Publicidade

Estado de Minas

Delegados do caso Bruno não serão mais ouvidos no Fórum de Contagem

Juíza acatou pedido feito pelo Ministério Público


postado em 15/10/2010 07:38 / atualizado em 15/10/2010 12:56

Alessandra Wilke, Edson Moreira e Ana Maria Santos seriam ouvidos nesta sexta-feira(foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press)
Alessandra Wilke, Edson Moreira e Ana Maria Santos seriam ouvidos nesta sexta-feira (foto: Paulo Filgueiras/EM/D.A.Press)
Os quatro delegados envolvidos nas investigações do caso do desaparecimento e morte de Elisa Samudio não serã mais ouvidos durante a fase de instrução do processo.Na noite de quinta-feira, a juíza do 1º Tribunal do Júri de Contagem, Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, acatou o pedido do promotor de Justiça, Gustavo Fantini, para que os policiais fossem dispensados nas audiências de oitiva de testemunhas.

 

No documento, o promotor alegou que Edson Moreira, delegado-chefe do Departamento de Investigações, Ana Maria Santos, delegada-chefe da Delegacia de Homicídios de Contagem, Alessandra Wilke, também da Delegacia de Homicídios de Contagem e Wagner Pinto, da Delegacia de Crimes Contra a Vida, estão sendo acusados de terem praticado irregularidades durante as investigações. Fantini explicou que, caso as acusações sejam comprovadas os depoimentos dos delegados seriam anulados.

Na manhã desta sexta-feira, a juíza continua ouvindo sete testemunhas de defesa dos acusados pelo Ministério Público pelos crimes praticados contra Eliza Samudio. A audiência vai acontecer no Fórum de Contagem e os nove acusados devem comparecer novamente às oitivas.

O pedido do promotor pode agilizar o processo da primeira fase do julgamento dos acusados. O grande número de testemunhas a serem ouvidas vem adiando a data em que os acusados serão interrogados pela Justiça.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade