Publicidade

Estado de Minas MINAS+VIVA

Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Fiemg e Iclei participam das discussões


postado em 08/08/2012 15:55 / atualizado em 08/08/2012 18:49

Marília Carvalho de Melo, da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, conduziu o painel(foto: Juliana Flister/Esp EM/DA Press)
Marília Carvalho de Melo, da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, conduziu o painel (foto: Juliana Flister/Esp EM/DA Press)

O Minas+Viva trouxe na manhã desta quarta-feira o painel “Desenvolvimento com sustentabilidade”, com as palestras da subsecretária de Controle e Fiscalização Ambiental Integrada da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Marília Carvalho de Melo, do secretário Adjunto de Relações Internacionais da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, Rodrigo Perpétuo, e do coordenador do programa Minas Sustentável, da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Flávio Mayrink.

A subsecretária fez um panorama do desenvolvimento sustentável Minas Gerais e apresentou alguns indicadores de monitoramento, como o Índice de Desenvolvimento da Política Ambiental, que avalia a efetividade das políticas relacionadas ao sistema de meio ambiente e desenvolvimento sustentável e passou de 0,57 em 2009 para 0,58 em 2011.

Marília destacou também o Índice de Qualidade da Água (IQA). “O índice de alta contaminação por substâncias tóxicas, que tem origem principalmente na atividade industrial, caiu de cerca de 30% nos anos 90 para apenas 6% em 2011, mesmo com o expressivo crescimento do PIB no estado”, informou.

A secretária destacou o menu de políticas públicas sustentáveis, desenvolvido a partir dos princípios da Rio+20, Conferência de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas realizada em junho. O menu sistematiza as ações e programas estaduais relacionados a áreas como água, mudanças climáticas, erradicação da pobreza, desenvolvimento rural sustentável, consumo e produção sustentáveis, desenvolvimento urbano, inovação e tecnologia, governança e novas métricas de riqueza. “O foco está no resultado. Além do diálogo e da discussão, temos que entregar o rio mais limpo e cheio de peixes para a população”, exemplificou a subsecretária.

Minas Sustentável

Após a apresentação de Marília Carvalho de Melo, foi a vez de Flávio Mayrink, coordenador do Minas Sustentável (Fiemg), detalhar o trabalho da entidade no incentivo ao desenvolvimento econômico sustentável. Mayrink lembrou que o avanço tecnológico está trazendo mais qualidade de vida para a população, ao mesmo tempo em que agrava os problemas ambientais. Segundo ele, dados de entidades ligadas ao meio ambiente mostram que 80% dos recursos naturais são consumidos por apenas 20% da população. Cinco mil pessoas morrem diariamente por falta de água tratada e 50% dos grãos produzidos no mundo são usados para alimentar animais ou para fabricar energia.

Segundo ele, o desafio da sociedade agora é encontrar alternativas para aliar o desenvolvimento econômico à adoção de práticas sustentáveis que, além de preservar a natureza, trazem benefícios para o empresariado. “Muita coisa de adequação ambiental está no campo do negócio. O programa Minas Sustentável pretende fazer do meio ambiente um negócio”. Ele citou como exemplo a reciclagem. “Hoje em dia, ninguém vê mais latinha de cerveja jogada fora, porque vale dinheiro”, afirmou.

Para conscientizar as empresas, a Fiemg criou em 2010 o programa Minas Sustentável, que orienta os empreendedores sobre adoção de práticas ambientalmente corretas. O empresário pode entrar diretamente no site da entidade e utilizar o softaware disponível que trará recomendações iniciais sobre práticas que podem ser adotadas em busca da ecoeficiência A Fiemg também ajuda a empresa a entrar em contato com instituições financeiras para obtenção de de crédito e órgãos licenciadores.

Atualmente, o programa está sendo expandido e cobre cidades como Contagem, Betim e a Região do Vale do Aço. Segundo o coordenador do programa, a Fiemg pretende expandir as ações e, a longo prazo, tornar as empresas mineiras mais competitivas. “A idéia é fazer com que as ações levem o setor à excelência de sustentabilidade. Nosso sonho é tornar referência no mercado nacional e internacional”, concluiu.

BH no cenário mundial

O último convidado da manhã a falar foi o o secretário Adjunto de Relações Internacionais da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, Rodrigo Perpétuo. Ele relembrou o sucesso do Iclei (Local Governments for Sustaintability), realizado na capital mineira no mês de junho, e os avanços constatados em BH rumo à construção de uma cidade sustentável. Segundo Perpétuo, o processo de desenvolvimento local está intimamente relacionado à execução de políticas públicas, que devem ser pensadas levando em consideração práticas sustentáveis.

O secretário ressaltou a importância de Belo Horizonte para o país e afirmou que todos os setores devem estar engajados para promover as mudanças necessárias. “O principal é que BH e Minas estão no caminho certo. É um desafio grande, não podemos relaxar , precisamos de um pacto da administração pública, nas instâncias municipal, estadual e federal, com empresas e sociedade civil. Não é compromisso de um governo só, é um modo de se pensar a cidade, de se fazer a cidade”, afirmou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade