Publicidade

Estado de Minas

Concursos autorizados no DF somam 1.375 vagas e salários de até R$ 28 mil

Alguns editais devem ser lançados ainda em janeiro


postado em 09/01/2019 10:00 / atualizado em 10/01/2019 06:33

(foto: USP Imagens/Divulgação)
(foto: USP Imagens/Divulgação)
Concurseiros interessados em atuar no Distrito Federal já podem concentrar as expectativas em ao menos sete concursos públicos que estão por vir. Alguns órgãos da capital federal já autorizaram a realização de certames e aguardam o lançamento de editais, sendo uns previstos ainda para janeiro. Ao todo, 1.375 vagas estão autorizadas.

As chances, distribuídas na Secretaria de Fazenda do DF (Sefaz DF), Procuradoriga-Geral do Distrito Federal (PGDF), Controladoria-Geral do Distrito Federal (CGDF),  Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag/DF), Serviço de Limpeza Urbano do Distrito Federal (SLU/DF), Defensoria Pública do Distrito Federal (DPDF) e no Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF), serão de níveis médio e superior e os salários podem chegar a mais de R$ 28 mil. 

Veja o que vem por aí:

Sefaz DF 

A Secretaria de Fazenda do Distrito Federal deve abrir um novo concurso com 120 vagas, sendo 40 imediatas e outras 80 para formação de cadastro de reserva. Poderão concorrer candidatos com nível superior em qualquer área de formação. A remuneração inicial da carreira é de R$ 14.970. O edital deve sair até 17 de janeiro.

A banca organizadora também já foi escolhida. O Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) será o responsável pelo concurso. O valor cobrado pela inscrição será R$ 55. 

A última seleção para o cargo de auditor da Sefaz/DF aconteceu há 16 anos, em 2001. O concurso foi de responsabilidade da Fundação Carlos Chagas (FCC). O edital abriu 200 vagas imediatas e também formou cadastro reserva. Na época, a remuneração inicial foi de R$ 3.553,07. Os candidatos foram testados apenas por meio de provas objetivas de conhecimentos gerais e específicos. 

Leia tambémVeja como garantir uma vaga de auditor fiscal da Secretaria de Fazenda do DF

DPDF

O próximo concurso da Defensoria Pública do Distrito Federal vai abrir sete chances para o cargo de defensor público de 2ª categoria, além de formação de cadastro de reserva. De acordo com a DPDF, a expectativa é a de que o edital seja publicado no primeiro trimestre de 2019.

O certame será organizado pelo Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe).

Para concorrer ao cargo, é necessário ter graduação em direito, registro na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e, no mínimo, dois anos de prática jurídica. O salário inicial para defensor é de R$ 22.589,59.

O último concurso para a função foi iniciado em 11 de abril de 2013 e ofereceu três vagas imediatas e 60 para cadastro reserva. O concurso foi válido até 23 de abril de 2018 e nomeou 117 candidatos, ou seja, o dobro do previsto para o cadastro reserva.

TCDF

(foto: Ed Alves/Cb/D.A Press)
(foto: Ed Alves/Cb/D.A Press)
O concurso para o Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) já foi autorizado  e deve oferecer 14 vagas distribuídas nos cargos de procurador (1), auditor de controle externo (7); de analista de administração pública – especialidade tecnologia da informação (3) e técnico de administração pública (3). 

As remunerações atuais variam entre R$ 10.801,13 e R$ 18.036,41, podendo chegar a R$ 17.167,31 e R$ 28.253,67.  Para os cargos de procurador, auditor e analista é necessário nível superior. Já para técnico, a exigência é de nível médio completo. 

O TCDF já instituiu três comissões que serão responsáveis pelos procedimentos relativos à realização do certame. A comissão responsável pelo concurso para procurador é composta pela procuradora-geral e por um procurador do MPJTCDF, além de um ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e um representante da Ordem dos Advogados do Brasil no DF. Três auditores do TCDF compõem a comissão para o concurso de auditor de controle externo. Por fim, a comissão responsável pelo concurso para analista de administração pública e técnico de administração pública é formada por um auditor, um analista e um técnico do TCDF. 

As comissões farão agora o planejamento do certame, que antecede as fases de contratação da banca organizadora e de elaboração dos editais. De acordo com o Tribunal, no planejamento, serão definidas as etapas do concurso e os conhecimentos exigidos para cada cargo. 

O último certame do TCDF ocorreu em 2014 e ofereceu 69 vagas. O Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cebraspe) foi o organizador. 

Ao todo, 28.808 pessoas se inscreveram.Concorreram à função de auditor 2.955 candidatos – cerca de 155 inscritos por chance. Para o posto de analista, foram 10.521 concorrentes - aproximadamente 276 por oportunidade. E o cargo de técnico da administração pública, com 12 chances, recebeu 15.232 inscrições - concorrência média de 1.269 por vaga. Os salários eram de até a R$ 12.401,38.

Seplag DF

A seleção da Seplag DF vai oferecer 750 vagas para gestor e analista. Do total de oportunidades, 100 são imediatas para o cargo de gestor e 150 para o cargo de analista. As outras 500 chances são para formação de cadastro de reserva. O edital deve ser lançado até abril de 2019. 

Para gestor, o salário inicial para 40 horas de trabalho é de R$ 6.760 e para analista é de R$ 4.480. Ambos exigem nível superior de formação. A maior parte dos novos profissionais atuará nas administrações regionais, profissionalizando assim a gestão pública. 

Leia também: Especialista dá dicas para concurso que vai oferecer 750 vagas para o GDF

SLU 

O Serviço de Limpeza Urbano do Distrito Federal (SLU/DF) vai oferecer vagas para ingresso na carreira Gestão de Resíduos Sólidos do Quadro de Pessoal do DF. Serão abertas 150 oportunidades para analista de gestão de resíduos sólidos, sendo 50 vagas de provimento imediato e 100 para formação de cadastro reserva.O edital deve ser publicado até 14 de janeiro de 2019.

Atualmente, o posto tem vencimento inicial de R$ 5.070, para 30 horas de trabalho, e R$ 6.760, para 40 horas. Este será o primeiro concurso do cargo, criado em 2006.

O órgão também já escolheu a empresa que será a banca organizadora de seu novo concurso público. De acordo com dispensa de licitação, caberá ao Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) a responsabilidade pela seleção.

PGDF

(foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)
PGDF deve abrir um novo concurso público com 100 vagas para ingresso na carreira de Apoio às Atividades Jurídicas do órgão. Desse total, 57 vagas serão para o cargo de analista jurídico e 43 para técnico jurídico. O edital deve ser lançado ainda em janeiro deste ano.

As remunerações iniciais são, respectivamente, R$ 7.760 e R$ 4.940, para 40 horas de trabalho semanal. Os valores, porém, podem subir até R$ 10.194,22 e R$ 6.489,62, de acordo com a progressão na carreira. 

De acordo com a assessoria da PGDF, as áreas dos cargos ainda estão sendo definidas pelo grupo interno de trabalho responsável pelo concurso. A Procuradoria informou também que o processo instaurado para realização do concurso encontra-se em finalização da fase interna, para contratação da banca examinadora.

O último concurso foi aberto em 2010, com 69 vagas, e foi organizado pelo Instituto Americano de Desenvolvimentos (Iades).

CGDF

novo concurso público da Controladoria-Geral local objetiva preencher vagas existentes para a carreira auditoria de controle interno do DF. Foram autorizadas 87 vagas para contratação imediata, além de 147 de cadastro de reserva.  

O cargo exige nível superior e oferece salário inicial de R$ 12.800, valor que pode chegar a R$ 17.558,15. Ainda não há previsão para o lançamento do edital.

Segundo a CGDF, no momento a comissão organizadora do certame está finalizando o termo de referência para a contratação da banca organizador que irá realizar o concurso. 

O último concurso da CGDF foi realizado em 2013 pela Fundação Universa. Foram abertas 60 vagas dividas nas áreas de finanças e controla (30) e planejamento e orçamento (30). Foi exigido nível superior em qualquer especialidade para concorrer. Foram aplicadas provas objetivas, discursivas, sindicância de vida pregressa, avaliação de títulos e curso de formação. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade