Publicidade

Estado de Minas

UnB não vai mais adotar o Sisu; o edital será da própria universidade

Agora, os estudantes que quiserem concorrer a uma vaga devem indicar o Enem como critério classificatório


postado em 05/07/2019 16:52 / atualizado em 05/07/2019 17:08

(foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)

A Universidade de Brasília (UnB) mudou uma das formas de seleção para entrada nos cursos de graduação. Agora a instituição não vai mais adotar o Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Como justificativa, a UnB informou que o número de permanência dos estudantes que ingressam pelo Sisu era menor, se comparado ao vestibular e ao Programa de Avaliação Seriada (PAS). Além disso, o calendário estabelecido pelo Ministério da Educação (MEC), responsável pelo Sisu, e o acadêmico, da UnB, eram diferentes.

Com a alteração, os concorrentes vão continuar utilizando a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Mas, em vez de aplicá-la na plataforma do MEC, deverão se inscrever em edital próprio da UnB e indicar o Enem como critério classificatório. 

A promessa da UnB é que a nova seleção manterá o mesmo quantitativo de vagas que eram destinadas ao SiSU e valerá para ingresso no primeiro semestre letivo de 2020. A publicação do edital ainda não tem data prevista.

 

A mudança foi aprovada pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) em reunião no dia 27 de junho. Um dos coordenadores do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Renato Lucas de Carvalho, 27 anos, explicou que o grupo participou da reunião. Segundo ele, o debate ocorreu de forma correta. “Desde que a mudança não se dê de forma abrupta, e desde que venha a trazer melhorias para o sistema, não temos ao que se opor e acreditamos que essa é a proposta”, ressaltou.
 
Ele refutou a ideia de que a decisão tenha aspectos políticos. “A UnB vem tentando manter contato com o MEC e fazer algo nesse sentido político não é algo muito produtivo, porque estamos buscando o diálogo e não o rompimento com o governo”, destacou.

Outra mudança 

Outra alteração, também aprovada pelo Cepe, não vai mais permitir ao candidato do PAS e do vestibular alterar a pré-opção de curso, turno e campus ao ter acesso à nota individual, antes do resultado final da seleção. A retirada dessa etapa também valerá para o ingresso no primeiro semestre letivo de 2020.
 
O decano de Ensino de Graduação, Sérgio de Freitas, alegou que o uso desse sistema acabava por gerar uma grande incerteza entre os candidatos. “Muitas vezes, eles faziam a mudança da opção de curso de forma impulsiva e sem considerar sua verdadeira orientação vocacional”.


Publicidade