Publicidade

Estado de Minas

Empresários e amigos lamentam morte de político


postado em 30/03/2011 07:23

A morte do ex-vice-presidente José Alencar foi muito lamentada em Minas, especialmente, pelas pessoas que conviveram com o político e empresário. Uma dessas pessoas é o empresário de Caratinga Wantuil Teixeira de Paula, de 81 anos, amigo do ex-vice-presidente desde a adolescência. “Fui companheiro dele desde os 16 anos de idade. Moramos na mesma pensão e mesmo quarto. Fomos colegas de ir ao cinema, clubes e bares. Uma grande aproximação. Estou sentindo a morte do Alencar”, declarou Wantuil, em entrevista ao Estado de Minas, ontem. Na década de 1950, José Alencar trabalhou com Wantuil, sendo sócio dele na Fábrica de Macarrão Santa Cruz (atual Macarrão Petisco e Mara S/A), em Caratinga. Wantuil casou com uma irmã do ex-vice-presidente, Maria Auxiliadora Gomes da Silva, a Dorinha (falecida em 1999), com quem teve seis filhas.

O empresário de Caratinga salienta que o ex-vice-presidente foi para ele muito mais do que sócio e cunhado. Constituímos uma amizade histórica. Estou sentindo muito a morte do José Alencar. Nunca vi uma pessoa tão otimista e serena como ele”, declara Wantuil, que nesta semana viajou a São Paulo para visitar o ex-vice-presidente. “Quando cheguei ao hospital, ele já estava sedado, mas falei com a família”, relata. Wantuil também destaca a carreira de José Alencar. “Enquanto eu fiquei em Caratinga, ele foi para Belo Horizonte e ganhou outros ares. Ele veio de uma família pobre e virou um dos maiores empresários e um dos políticos mais sérios do Brasil. Realmente, o Zé Alencar foi uma das pessoas mais competentes que conheci. Foi uma figura ímpar, um exemplo a ser seguido”, declarou Wantuil de Paula.

Outro que sentiu muito a morte de José Alencar foi o empresário Luiz de Paula Ferreira, de 93 anos, com quem, em 1967, o ex-vice-presidente fundou a primeira unidade da Coteminas, que se tornou um dos maiores conglomerados têxteis do Brasil e da América Latina, com 15 fábricas (sendo cinco nos Estados Unidos, uma no México e outra na Argentina) e 15 mil empregos diretos. A família de Luiz de Paula informou que ele ficou muito abalado e emitiu apenas uma pequena mensagem a respeito do falecimento do amigo e sócio. “Acima de tudo, perdi um grande amigo, irmão e companheiro de muitos anos”, resumiu.

O ex-presidente do Sindicato dos Tecelões de Montes Claros, Vicente de Araújo conviveu com José Alencar por mais de 15 anos e destaca que, mesmo estando do outro lado na mesa de negociações, sempre mereceu um tratamento especial do fundador do Grupo Coteminas. “Com toda a franqueza, oseu Zé sempre foi um amigo de verdade. Ele nunca teve pompa. Sempre foi uma pessoa simples e humilde. Por várias vezes, esteve na minha casa, que era um barracão. Tive o prazer de conhecê-lo de perto e ele até me confidenciava as coisas. Fiquei arrasado com a morte dele”, relatou Araújo. “Parece que perdi um ente da minha família. Vou ficar me lembrando dele para o resto da vida”, acrescentou.

  • Tags
  • #
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade