Publicidade

Estado de Minas Inovação

Primeiro centro de inovação em cibersegurança é lançado no Brasil

Empresa está investindo na formação de profissionais e em startups


26/08/2021 13:35 - atualizado 26/08/2021 13:41

(foto: Cisco/divulgação)
(foto: Cisco/divulgação)

 
A Cisco Secure é líder mundial em segurança corporativa e tecnologia e tem investido em inovações que irão impactar o mercado nacional de segurança cibernética para empresas.

Durante a pandemia houve um crescimento exponencial da transformação digital em diversos mercados, como o food service, aplicativos de viagem, ead e infoprodutos. Segundo o Correio Braziliense, que trouxe a notícia em primeira mão, as redes sociais tiveram um aumento de 40% no ano passado, superando as projeções esperadas. 

Por outro lado, as invasões cibernéticas também têm avançado bastante, o que preocupa especialistas e causa insegurança nos consumidores. Uma pesquisa recente da Cisco relatou que 40% das empresas no mundo diagnosticaram uma ocorrência significativa de segurança nos últimos dois anos. 

Webinar sobre Defesa Anti-Ransomware

 
Como uma forma de abordar e explicar mais sobre o tema, o líder de cibersegurança da Cisco, Fernando Zamai, vai dar uma webinar no dia 2 de setembro, às 11 horas, onde irá fazer uma análise de funcionamento dos mecanismos usados para estes golpes virtuais, suas características e os principais desafios para detectá-los. 

Para aqueles que não estão familiarizados com a palavra Ransomware, se trata de ataques feitos por organizações criminosas que sequestram os arquivos das vítimas e exigem pagamentos como forma de resgate, geralmente feitos em criptomoedas. No ano de 2020 foi movimentado mais de 2 bilhões de reais com estes ataques. 

Segundo Ghassan Dreibi, diretor de segurança da Cisco para América Latina: “As fraudes e ataques cibernéticos ficaram muito eficientes e sofisticados. Isso acaba afetando todo mundo, enquanto o defensor continua esperando a invasão acontecer para poder agir”.
 

Cisco Secure Cyberhub 

 
Em junho a empresa anunciou uma parceria com a plataforma Distrito, onde juntas idealizaram o movimento CyberTech Brasil e lançaram também o Cisco Secure Cyberhub, o primeiro centro de inovação e experiências em segurança cibernética do país. 

“O objetivo é promover a discussão sobre segurança cibernética como um todo, com a mesma força que os agressores se estruturam, e nos preparar antes que o problema ocorra”, diz Dreibi. 
 

Profissionais capacitados


Esse mercado possui um gap de cerca de 3 milhões de pessoas, por isso, um pilar importante desse plano de colaboração, é a estruturação de uma boa formação e capacitação de novos profissionais. Assim é possível oferecer apoio operacional, consultoria ou venda de soluções.

A Cisco já era referência no setor, por causa do seu programa de formação Networking Academy, que trazia uma parte da grade curricular sobre segurança. Porém o curso tinha um foco mais voltado para redes e comunicação de dados, por isso, ele precisou passar por uma reformulação de acordo com a nova realidade existente. 

O programa conta com boas parcerias de grandes instituições de ensino, como o Centro Paula Souza, o Senai e a Escola de Comunicações do Exército Brasileiro. Trata-se de uma formação técnica que dá uma base inicial para aqueles que decidirem seguir carreira em Engenharia da Comunicação e outras áreas afins. Somente no último ano, o curso formou mais de 1.700 profissionais capacitados para atuar em cibersegurança. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade