UAI
Publicidade

Estado de Minas MMA

Marvin Vettori comenta planos para retornar ao MMA em 2022; confira

Marvin Vettori voltará ao octógono no segundo semestre deste ano; o último combate oficial do lutador foi em outubro de 2021


27/05/2022 13:57

MMA - AV_Photographer/Pixabay
MMA (foto: AV_Photographer/Pixabay)
Sempre afiado nas respostas e obstinado em suas metas, Marvin Vettori está em uma intensa fase de treinamentos para voltar ao octógono com força total. Nesta entrevista com o time do Betway Insider em que fala sobre a carreira no MMA, o atleta italiano revelou como tem sido a rotina fora das competições oficiais, comentou o que acha de alguns adversários e até chamou um youtuber para lutar. 

Além do mais, Vettori disse ainda que não pretende mudar de categoria e o porquê. Apesar de ser ambicioso, ele prefere subir um degrau de cada vez, e para as próximas lutas promete mostrar a todos sua nova versão. 

Próximas lutas só no segundo semestre 


O último combate oficial de Marvin Vettori foi em outubro de 2021. Na ocasião, o italiano enfrentou o brasileiro Paulo Borrachinha e venceu. Agora em junho ele teria uma luta contra o neozelandês Robert Whittaker, porém, o oponente se machucou. É provável que a nova disputa entre os dois ocorra em Paris, no segundo semestre. 

Daqui alguns meses também que o atleta irá voltar para o octógono. O plano é ousado, e inclui derrotar o nigeriano Israel Adesanya, que há tempos domina a categoria peso-médio. Embora o desafio seja grande, Vettori está confiante no desempenho que tem apresentado nos últimos tempos. 

“Sendo um lutador de MMA, estou constantemente melhorando no boxe, no jiu-jitsu, no wrestling. Eu amo o wrestling, então estou sempre em melhoria contínua, independentemente do esporte. Também acho que melhorei muito depois da última luta [contra o Borrachinha]. Mal posso esperar pelo próximo encontro, para provar isso. Vocês vão ver a nova versão do Marvin Vettori. Aquele que vai reinar por muito tempo na categoria dos médios”, afirmou o atleta em entrevista ao site de apostas no UFC Betway.

Na mesma categoria e com uma academia 


Ao contrário de outros atletas, que buscam estar sempre em mudança, Marvin Vettori não deseja ir para outra categoria no momento. Por já ter uma carreira consolidada entre os pesos-médios (84kg), ele espera alcançar o cinturão - que atualmente pertence a Israel Adesanya. 

“Pensei em - talvez um dia - subir de categoria, para 205 lb (92 kg). Acho que tenho uma chance muito boa de ganhar o título. É que comecei com 185 lb (84 kg) e vou ganhar mais cedo com esse peso. Depois eu penso. Da última vez, foi só porque esse cara [Borrachinha] era tão pesado que eu tive que fazer isso [mudar o peso]. Não é um problema para mim, porque eu sempre luto com os pesos máximos”, afirma o italiano. 

Embora tenha tido experiências em outras categorias, esse não é o foco atual.  Mas, não, isso [mudar de categoria] não está nos meus planos agora. Vamos ver o que acontece no futuro”, destacou.

Para um futuro mais distante, Vittorino deseja ter a sua própria marca de academia, assim como outros nomes do esporte fizeram. No entanto, isso só irá ocorrer quando ele se afastar do octógono, já que, para ele, as disputas exigem uma dedicação completa dos atletas. 

“Espero que, no futuro, eu abra uma academia, mas agora eu não penso nisso, porque acredito que se você é atleta, deve investir 100% da sua energia em ser atleta, pelo menos até quando você for um atleta. E então, eventualmente, se você quiser ser um treinador, investirá 100% da sua energia em ser um treinador. Neste momento, isso [abrir uma academia] não está nos meus planos. Agora não penso nisso”, conclui.

A ideia de abrir uma academia também se relaciona com a forma pela qual o atleta enxerga o esporte na Itália. Para Vettori, o seu país de origem não é uma potência nessa modalidade, por falta de capacitação - e que ele pode ajudar a suprir no futuro.

“Não acho que exista um sistema que possa treinar atletas de elite que possam competir no mais alto nível, infelizmente. Então vai precisar de alguém que faça o que eu fiz, no sentido de sair, insistir, tentar treinar fora e, eventualmente, até mudar de país para atingir níveis mais altos. Eu realmente espero que isso aconteça rapidamente, mas vai demorar um pouco até que o MMA na Itália possa criar atletas de elite”, comenta o lutador que, como se percebe, está repleto de planos para si mesmo e para a comunidade esportiva.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade