Publicidade

Estado de Minas

Detran PA cancela prova para o cargo de agente de educação

Ao todo, são 79.392 inscritos no concurso público


postado em 11/02/2019 12:57

(foto: Divulgação Detran/PA)
(foto: Divulgação Detran/PA)
A Fundação de Amparo e Desenvolvimento de Pesquisa (Fadesp) divulgou o cancelamento da prova para agente de educação de trânsito do Departamento Estadual de Trânsito do Pará (Detran PA). A previsão para uma nova data para a aplicação da prova será divulgada até sexta feira (15/2).

De acordo com a nota publicada pela Fadesp (banca organizadora), o cancelamento foi decidido pela Secretaria de Administração do Estado (Sead) após um dos fiscais ter aberto o envelope de provas sem a presença de testemunhas. Não há comprovação de repasse da prova para terceiros, mas a atitude isolada do fiscal infringiu o artigo 9.21 do edital e configurou quebra de protocolo de sigilo e transparência adotado para todos os concursos que a Fundação executa.

O cronograma para o cargo de agente de fiscalização de trânsito continua o mesmo, contando ainda com avaliação médica, teste de capacidade física, avaliação psicológica, entrega de certidão negativa da vara de execução criminal e também farão curso de formação.  Já está disponível para consulta o gabarito oficial preliminar da prova

São 79.392 inscritos, sendo 53.060 concorrendo as 34 vagas para o cargo de agente de educação de trânsito e 26.332 para 66 vagas do cargo para agente de fiscalização de trânsito. O cargo de agente de educação de trânsito é o mais concorrido, com cerca de 1.560,59 candidatos por vaga. Já para agente de fiscalização de trânsito são cerca de 398,97 candidatos por vaga.

Todas as etapas do concurso serão realizadas em Belém (PA). A remuneração é de R$ 2.191,52, para jornadas de 30h semanais. O concurso público terá validade de um ano, contados a partir da data de publicação da homologação, podendo ser prorrogado por igual período.

A Fundação afirma que está adotando as medidas necessárias para responsabilizar os responsáveis pela quebra de protocolo e ajustar cada vez mais os procedimentos de segurança. Reforça também que a medida foi adotada porque a Fundação preza pela garantia de lisura, transparência e preservação do interesse público em seus procedimentos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade