Publicidade

Estado de Minas

Amadurecimento e nova perspectiva de vida são ganhos para quem decide estudar longe de casa

No entanto, a saudade costuma ser uma das principais reclamações


postado em 29/11/2018 18:04 / atualizado em 30/11/2018 17:41

Amadurecimento e nova perspectiva de vida são ganhos para quem decide estudar longe de casa(foto: Educa Mais Brasil)
Amadurecimento e nova perspectiva de vida são ganhos para quem decide estudar longe de casa (foto: Educa Mais Brasil)

Decidir sair de casa para morar longe da família não é uma decisão tão simples de ser tomada. E quando o motivo principal é para estudar as inseguranças aumentam. São muitas novidades para dar conta, como se adaptar em uma nova cidade, conhecer pessoas diferentes e se virar sozinho. Pode até parecer complicado à primeira vista, mas tem muita gente por aí tendo essa experiência e dando conta numa boa. 


Mas, se por um lado a saudade da família é uma companheira diária, por outro há ganhos, como amadurecimento, maior responsabilidade consigo e outra perspectiva de vida. "O fato de estar longe de casa força você a ter mais autonomia e ser mais independente. Por exemplo, aquele sapato que você coloca na porta do quarto e no outro dia aparece ‘magicamente’ limpo não acontece mais", brinca o estudante Matheus Leandro, 22 anos, que há um ano saiu de Salvador para estudar Direito na Pontifícia Universidade Católica, de Minas Gerais. 


De início, quem não ficou muito tranquila foi sua mãe, a farmacêutica Nívia Ferreira, que trabalha com consultoria de qualidade. "O coração apertou bastante. Fiquei muito receosa de não participar do dia a dia, de não poder acompanhar de perto com quem ele anda, com quem está, o que ele faz", explica. Mas, logo o coração de mãe aquietou um pouco e deu lugar a confiança e o desejo de que o filho caçula alçasse voos maiores. "Eu sempre incentivei os meus filhos a terem novos rumos na vida. Eu não sou aquela mãe que prende os filhos na barra da saia", complementa.


Mesmo tendo a possibilidade de estudar na mesma cidade, a decisão de ir para mais longe partiu do próprio Matheus que analisou estrategicamente instituições em todo o país. "Eu escolhi a PUC por conta do seu reconhecimento dentro e fora do Brasil. Além disso, é uma universidade que é muito bem classificada no ranking de faculdades de Direito", justifica o Matheus. Na avaliação do Ministério da Educação (MC), o curso de Direito da PUC Minas levou o conceito máximo (nota cinco). A graduação também integra com as melhores recomendadas pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

A parte financeira também é uma questão
Administrar com mais cuidado o que se gasta é um dos pontos que devem ter uma atenção redobrada de quem vai estudar fora de casa. No caso do Matheus e da Nívia, eles fizeram juntos, e com antecedência, um levantamento das necessidades mais básicas que ele teria. Há um orçamento fixo, mas nem sempre fecha com o mesmo valor. "Sempre surgem gastos pequenos fora do orçamento. Matheus também se preocupa em não pedir além do que ele precisa", conta a Nívia.


Com relação à despesa com moradia antes mesmo de se mudar de fato, Matheus já havia articulado um trabalho em um hostel que lhe garantiria a estadia. Felizmente, não precisou, pois casou de ter familiares na cidade que lhe deram uma amorosa acolhida. Mesmo assim, a atenção com dinheiro está sempre redobrada. "Eu tento ser o mais econômico possível e morar longe do meu núcleo familiar principal faz toda a diferença nesse aspecto. Como eu moro aqui com os meus familiares, despesas como luz, energia eu participo, mas de forma indireta. Nisso meus pais entram forte, eles são essenciais", explica. 


Como a PUC é uma instituição privada e o estudante ainda não conta com nenhum tipo de auxílio, além de buscar estágios e projetos de pesquisas, Matheus reforça os estudos para manter as boas notas e obter o título de aluno destaque para conseguir uma bolsa de estudo da própria instituição. De acordo com a PUC, é concedido 50% de desconto ao aluno "que obtiver o melhor rendimento acadêmico semestral por curso, turno e unidade".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade