Publicidade

Estado de Minas

Justiça decide nesta quarta-feira se Bruno e outros três réus irão mesmo a júri popular


postado em 09/08/2011 19:27

A 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais deverá decidir nesta quarta-feira, em audiência, se o goleiro Bruno Fernandes, seu amigo Luiz Henrique Romão, o Macarrão, seu primo Sérgio Rosa Sales e o ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, irão mesmo a júri popular. Os quatro são acusados de matar Elisa Samudio, ex-amante do jogador.

Em dezembro do ano passado, após mais de três meses de investigação e mais de 150 depoimentos colhidos, a juíza de Contagem, Marixa Rodrgues, decidiu que os quatro iriam responder pelo assassinato de Eliza. Bola também passou a responder pela ocultação do cadáver, que até hoje não foi encontrado. Tão logo a juíza anunciou sua pronúncia, os advogados que defendem os réus decidiram impetrar recurso para reverter o júri popular.

Outros quatro envolvidos no caso foram livrados do júri popular, pois deixaram de responder pelo homicídio. A ex-mulher do goleiro Bruno, Dayanne Rodrigues, a ex-namorada dele, Fernanda Gomes de Castro, o caseiro do sítio, Elenílson Vítor da Silva, e Wemerson Marques, o Coxinha ganharam a liberdade ainda em dezembro e passaram a responder em liberdade pelo sequestro e cárcere privado de Eliza e do filho dela com o goleiro, o Bruninho.

Apenas o motorista do goleiro, Flávio Caetano de Araújo, que também chegou a ser preso por suposto envolvimento no caso, foi livrado de todas as acusações.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade