Publicidade

Estado de Minas OPORTUNIDADE

Estágio intensivo só para negros tem inscrições abertas

Iniciativa de plataforma de recrutamento surge da necessidade de ampliar a diversidade no mercado de trabalho e de pesquisas revelarem que a maioria dos negros não passava em etapas finais de processos seletivos


postado em 12/06/2019 10:13 / atualizado em 12/06/2019 10:32

(foto: 99jobs MEM/Divulgação)
(foto: 99jobs MEM/Divulgação)


Diante da necessidade de ampliar a diversidade no mercado de trabalho, a plataforma de recrutamento 99jobs abriu inscrições da 2ª edição só para negros do estágio de férias intitulado "Melhor estágio do mundo" (MEM).

As inscrições e os testes on-line serão realizados até 18 de junho. Depois dessa  primeira fase, os candidatos selecionados vão passar por dinâmica presencial em 24 de junho.

O estágio ocorre durante as férias de julho e os pré-requisitos são estar na universidade, em qualquer curso, e estar em São Paulo, capital, durante o mês de julho.

Com uma grade de desenvolvimento acelerado, o estágio oferece aos jovens selecionados coaching e mentoria com profissionais de prestígio, vivência e imersão por um mês em grandes companhias brasileiras, nas quais eles têm a missão de propor uma solução estratégica para um desafio real dos negócios, além de 120 horas de atividades complementares de graduação.

A conclusão de que os negros não passam em etapas finais de processos seletivos de estágios veio da própria plataforma de recrutamento da RHtech 99jobs, com quase 3 milhões de usuários. "Lidamos com milhares de vagas todo mês e quando vamos a campo fazer as dinâmicas presenciais dos processos não encontramos os negros e, é mais raro ainda, vê-los nas etapas finais de estágios das empresas. Quando analisamos as edições do MEM de 2015 a 2017, temos uma forte estatística: dos 20 estudantes que foram contratados, apenas um é negro", alerta Du Migliano, co-founder da 99jobs.

Em 2018, quando criou a 1ª edição do MEM só para negros, a plataforma alocou um número maior dessa parcela no mercado de trabalho. E, em 2019, a expectativa é aumentar ainda mais.

Impactos do programa


De acordo com Du Migliano, a média de inscrições obtidas para o MEM dos anos passados é de 3.500 inscritos (500 candidatos para uma vaga). Já na primeira edição para negros, foram 500 inscrições. Número que, na visão do especialista, reflete o receio dos jovens em trabalhar em empresas que não têm negros no quadro de funcionários.

Paula Silva, uma das selecionadas pelo MEM em 2018, conta que ficou tão impactada pelo programa, que foi pesquisar quem havia ajudado a construir aquela oportunidade de estágio diferente das outras. Foi quando descobriu a Dahra Quintella, líder da área de cliente experience da 99jobs que, como mulher negra, chamou o projeto para si e ajudou na estruturação das etapas ao lado de Migliano.

Para chegar até esses estudantes, a recrutadora conta com o apoio de comunidades que os representam para divulgar as inscrições, além do apoio de influenciadores negros com voz ativa nas redes sociais e de ONGs como o Instituto Identidades do Brasil (ID_BR) que, por meio da campanha "Sim à igualdade racial", promove o engajamento de organizações e da sociedade civil em prol de ações afirmativas e do crescimento socioeconômico da população negra pela inserção no mercado de trabalho.

Du Migliano reforça que a necessidade das empresas criarem empatia com os jovens no Brasil é tão grande que, desde o início, buscou aproximar os gestores com o mesmo perfil dos candidatos para entrevistá-los e recrutá-los. "O que diferencia esse novo programa dos outros é que, com uma pesquisa em mãos, sabíamos de uma dor muito forte dos estudantes negros: que é a falta de representatividade nas empresas. Nosso banco de dados revelou que eles gostariam de ser selecionados em estágios por outros negros. Assim, as empresas participantes precisam aderir ao formato de colocar os colaboradores negros de diversas posições e cargos dentro da companhia para recepcionar os estudantes e contribuir para que tenham uma experiência acolhedora."

Conforme Du Migliano, a criação desse programa é mais um passo em direção ao propósito de provocar uma mudança no acesso ao mercado de trabalho, criando uma ponte entre candidatos e organizações que faça conexões com significado para os dois lados. "E os principais valores que os candidatos priorizam hoje são aqueles que levam ao fim de barreiras que tenham qualquer tipo de preconceito, porque o que separa algumas pessoas de outras, nem sempre é o mérito, e sim a oportunidade."

Inscrições:


Serviço
 
Os pré-requisitos? 
– Estar na universidade, em qualquer curso;
– Estar em São Paulo (capital) durante o mês de julho.

A seleção
– Inscrições e testes on-line – até 18/6
– Dinâmica presencial – 24/6
– Começo do estágio – 27/6


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade