Publicidade

Estado de Minas GEOGRAFIA

Conhecendo o Brasil Central com o Terra Negra

Uma aventura ao coração do cerrado


postado em 03/02/2016 11:00 / atualizado em 03/02/2016 15:23

A expedição ao Brasil central promovida pelo Terra Negra, instituição de educação voltada a produção de conteúdo livre na internet, partiu no dia 4 de janeiro de 2016 de Belo Horizonte numa manha chuvosa com a intenção de mostrar o cerrado brasileiro. Mas porque o cerrado? O cerrado é o segundo maior bioma do Brasil e é o único que tangencia praticamente todas as regiões do país.

Ângelo Bagni, Vitor Augusto, Percy, Marcelo, William e outros - professores e humanistas em busca das raízes brasileiras.(foto: Rafael Carrieri)
Ângelo Bagni, Vitor Augusto, Percy, Marcelo, William e outros - professores e humanistas em busca das raízes brasileiras. (foto: Rafael Carrieri)

Conhecer o cerrado é estabelecer um contato com o núcleo do território brasileiro e daquilo que podemos denominar de cultura sertaneja, apesar de toda essa importância é o bioma que sofre o maior ritmo de desmatamento.
A principal bagagem da expedição foi a montagem de uma equipe multidisciplinar, que contou com parte dos professores do Percurso Pré-vestibular, que permitisse estabelecer uma analise profunda das paisagens e que pudesse estabelecer conexões com as abordagens modernas educacionais, que orientam por exemplo as propostas de formulação do Enem. Além de conteúdo a equipe levou um arsenal de equipamentos com intuito de captar as melhores imagens , servindo como a base para a elaboração de um material áudio visual para ser disponibilizado gratuitamente na internet.

Expedição Terra Negra: mais de 8 mil km em trilhas pelo interior do Brasil. (foto: Rafael Carrieri)
Expedição Terra Negra: mais de 8 mil km em trilhas pelo interior do Brasil. (foto: Rafael Carrieri)

Após percorrer aproximadamente 8 mil km atravessando sete estados (Minas Gerais , Bahia , Goiás, Tocantins , Maranhão , Piauí e Pará) gravando mais de 60 videos, 52 Km de filmagens em drone e mais de 800 fotos. o grupo constatou a riqueza biológica , geológica e hidrológica impar do cerrado em parques e unidades de conservação extremamente representativos como os parques estaduais do Jalapão e Cantão e os parques Nacionais Chapada Serra das mesas no Maranhão e o parque nacional cavernas do Peruaçu no norte de Minas Gerais.

Seu Abelino e esposa: moradores do Jalapão. Uma das muitas histórias que serão contadas pelo Terra Negra.(foto: Rafael Carrieri)
Seu Abelino e esposa: moradores do Jalapão. Uma das muitas histórias que serão contadas pelo Terra Negra. (foto: Rafael Carrieri)

A riqueza cultural também impressiona, a equipe entrou em contato com comunidades quilombolas como a comunidade de Mumbuca no Jalapão , com comunidades indígenas como os Xacriabás no Norte de Minas Gerais e com comunidades ribeirinhas no Parque do Cantão. A maior preocupação do Terra Negra foi ampliar o conhecimento sobre essas culturas e dar voz a essas populações que são o verdadeiros guardiões do patrimônio natural e cultural do cerrado.
Infelizmente, foi constastado o avançado processo de degradação ambiental do cerrado, o avanço da sojicultura ,da pecuária , da silvicultura do eucalipto e o abandono do patrimônio histórico e cultural dessas regiões. Em breve, o Terra Negra irá publicar um livro e documentário em vídeo da expedição. Aguardem o lançamento.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade