomendações e boas práticas internacionais adotadas sobre o tema. De acordo com a Política Nacional de Recursos Hídricos, a água é um recurso limitado, e portanto, dotado de valor econômico.

AGRICULTURA SUSTENTÁVEL
» O governo federal quer incentivar a agricultura com baixa emissão de carbono. Para isso, está reservando R$ 3,15 bilhões para aplicação em projetos que neutralizem ou minimizem os efeitos dos gases de efeito estufa produzidos no campo. O prazo para pagamento é de cinco a 15 anos. O principal gás causador de efeito estufa produzido no campo não é o dióxido de carbono, o tão temido CO2. É o metano, que é gerado pelo gado bovino na ruminação de sua alimentação.

BONS NÚMEROS
» O governo de Minas afirma ter bons números a levar à Rio+20. Um deles é o da redução dos lixões. De acordo com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), o número
de lixões em todo o estado foi reduzido de 823 em 2001 para 278 atualmente. Segundo o secretário Adriano Magalhães, da população total do estado, 55,25% passaram a ter o seu lixo disposto de forma ambientalmente correta. A meta do governo é chegar a 60% ainda este ano.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade