Publicidade

Estado de Minas AGORA E SEMPRE

BH Beatle Week começa nesta quarta-feira com shows de bandas de MG, SP, RS e Argentina

De vozes femininas a figurinos mais do que especiais, evento traz shows, palestras e lançamento de livro


postado em 28/11/2012 08:37 / atualizado em 28/11/2012 09:01

(foto: Arte/ Janey Costa/ EM)
(foto: Arte/ Janey Costa/ EM)
Cover nada mais é do que copiar o original. Mas é claro que cada um faz do seu próprio jeito. É só olhar para a programação da BH Beatle Week, que começa nesta quarta-feira e promove, até sábado, shows, palestras e lançamento de livro sobre o universo dos Fab Four. Tem mulher cantando Beatles (a carioca Letícia Barbarella); grupo que usa as roupas que marcaram a trajetória de John, Paul, George e Ringo (Rubber Soul, de São Paulo); show só com o repertório de George Harrison (os gaúchos de Hare Georgesons); apresentação instrumental (Orquestra Ouro Preto) e uma formação com som mais pesado (Túnel do Tempo, também do Rio). Belo Horizonte, como não poderia deixar de ser, tem forte presença com formações como Hocus Pocus (veterana do Beatle Week original, em Liverpool), o power trio 3 of Us, Gleison Túlio e Keilla Jovi, Revolver e Anthology. Vem até banda da Argentina, a Star Beetles, que está fazendo turnê pelo país. O evento, que ocorre em vários locais da cidade, é apresentado pelo Estado de Minas e Rádio Guarani FM. Com promoção cultural da TV Alterosa e do Portal Uai e apoio oficial da direção do Cavern Club de Liverpool, a BH Beatle Week vai promover 21 shows. A programação vai além dos shows. Nesta quinta-feira, Tony Bamwell, que cresceu com George, Paul e John em Liverpool e trabalhou com os Beatles na Apple, autografa o livro Magical Mystery Tours – Minha vida com os Beatles. Ele ainda faz palestra na tarde de sábado, ao lado da brasileira Lizzie Bravo, que chegou a gravar com eles nos anos 1960 (ver destaque). Um dos organizadores é o cantor Aggeu Marques, que participa da Beatle Week inglesa desde 1994 – no sábado, ele faz show com o grupo Yesterdays em homenagem a Paul McCartney. Esteve lá por 10 ocasiões, com as bandas Sgt. Pepper’s, Hocus Pocus, além de um quarteto de cordas, formação que se apresentou na edição de 2012. “No Brasil, esta será a primeira Beatle Week de grande porte”, diz ele, que já está pensando na versão de 2014. Isso porque a do próximo ano já foi definida (5 a 8 de dezembro). “Estamos vendo se daqui a dois anos antecipamos para o período da Copa.”
A banda argentina Star Beetles se apresenta hoje no Circus Rock Bar(foto: Beatriz Moraes / Divulgação)
A banda argentina Star Beetles se apresenta hoje no Circus Rock Bar (foto: Beatriz Moraes / Divulgação)
Programação
Quarta-feira A partir das 23h Circus, Star Beetles (Argentina)

Quinta-feira A partir das 20h Fnac, noite de autógrafos do livro Magical Mystery Tours: My life with The Beatles, de Tony Bramwel, e pocket show com Pablo Castro A partir das 23h Circus, Rubber Soul (SP); Jack, Hocus Pocus e Anthology (MG); Lord Pub, Hare Georgesons (RS) e Gleison Túlio e Keilla Jovi (MG) Sexta A partir das 20h30 Palácio das Artes, Clube Big Beatles (ES) e Orquestra Ouro Preto (MG) A partir das 23h Circus, Hare Georgesons (RS) e Hocus Pocus (MG); Jack, 3 of Us (MG) e Letícia Barbarella (RJ); Lord Pub, Túnel do Tempo (RJ) e Revolver (MG) Sábado A partir das 15h Sala Juvenal Dias, palestras com Lizzie Bravo e Tony Bramwel A partir das 20h30 Palácio das Artes, Aggeu Marques e Yesterdays com Orquestra e grupo Voz & Cia (MG); Circus, Anthology (MG) e Clube Big Beatles (ES); Jack, Revolver (MG) e Túnel do Tempo (RJ); Lord Pub, Letícia Barbarella (RJ) e 3 of Us (MG)

John Lennon e Lizzie Bravo, em 1967(foto: Lucy Rigo / Divulgação)
John Lennon e Lizzie Bravo, em 1967 (foto: Lucy Rigo / Divulgação)
Perdida em Abbey Road Ao completar 15 anos, Lizzie Bravo pediu aos pais de presente uma viagem a Londres para conhecer os Beatles. Estamos falando de 1967, ano da grande virada estética dos Fab Four representada pelo lançamento de Sgt. Pepper’s. Lizzie chegou em fevereiro e, para ela, era somente uma questão de conhecer os ídolos. E não faltou esforço. Ela não contou aos pais que não iria voltar ao Brasil tão cedo (coisa que fez dois anos mais tarde). Durante um ano, foi dia após dia para a porta do estúdio Abbey Road. Um aceno, um autógrafo, as coisas não passavam disso. Até que um dia – 4 de fevereiro de 1968, um ano depois de sua chegada a Londres –, Paul McCartney foi até a porta dos estúdios e perguntou às fãs: “Alguma de vocês consegue sustentar uma nota aguda?”. Lizzie, que tinha cantado em coral desde criança, confirmou. Pois a mandaram buscar e, ao lado de uma amiga inglesa, entrou no antológico estúdio. A seu lado ela tinha Paul, John, George, Ringo e George Martin. Quando disse de onde era, Paul pediu à garota para cantar em ‘brasileiro’. “Fiquei com vergonha, não cantei. Hoje tenho raiva, pois sabia tanta bossa nova.” Durante um tempo, ela e a amiga ficaram ensaiando uma música (Across the universe). Não sabiam para que era. “Gravamos um monte de vezes no mesmo microfone que John e Paul. Uma hora eles foram para a sala de controle e ficamos eu, ela e o Ringo. Também cantamos sozinhas várias vezes.” Quando a sessão terminou, a amiga foi para casa e Lizzie ficou até de madrugada esperando a saída dos quatro. “A primeira vez que ouvi a canção foi no rádio, quando ainda morava lá. Mas o disco (Let it be, o canto dos cisnes dos Beatles) só saiu depois que já tinha voltado para o Brasil”, continua. Lizzie tem hoje 61 anos. Ao longo de mais de 40 anos viu os Beatles – à exceção de John Lennon, seu preferido – poucas vezes. Paul McCartney chegou a se lembrar dela durante um evento, em Nova York, quando ela trabalhava como fotógrafa. “Ele virou para mim e disse: ‘Por que me lembro de você?’. Aí contei a história da gravação.” Além da fotografia, Lizzie trabalhou como vocalista. Cantou com Milton Nascimento, Zé Ramalho, Sá e Guarabira e Joyce. Nos tempos do Som Imaginário, casou-se com Zé Rodrix (ela é “a esperança de óculos” da canção Casa no campo). Mas nunca deixou os Beatles de lado. Prepara-se para publicar o livro Do Rio a Abbey Road, com seu diário de adolescente. BH BEATLE WEEK Desta quarta-feira até sábado. Noite de autógrafos na Fnac (BH Shopping) e palestras na Sala Juvenal Dias do Palácio das Artes (Avenida Afonso Pena, 1.537) têm entrada franca. Shows no Palácio das Artes: R$ 50 e R$ 25 (meia); no Circus (Rua Gonçalves Dias, 2.010), Jack (Avenida do Contorno, 5.623) e Lord Pub (Rua Viçosa, 263): R$ 20 (feminino) e R$ 30 (masculino).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade