Publicidade

Estado de Minas

DEAP/SC anuncia concurso com 600 vagas para agente penitenciário

A comissão organizadora do certame já foi definida


postado em 06/06/2019 10:00 / atualizado em 10/06/2019 05:09

(foto: Ariel Gomes/Governo do Ceará)
(foto: Ariel Gomes/Governo do Ceará)
Foi anunciado pelo governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, a realização de um novo concurso público para o Departamento de Administração Prisional estadual (DEAP/SC), que ofertará 600 vagas para o cargo de agente penitenciário. A comissão organizadora do certame já foi escolhida. 
 
A medida foi divulgada após uma audiência com representantes do Grupo de Monitoramento e Fiscalização (GMF) do Sistema Prisional do Tribunal de Justiça (TJSC) e está alinhada com o plano de segurança pública que tem permitido a redução dos índices de criminalidade. 

De acordo com o Governo do Estado, a contratação de novos agentes permitirá a abertura de unidades já construídas e a ampliação de equipes de plantão, reforçando o sistema prisional no Estado.

“Esse anúncio de mais 600 vagas para agentes do sistema prisional catarinense supre a demanda para ativação de novas alas, novas unidades prisionais e também futuras unidades que serão construídas. Esses agentes vêm para que a gente possa atuar nas unidades de forma adequada com segurança para os agentes e também garantir um tratamento adequado aos internos do sistema prisional”, afirma o governador. 

Último concurso

Em 2013 foi realizado o último concurso da DEAP/SC que ofertou 320 vagas para os cargos de agente penitenciário e agente de segurança socioeducativo. Para assumir os cargos foi necessário possuir curso superior. As remunerações variam de R$ 1.157,43 a R$ 3.298,68.

Os aprovados foram lotados nas regiões de Grande Florianópolis, Sul, Vale do Iatajaí, Norte Catarinense, Planalto Serrano – Meio Oeste, Oeste Lages e Região, Chapecó e Região e Florianópolis e Região. A seleção foi realizada por prova objetiva, prova de capacidade física, prova de aptidão psicológica vocacionada, exame toxicológico e investigação social. O certame teve validade de dois anos, sendo prorrogado uma única vez, por igual período. 
 
 
* Estagiária sob a supervisão de Lorena Pacheco  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade