Publicidade

Estado de Minas

BH Beatle Week traz bandas que levam o repertório dos Beatles para novos públicos


postado em 29/10/2012 08:05 / atualizado em 29/10/2012 08:14

(foto: Divulgação)
(foto: Divulgação)

Atenção, beatlemaníacos: reservem espaço na agenda entre os dias 28 do mês que vem e 1º de dezembro. Belo Horizonte será palco do primeiro grande festival dedicado ao famoso quarteto de Liverpool – a BH Beatle Week. Em quatro dias haverá shows de bandas da cidade e de outros estados, além de palestras e noite de autógrafos com Tony Bramwell, autor do livro Magical mystery tours – Minha vida com os Beatles e Lizzie Bravo, a brasileira que gravou e conviveu com o grupo. Com apoio do Estado de Minas e da Rádio Guarani, o festival é promoção cultural da TV Alterosa e do Portal Uai.

A “culpa” é do Clube da Esquina, avisa o organizador do evento, o músico Aggeu Marques. “Principalmente do Beto Guedes, do Flávio Venturini e do Lô Borges, os principais beatlemaníacos do movimento, que deixaram transparecer essa influência na música deles. BH encarna o espírito beatle como nenhuma outra capital. Hoje, isso prossegue com a geração do Samuel Rosa, do Skank, e a meninada de 13, 14 anos, que está descobrindo os Beatles com uma força incrível. Isso vai criar um cenário diferente no futuro”, diz ele.

O festival é uma extensão oficial da International Beatle Week, organizada anualmente na Inglaterra pelo Cavern Club. A edição deste ano foi realizada entre 22 e 28 de agosto, reunindo bandas cover de cerca de 20 países. “Já havia uma data agendada no Palácio das Artes para a minha apresentação com a banda Yesterdays e pensei em reunir a turma que gosta de Beatles num fim de semana. Desde 1994 frequento o festival em Liverpool. Na última vez, fui com outros olhos para observar como ele funciona”, conta Aggeu.

A conversa com os proprietários do Cavern Club foi tão boa que, além das atrações belo-horizontinas, confirmaram presença na semana mineira bandas cariocas, paulistas e capixabas, além dos argentinos da Star Beetles, atualmete radicados no Brasil.

De Belo Horizonte, estarão presentes Hocus Pocus, Anthology, Revolver, 3 of Us, Gleison Túlio, Keila Jovi, Yesterdays, Pocket Beatles e Pablo Castro. Dia 30, a Orquestra Ouro Preto apresentará clássicos dos Beatles, no Palácio das Artes.

A maioria dos grupos tocará, em média, duas vezes durante o festival, com apresentações marcadas em três casas noturnas da capital mineira: Circus Rock Bar, Lord Pub e Jack Rock Bar. No Palácio das Artes, além da orquestra, subirão ao palco os capixabas do Clube Big Beatles, o próprio Aggeu (que fará tributo a Paul McCartney com a banda Yesterdays), o grupo Voz & Cia. e a orquestra montada especialmente para a ocasião, além de convidados especiais. Esse será o show de encerramento da BH Beatle Week.

“O evento transcende o mundinho cover. A primeira preocupação das bandas é não serem repetitivas, mas mostrar repertórios diferentes. Além das canções dos Beatles, haverá músicas das carreiras solo de cada um dos quatro integrantes. Há muitos jovens descobrindo a música deles e gente mais velha disposta a relembrar. Essas canções são a trilha sonora da vida de muitas pessoas”, garante Aggeu. A expectativa é atrair 12 mil pessoas. Os ingressos dos shows no Palácio das Artes já estão à venda.

SÓ GEORGE

Entre as atrações da BH Beatle Week, chama a atenção a banda gaúcha Hare Georgesons, focada exclusivamente na obra de George Harrison. “Ele teve importância grande por sua genialidade e, ao mesmo tempo, simplicidade, além da sutileza, linha melódica de solos e da escolha de instrumentos e timbres. Muitas vezes, isso foi ocultado e passou despercebido por causa da genialidade de John e Paul, mas George sempre foi reverenciado pelos aficcionados por guitarra e por quem estuda os detalhes na construção das músicas dos Beatles”, afirma Patrick Bernardi, um dos integrantes do grupo.

Criada em 2011 e formada por Patrick (voz, violão, guitarra e ukulele), Bruno Peron (guitarra, violão e vocal), Eddy Silveira (baixo e vocal), Jazzner Messa (bateria) e Tiago Soares (teclado, violão e vocal), a banda interpreta composições da carreira solo de George e dos projetos de que ele participou, como a superbanda Traveling Wylburis.

Outro grupo de destaque é o Clube Big Beatles, do Espírito Santo. Formado em 1990, ele se apresenta na International Beatle Week desde 1994 e é o nome estrangeiro que mais tocou no festival inglês. “O rock é a música popular dos britânicos, então, a sonoridade acaba fluindo naturalmente. Mas os brasileiros não ficam atrás. A gente põe o sangue latino em cena e o resultado é diferente”, diz Edu Henning (percussão e gaita), que tem Léo Teixeira (voz e baixo), Mark Fernandez (guitarra, violão e teclado), Guto Ferrari (voz e bateria) e Emerson Faé (voz, guitarra e violão) como companheiros de banda.

ATRAÇÕES

>> Hocus Pocus (MG)
>> Anthology (MG)
>> 3 of Us (MG)
>> Revolver (MG)
>> Gleison Túlio e Keila Jovi (MG)
>> Pocket Beatles (MG)
>> Pablo Castro (MG)
>> Aggeu Marques e Banda Yesterdays (MG)
>> Orquestra Ouro Preto (MG)
>> Rubber Soul (SP)
>> Clube Big Beatles (ES)
>> Letícia Barbarella e banda (RJ)
>> Túnel do Tempo (RJ)
>> Hare Georgesons (RS)
>> Star Beetles (Argentina/Brasil)

Palestras:

>> Tony Bramwell. Autor do livro Magical mystery tours – Minha vida com os Beatles
>> Lizzie Bravo. A brasileira que gravou com os Beatles

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade