Publicidade

Estado de Minas

Conheça o álbum Abbey Road (1969)


postado em 21/11/2012 08:29 / atualizado em 21/11/2012 08:52

(foto: Don Mccullin. livro/ um dia na vida dos Beatles)
(foto: Don Mccullin. livro/ um dia na vida dos Beatles)
O último ano de existência da banda começou com uma apresentação no telhado da Apple em Londres, dia 30 de janeiro. Ao lado do tecladista Billy Preston (que participou das sessões de gravação dos álbuns Abbey road e Let it be), o grupo tocou as músicas Get back, Don't let me down, I've got a feeling, One after 909 e Dig a pony. Além de parte musical, de ser um grande tecladista (que mais tarde trabalharia com John Lennon, George Harrison e Ringo Starr, além dos Rolling Stones e Eric Clapton, sem citar a própria carreira solo), a presença de Preston no estúdio ajudou a amenizar o clima dentro do estúdio, que estava bastante desgastado por diferenças cada vez maiores dentre os integrantes. As cenas do último show fazem parte do filme Let it be, que foi lançado em 1970 e será relançado em DVD e blu-ray em 2013. Em 11 de abril, foi lançado o single Get back / Don't let me down, que foi um estrondoso sucesso, alcançando o número 1 em diversos países, inclusive Estados Unidos e Inglaterra. Em 30 de maio, outro single chegou às lojas: The ballad of John and Yoko / Old brown shoe. A primeira faixa, foi gravada apenas por Lennon e McCartney. Já a segunda, é de Harrison. O single chegou ao número 1 na Inglaterra e ao oitavo nos Estados Unidos, onde algumas rádios se recusaram a tocar a música, pois não gostaram da forma que as palavras “Cristo” e “crucificação” foram utilizadas no refrão. O álbum Abbey Road foi o último álbum gravado pela banda, porém foi o penúltimo a ser lançado, chegando às prateleiras em 22 de setembro de 1969. Dois grandes sucessos iniciavam o álbum: Come together / Something, que também foram lançadas como single (duplo lados A). A primeira surgiu para ser tema de campanha de Timothy Leary ao governo da Califórnia, nos Estados Unidos, mas após a prisão do candidato, Lennon a compôs para o álbum. Já Something, de George Harrison, é a segunda música dos Beatles mais regravada da história, atrás apenas de Yesterday. A ótima Oh! Darling (de Paul, creditada Lennon-McCartney), é uma típica balada da virada dos anos 1950 e 1960, com vocal rasgado e belíssima linha de baixo. Octopu's garden, é a segunda (e última) música de Ringo Starr com os Beatles. A hipnótica I want you, possui quase oito minutos de duração e a letra consiste apenas em I want you / I want you so bad / It’s driving me mad, it’s driving me / She’s so heavy heavy, heavy, heavy. É uma deliciosa jam session, com o tecladista Billy Preston roubando a cena no órgão. Já Here comes the sun (de George), é um raio de sol sobre os dias negros e turbulentos que o grupo vivia, no âmbito profissional, nas negociações de lucros e direitos autorais. O álbum é famoso também pela combinação de canções inacabadas da banda, que teve uma hábil “colagem” de Paul McCartney. A primeira delas é You never give me your money, que é referência aos problemas da banda em receber seus pagamentos, pois em vez de dinheiro, tudo que eles pareciam receber eram “funny papers” (recibos com demonstrativos de quanto recebiam). A sequência seguinte, de Lennon-McCartney (sendo que as três primeiras são de Lennon e a quarta, de McCartney), é a intimista Sun king, a alegre Mean mr. Mustard, a nervosa Polythene Pam e She came in through the bathroom window, sobre as fãs obsessivas da banda. Já a sequência seguinte, é das mais arrepiantes da história da música pop. Compostas por Paul (mas creditando Lennon e McCartney), Golden slumbers / Carry that weight / The end é o mais digno encerramento que a discografia da banda poderia ter. As duas primeiras foram gravadas juntas em um único take. The end, foi a última música gravada pelos quatro Beatles juntos. Her majesty acabou sendo a faixa posterior, pois ela estava planejada para medley após Mean mr. Mustard e antes de Polythene Pam, mas de acordo com Steve Turner, autor do livro The Beatles – A história por trás de todas as canções, Paul não gostou e pediu que fosse retirada. A música então, entrou no final da fita da gravação, entrando por último na gravação. Assista ao videoclipe da música Something:

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade