Publicidade

Estado de Minas

Advogado de Macarrão espera que cliente fique calado em depoimento


postado em 09/11/2010 08:57 / atualizado em 13/09/2017 11:41

Um dos advogados de defesa do amigo do goleiro Bruno, Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, afirmou na manhã desta terça-feira que deseja que seu cliente fique calado. Américo Leal criticou a quantidade de versões para explicar o desaparecimento de Eliza Samudio. A declaração foi feita um dia depois de a ex-mulher do goleiro confirmar as informações contidas em uma carta escrita por ela e entregue ao promotor Gustavo Fantini. No documento, ela afirma que a intenção de Macarrão era eliminar Eliza e o filho.

Segundo o advogado de Macarrão, já existem quatro ou cinco versões diferentes para o crime. Leal ainda disse hoje ninguém sabe ao certo se Eliza esta viva ou não. Ele acredita ser pequena a possibilidade do seu cliente e dos outros réus serem levados à juri popular uma vez que não há comprovação do homicídio.

Além disso, Américo Leal defende que os advogados de defesa uniformizem os trabalhos para que os réus não saiam prejudicados. Nesta terça-feira, o primeiro réu a chegar ao Fórum de Contagem para a 13ª audiência de instrução do caso foi o primo do goleiro Bruno, Sérgio Rosa Sales. Ele chegou por volta das 7h30 e, cerca de uma hora depois, chegaram os outros dois acusados que prestarão depoimentos durante o dia, Flávio Caetano de Araújo e Wemerson Marques de Souza.

Os outros quatro réus do caso, Luiz Henrique Ferreira Romão, Marcos Aparecido dos Santos, Bruno Fernandes de Souza e Fernanda Castro devem ser ouvidos nos próximos dias.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade