Publicidade

Estado de Minas PERSONAGEM DA SEMANA

Goleiro Bruno, réu e galã, aguarda julgamento de habeas corpus


postado em 09/04/2011 07:04

Preso há quase 280 dias no Centro de Observação Criminalística (COC) da Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, Bruno Fernandes das Dores de Souza, ex-goleiro e capitão do time do Flamengo campeão brasileiro em 2009, está de volta às manchetes depois de muito tempo longe do noticiário. Na quarta-feira, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) julga pedido de liberdade para o jogador, preso desde 7 de julho de 2010, acusado de planejar e comandar o sequestro, a morte e a ocultação do cadáver da modelo Eliza Samudio, com quem teve um relacionamento amoroso do qual teria nascido uma criança, chamada carinhosamente de Bruninho.

A expectativa de Cláudio Dalledone Júnior, advogado do jogador, é conseguir a liberdade de seu cliente. O julgamento do habeas corpus teve início dia 6, mas o desembargador Doorgal Andrade pediu vista do processo e a decisão foi adiada para a próxima quarta-feira. Para o defensor do atleta, a atitude do magistrado demonstra, no mínimo, que há dúvidas quanto à manutenção do regime de prisão para Bruno e que as chances de ele vir a ser solto são grandes.

Caso a defesa obtenha sucesso, a libertação do goleiro não será imediata, uma vez que ele tem prisão preventiva decretada no Rio de Janeiro, onde é acusado de sequestro e tortura de Eliza Samudio, um episódio ocorrido em 2009, quando o jogador, seu amigo Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, e um outro homem teriam agredido Eliza e a obrigado a tomar um remédio abortivo, para impedir que o filho que ela dizia ser de Bruno nascesse. Assim, solto em Minas, ele seria encaminhado para o Rio, mas, como as acusações naquele estado são menos graves, Dalledone mantém o otimismo quanto à liberdade do jogador em um curto espaço de tempo.

Bruno também voltou ao noticiário nas reportagens publicadas pelo Estado de Minas domingo e segunda-feira, que revelam detalhes da vida do goleiro na prisão, as regalias de que desfruta, como só ter a cela trancafiada à noite, o banho quente e a inseparável e fiel companhia de Macarrão, que toda noite deixa sua cela, apanha um colchão e se acomoda no chão, ao lado da cama onde dorme o goleiro. As matérias também mostram o carinho que a avó de Bruno que o criou e a dentista Ingrid Calheiros, noiva do goleiro, lhe dedicam, visitando-o frequentemente e levando comidas e outros agrados.

GALÃ

As investigações sobre o desaparecimento de Eliza Samudio, além de revelarem uma trama macabra, trouxeram à tona a faceta de Bruno como um homem irresistível, sempre cercado por mulheres capazes de tudo por ele: a própria Eliza, Dayanne Rodrigues, com quem o jogador foi casado e tem duas filhas, Ingrid, atual noiva do goleiro, e a representante comercial Fernanda Gomes de Castro, que namorou Bruno em 2009 e 2010.

Dayanne e Fernanda são acusadas de envolvimento no sequestro de Bruninho, filho de Eliza, e no desaparecimento da ex-modelo e chegaram a ficar presas por vários meses. Dayanne vai a julgamento pelo sequestro da criança e pode ser condenada a até 3 anos de prisão. Já Fernanda foi pronunciada por sequestro e cárcere privado de Eliza e do seu filho e também poderá ser condenada a 3 anos de cadeia.
Quanto a Ingrid, a polícia afirma que ela não teve qualquer participação no crime e foi ouvida apenas como testemunha. Morando no Rio, a dentista, de 24 anos, tem direito a visita íntima. Uma vez por mês, passa 33 horas em companhia de Bruno, na Penitenciária Nelson Hungria. Além disso, nos outros fins de semana costuma ir ao presídio para levar alimentos para o goleiro e para Macarrão.

Mesmo com a polícia e a Justiça assegurando que Bruno foi o responsável pelo planejamento do sequestro e morte de Eliza Samudio, Dayanne, Fernanda e Ingrid mostram-se apaixonadas por ele e acreditam na sua inocência. Dayanne tem esperanças de uma reconciliação e diz que ainda sente algo pelo jogador. Fernanda, que voltou ao Rio depois de ser libertada, também falou do amor que tem pelo goleiro. E Ingrid mostra-se igualmente devotada, deixando o conforto de sua casa no Rio para passar horas trancada em uma cela, ao lado do ex-ídolo da torcida rubro-negra.


PASSO A PASSO DO CRIME
SEGUNDO O MINISTÉRIO PÚBLICO

21 de maio de 2009 Eliza Samúdio conheceu Bruno em um churrasco no
Rio de Janeiro e dele se engravidou. Bruno propõe acordo financeiro para
Eliza abortar. Ela não concorda

Julho de 2009 Os dois se encontram num hotel no Rio, onde Eliza estava hospedada por conta de Bruno. Ela é ameaçada pela primeira vez. Em agosto, é ameaçada de morte pela primeira vez.

Madrugada de 13 de outubro de 2009 Bruno atrai Eliza para uma conversa dentro de um carro e a ameaça com uma pistola, dando-lhe dois tapas no rosto. Ele, o amigo Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, de 25, e um homem não identificado, sequestram Eliza e a
levam para o apartamento do goleiro na Barra da Tijuca, no Rio. Ela é obrigada a tomar comprimidos e um liquido desconhecido para
provocar aborto. Eliza fica dopada por 12 horas e depois registra queixa na polícia. Com medo, vai para São Paulo, onde o bebê nasce,
em 10 de fevereiro de 2010. Eliza insiste com Bruno para ele reconhecer a paternidade da criança e pagamento de pensão alimentícia.

Em maio de 2010, Bruno atrai Eliza para o Rio de Janeiro, sob pretexto de fazer o exame de DNA, hospedando-a num flat na Barra da Tijuca

z 4 de junho de 2010 Macarrão e um primo de Bruno de 17 anos sequestram Eliza e seu filho nas proximidades do flat, colocando-a na Land Rover de Bruno. O menor estava armado com uma pistola calibre 380, luta com Eliza e a agredida com coronhadas na cabeça.Eliza e o bebê são levados para a casa de Bruno no Recreio dos Bandeirantes, no Rio. A amante de Bruno, Fernanda Gomes de Castro, de 33, auxilia a manter as vítimas no cativeiro e cuida do bebê.

Noite de 5 de junho de 2010 Bruno, Fernanda, Macarrão e o adolescente levam Eliza e o bebê de carro para Contagem, na Grande BH. Bruno e
Fernanda numa BMW e os demais na Land Rover. Eliza é mantida em cativeiro no sítio de Bruno, em Esmeraldas Bruno, Fernanda, Macarrão, a ex-mulher de Bruno, Dayanne Rodrigues do Carmo Souza, de 23, o primo do goleiro Sérgio Rosa Sales, de 23, o caseiro Elenilson Vitor da Silva, de 27, e os perueiros Wemerson Marques de Souza, de 24, e Flávio Caetano de Araújo, de 26, revezavam na função de carcereiro das vítimas.

Por volta das 20h30 de 10 de junho de 2010, Eliza é levada por Macarrão e o adolescente para o local da sua morte, na casa do ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, de 48, em Vespasiano, Grande BH, onde é morta. O bebê é levado junto.Bola, com ajuda de Macarrão, asfixia Eliza até a morte. Bola pega Eliza pelas costas, passa seu braço pelo pescoço dela e aplica o golpe conhecido como “gravata”, esganando-a. Macarrão dá chutes nas pernas dela. Bola desaparece com o corpo de Eliza, até hoje não localizado. Macarrão e o adolescente retornam ao sítio de Bruno. Eles, Bruno e Sérgio se reúnem para apagar vestígios da passagem de Eliza e do bebê pelo local. Na mesma noite, Bruno, Sérgio, Macarrão e o adolescente viajam para o Rio de Janeiro. O bebê fica no sítio aos cuidados de Dayanne. O nome dele é trocado de Bruno Samúdio para Ryan Yuri. Em 18 de junho, Dayanne retorna para o Rio e deixa a criança com Elenilson e Wemerson.

Em 25 de junho, Dayanne, que tinha voltado para Minas, pede para Flávio e Wemerson para desaparecer com o bebê. Eles entregam a criança para uma mulher e ela passa para uma outra, que deixa a criança aos cuidados da mãe dela. Denúncia anônima leva a policia ao bebê, em Ribeirão das Neves.


Os acusados

Sequestro e cárcere privado (pena de 1 a 3 anos),
homicídio qualificado (12 a 30 anos)
e ocultação de cadáver (1 a 3 anos)
Bruno Fernandes das Dores de Souza Luiz Henrique
Ferreira Romão, o Macarrão Sérgio Rosa Sales, o Camelo, primo de Bruno


Homicídio qualificado (12 a 30 anos)
e ocultação de cadáver (1 a 3 anos)
Marcos Aparecido dos Santos, o Bola

Sequestro e cárcere privado de
Eliza e de seu filho (1 a 3 anos)
Fernanda Gomes de Castro,
ex-namorada de Bruno

Sequestro e cárcere privado
da criança (1 a 3 anos)
Dayanne Rodrigues do Carmo Souza,
ex-mulher de Bruno
Wemerson Marques de Souza, o Coxinha,
amigo do jogador
Elenilson Vitor
da Silva, o Vitor,
caseiro do sítio do atleta

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade