Publicidade

Estado de Minas

PMSC vai abrir novo concurso com mais de 1.000 vagas

De acordo com a assessoria da corporação, a banca deve ser escolhida nos próximos 30 dias


postado em 13/02/2019 17:16 / atualizado em 15/02/2019 12:34

(foto: Divulgação/PMSC)
(foto: Divulgação/PMSC)
O governador do estado de Santa Catarina, Carlos Moisés anunciou, por meio das redes sociais, a abertura de um novo concurso público para ingresso na carreira policial militar, estando prevista a oferta de mais de mil vagas. 

“O ingresso de novos soldados fortalece o efetivo da PM e a nossa segurança pública como um todo”, afirma o governador Moisés. De acordo com publicação feita pelo órgão o processo para lançamento do edital será conduzido pelo departamento jurídico da PM. 

Segundo a assessoria, ainda não há previsão para cargos e salários que serão ofertados no concurso, mas a banca organizadora deve ser escolhida nos próximos 30 dias. 

Último concurso

O último concurso para admissão no curso de formação de soldados para ingresso no quadro de praças policiais militares (QPPM) ocorreu em 2015 e ofertou ao todo 658 vagas, sendo 619 para candidatos do sexo masculino e 39 do sexo feminino. 

A seleção foi realizada por inscrição, prova teórica, exame de avaliação de saúde, exame de avaliação física, exame de avaliação psicológica, questionário investigação social, entrega de documentação e exame toxicológico, classificação final por vaga e inclusão e matricula. 

A prova teórica contou com disciplinas de noções de direito - constitucional, penal e processual penal, noções de legislação institucional, língua portuguesa e noções de informática. 

Segundo o edital de concurso público para admissão no curso de formação de soldado para ingresso no quadro de praças policiais militares de Santa Catarina, os vencimentos recebidos a título de indenização de ensino, consistindo em valor de R$ 4.143,87, incluídos subsídio, indenização de serviço ativo e auxílio alimentação. 

Com relação a carga horária, os policiais militares podem ser empregados em duas atividades: as atividades fim, de policiamento ostensivo, ou atividades administrativas. As administrativas são de 8 horas diárias, normalmente em horário de expediente padrão do Estado. As atividades fim, por sua vez, respeitam as diversas escalas de emprego conforme modalidade (radiopatrulha, cavalaria, CRE etc), como, por exemplo, de 12X24 horas e 12X48 horas ou 18X56 horas, de acordo com as operações e missões.


Publicidade