Publicidade

Estado de Minas

Um viva à excelência

Pesquisa destaca as 10 marcas mais prestigiadas em Minas e reforça a importância da reputação para as empresas de vários setores


postado em 15/03/2015 06:18 / atualizado em 15/03/2015 13:21

Unidade da Nestlé em Ituiutaba: a empresa amplia suas operações com a sexta fábrica no estado, que está sendo construída em Montes Claros(foto: NESTLÉ/Divulgação )
Unidade da Nestlé em Ituiutaba: a empresa amplia suas operações com a sexta fábrica no estado, que está sendo construída em Montes Claros (foto: NESTLÉ/Divulgação )


O jornal Estado de Minas apresenta aos leitores o ranking das Marcas Mais Prestigiadas em Minas em 2014/2015. Na edição que comemora os cinco anos da pesquisa, que teve sua séria histórica iniciada em 2010, a Nestlé, empresa que há 94 anos iniciou suas operações no Brasil, dona de marcas experimentadas por gerações, como o leite condensado Moça, o leite Ninho e o chocolate Suflair, é a grande campeã, levando a medalha de ouro no ranking geral do prestígio e da reputação em Minas. A Nestlé trocou de posição com a Vale, que, no ano passado, obteve o primeiro lugar. A mineradora segue firme no pódio, brilhando na terceira posição. A medalha de prata, desta vez, ficou com o Banco do Brasil, que recuperou sua colocação de 2012, dando um salto surpreendente, já que no ano passado o BB havia ficado com a sétima posição. Agora, o banco recebe uma reluzente medalha de prata no ranking geral das instituições mais prestigiadas pelos mineiros.

No pódio das 10 Marcas Mais Prestigiadas com sede em Minas, está a montadora Fiat, que levou a medalha de ouro. Com o resultado de fôlego, a Fiat se coloca como a grande vencedora dos últimos cinco anos, assegurando o primeiro lugar na pesquisa desde 2010, quando teve início a série histórica do estudo, realizado e publicado pelo EM, em parceria com o Grupo Troiano de Branding e a Ideia Comunicação Empresarial. Instalada em Betim, na Grande BH, desde 1976, a Fiat Automóveis tem capacidade produtiva de 800 mil veículos por ano.

Ao lado da Fiat, no mesmo pódio das 10 mais prestigiadas com sede em Minas, está a Cemig, que recuperou a medalha de prata que havia conquistado em 2012. Já a PUC Minas mostra vigor surpreendente. Em 2012, a instituição havia ocupado a 10ª colocação no ranking, e agora, em 2014/2015, foi reconhecida pela opinião pública como a terceira marca mais prestigiada do estado, arrebatando uma importante medalha de bronze.

“Os rankings dos últimos três anos mostram que há marcas de implantação nacional, não necessariamente com origem em Minas, que têm um excelente reconhecimento no nosso estado. Por outro lado, os rankings desses cinco anos demonstram que Minas Gerais possui marcas com origem no estado que têm força para disputar espaço com marcas nacionais e até globais”, observa Levi Carneiro, sócio-diretor da Ideia Comunicação Empresarial.

Com investimentos previstos em R$ 200 milhões, a sexta unidade da Nestlé em Minas entra em operação no quarto trimestre do ano, em Montes Claros, no Norte do estado. Segundo a companhia, a admiração dos consumidores traz para o dia a dia da empresa uma grande vantagem competitiva e, também, responsabilidade. Para manter uma relação de sucesso com o público, a empresa avalia que deve estar preparada para prever as necessidades do consumidor e surpreendê-lo com inovações, ao mesmo tempo em que precisa continuar a desenvolver suas atividades de forma consistente com os valores que construíram a relação. “A Nestlé se orgulha por estar presente no coração dos brasileiros. Prêmios como o Marcas Mais Prestigiadas em Minas refletem que, além de uma relação de confiança, a Nestlé construiu com seus consumidores um laço de afeto e carinho, por meio de marcas que fazem parte da sua vida. O objetivo da Nestlé é oferecer nutrição, saúde e bem-estar em todas as fases da vida, e esse tipo de reconhecimento nos mostra que estamos no caminho certo”, diz a companhia em nota ao Estado de Minas.

Com uma longevidade invejável, alcançada por poucas empresas no mundo, o Banco do Brasil completou 206 anos de atuação em outubro do ano passado. O BB, medalha de prata no ranking geral, está presente em 99,8% dos municípios brasileiros e, assim, está no alvo da opinião pública, que testa seus produtos e serviços. Para o superintendente estadual do banco em Minas, Otaviano Amantéa de Souza Campos, a reputação é um ativo que tem a ver com a vida da instituição. “Um banco vive de sua reputação.” Para o executivo, a relação existente entre o BB e seu público é, primordialmente, de confiança. “O banco vive a realidade de que a percepção é mais real do que o fato”, observa. Segundo Otaviano Amantéa, os desafios para manter esse ativo têm a ver com a relação existente entre a promessa e a entrega efetiva. “Essa última representa a confirmação ou não da credibilidade da relação”, descreve.

A Cemig, medalha de prata no ranking, também se destaca nos cinco anos da pesquisa. A empresa mostra prestígio entre os mais jovens, as 10 com melhor reputação para a população até 34 anos com renda de até quatro salários mínimos. Fundada em 1952, hoje a Companhia Energética de Minas Gerais é uma holding composta de 206 empresas e com participações em consórcios e fundo de participações, além de possuir ativos e negócios em 22 estados brasileiros, no Distrito Federal e também no Chile. Atua nas áreas de geração, transmissão, distribuição e comercialização de energia elétrica, e ainda na distribuição de gás natural, por meio da Gasmig, em telecomunicações, por meio da Cemig Telecom, e no uso eficiente de energia, por meio da Efficientia. O diretor de Relações Institucionais e Comunicação da concessionária, Luiz Fernando Rolla, observa que reputação é uma percepção construída a longo prazo, com base na experiência das pessoas e do consumidor com a marca. “A força da nossa reputação impulsiona os negócios, dá força para nos mantermos como a maior empresa integrada do setor elétrico do país e reforça a solidez da Cemig no mercado”, afirma.

VIGOR NA SUBIDA
Rompendo a barreira do meio século, a PUC Minas, que surpreende a cada ano com ganho de posições no ranking, completa 56 anos. A universidade é reconhecida pela Congregação para a Educação Católica, do Vaticano, como a maior universidade católica do mundo, abrigando mais de 55 mil alunos em seus cursos de graduação, pós-graduação e de extensão. Patrícia Bernardes, vice-reitora da PUC Minas, acredita que o resultado alcançado na pesquisa Marcas Mais Prestigiadas de Minas reflete o cuidado da instituição com sua reputação. “Esse é um dos ativos mais importantes de uma instituição de ensino superior e, na PUC Minas, ele vem sendo construído a partir do compromisso da instituição com a educação de qualidade, com a cidadania e a responsabilidade social.”

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade