Publicidade

Estado de Minas

Confira as dicas para economizar na compra do material escolar

Preço dos itens aumentou, em média, 1,02% em 2019, segundo FGV


postado em 14/01/2019 18:07

Confira as dicas para economizar na compra do material escolar(foto: Educa Mais Brasil)
Confira as dicas para economizar na compra do material escolar (foto: Educa Mais Brasil)

A movimentação dos pais para comprar o material escolar começa no ano anterior, na tentativa de conseguir os melhores preços. Em 2019, o valor dos itens que compõem a lista exigida pelas instituições de ensino aumentou 1,02%, em média, segundo o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV/IBRE). Por isso, é importante considerar todas as alternativas para fechar o melhor negócio e evitar que haja desequilíbrio do orçamento familiar.


O primeiro ponto é prestar atenção nos produtos exigidos. A defesa do consumidor alerta que existem itens que são usados coletivamente e, portanto, não podem ser exigidos pela escola na relação de produtos individuais. Entre eles, estão papéis higiênicos, copos descartáveis, canetas para quadro branco ou magnético, giz (branco ou colorido), álcool hidrogenado ou álcool em gel, entre outros. Também não é permitido determinar as lojas, marcas ou modelos das mercadorias apenas listar as especificações de forma genérica uma vez que o consumidor deve ter a liberdade de pesquisa e compra. 


Em relação aos livros didáticos e paradidáticos, muitos pais escolhem comprar diretamente nas livrarias e/ou papelarias. No entanto, existem alternativas: as "feiras do livro" podem ser organizadas pelas escolas ou até mesmo pelos próprios pais, que vendem ou trocam os materiais entre si. A negociação pela internet também pode ser considerada e, às vezes, reduz os gastos em até 50%. Em todos os casos, é importante considerar o estado de conservação dos materiais. 


Para quem tem facilidade em ceder às vontades dos filhos, levá-los no momento de pesquisa pode ser uma armadilha anunciada. Deixá-los em casa pode ser a melhor estratégia para evitar dores de cabeça.
Mensalidade e bolsa de estudo


Entre todos os requisitos importantes para passar pelo período de volta às aulas com tranquilidade, a pesquisa da escola é a que mais pesa: em geral, é importante considerar o perfil do local e o dos filhos, a estrutura existente para dar suporte ao aprendizado e, principalmente, conhecer o valor a ser pago nos próximos 12 meses. 


Neste quesito, os pais podem receber descontos de até 50% nas mensalidades das escolas da educação básica por meio de bolsas de estudo do Educa Mais Brasil. As matrículas para o ano letivo de 2019 já estão abertas e incluem mais de 300 mil oportunidades em todas as regiões brasileiras. A contratação do benefício pode ser realizada diretamente no site www.educamaisbrasil.com.br.


Considerado o maior programa educacional nacional, o Educa atua há mais de 15 anos no país. São mais de 900 mil alunos beneficiados desde a implantação, em todos os níveis que incluem também o ensino superior (graduação e pós-graduação), cursos técnicos e profissionalizantes, cursinhos pré-Enem, entre outras modalidades.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade