Publicidade

Estado de Minas

Presidente do TSE homenageia Niemeyer em prédio projetado por ele

Ministra Cármen Lúcia lembrou conceito que arquiteto colocou no memorial descritivo da obra: %u201CO ideal da justiça não tem fim e a curva corresponde a essa ideia%u201D.


postado em 06/12/2012 14:04

Autor do projeto do novo prédio do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no Setor de Administração Federal Sul de Brasília, o arquiteto Oscar Niemeyer foi homenageado nesta quinta-feira pela ministra Cármem Lúcia, durante solenidade pelos dez anos de criação da Escola Judiciária Eleitoral (EJE), ao lembrar o conceito que ele colocou no memorial descritivo do Supremo Tribunal Federal (STF): “O ideal da justiça não tem fim e a curva corresponde a essa ideia”.

A ministra disse que tal conceito se aplica também ao TSE, “cujo projeto é um dos mais arrojados projetados por Niemayer” e que foi inaugurado “no dia do seu aniversário (15 de dezembro)”. Ela lembrou que ele não pode comparecer à solenidade de inauguração, no ano passado, e agora sua morte ocorre também nas proximidades da data.

A ministra Cármem Lúcia disse ainda que Niemeyer parte apenas fisicamente, pois sua obra permanecerá para sempre na vida do país. Um dos principais aspectos do trabalho do arquiteto, segundo ela, é que ele não pensava apenas no homem que trabalharia nos prédios que projetava, mas no cidadão brasileiro em geral, “para acolher todos os que tivessem fome e sede de justiça”.

A Escola Judiciária Eleitoral foi criada em 2002 e é dirigida atualmente pela ministra Rosa Weber, que, assim como Cármem Lúcia, integra o Supremo Tribunal Federal. A proposta de criação foi apresentada ao ribunal pelo então ministro Sálvio de Figueiredo. O objetivo da EJE é fazer atividades que contribuam para desenvolver a cidadania, a democracia, e atuar no constante aperfeiçoamento dos magistrados e dos demais profissionais da área.

Ao falar sobre a escola, a ministra Cármem Lúcia lembrou uma frase do escritor Guimarães Rosa: “Mestre é quem de repente aprende”. Ela ressaltou que a EJE é um dos instrumentos da Justiça Eleitoral para estar cada vez mais perto do cidadão, pois "o Brasil somos todos nós juntos".

Segundo a ministra, a Escola Judiciária Eleitoral tem o compromisso de fazer com que os sonhos de pessoas como Oscar Niemeyer sejam levados adiante, "para que sejamos capazes de realizar o que a sociedade busca, que é um Brasil mais justo para todos". Ela falou durante a abertura do Congresso Democracia Representativa e Cidadania, que marca os dez anos de criação da escola.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade