Publicidade

Estado de Minas

Paul McCartney inocenta Yoko Ono pelo fim dos Beatles

Em entrevista para a TV inglesa, Paul afirmou que a separação do grupo era inevitável


postado em 29/10/2012 12:39 / atualizado em 29/10/2012 13:03

Paul McCartney e Yoko Ono, se encontram em 2009(foto: AFP PHOTO/Shaun Curry)
Paul McCartney e Yoko Ono, se encontram em 2009 (foto: AFP PHOTO/Shaun Curry)
Paul McCartney encerrou um assunto que era motivo de acusações dos fãs do grupo contra Yoko Ono, que no final da década de 1960 era esposa de John Lennon. Entrevistado pelo repórter David Frost, McCartney defendeu Yoko. “Ela certamente não separou o grupo, pois os Beatles já estavam se separando há algum tempo”. O fim da banda foi anunciado em 1970, mas de fato a banda já tinha se encerrado no ano anterior. McCartney vai além e afirmou que Yoko foi ótima a Lennon, pois o influenciou a produzir grandes canções na década de 1970, como Imagine. “Acredito que ele não seria capaz de fazê-la sem Yoko, Parte da atração de Lennon era a respeito do lado vanguardista de Yoko e sua visão a respeito das coisas, mostrando a ele outra maneira de ser, o que foi muito atraente para ele. Era momento de John sair, ele definitivamente sairia, de qualquer forma”. Ao mesmo tempo, McCartney admite que a presença de Yoko durante as sessões de Abbey Road e Let it be foram desgastantes. A entrevista será exibida em novembro na versão inglesa do canal Al Jazeera.

 

Assista a banda tocando Get back, que segundo especulações, seria de Paul McCartney para Yoko Ono:

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade