Publicidade

Estado de Minas EMPREGO

Programa de estágios de mineradora está com inscrições abertas em Minas

As oportunidades são para atuação nas operações de Nova Lima, Sabará e Santa Bárbara


postado em 04/01/2019 13:40 / atualizado em 04/01/2019 15:06

(foto: Ariel da Silva Parreira/Freeimages)
(foto: Ariel da Silva Parreira/Freeimages)

 
Até 8 de fevereiro, estudantes de nível técnico e superior podem se inscrever no programa de estágio da mineradora AngloGold Ashanti. Trata-se de uma das principais portas de entrada para profissionais na companhia.

As oportunidades estão abertas para atuação nas operações de Minas Gerais (Nova Lima, Sabará e Santa Bárbara). Podem se candidatar alunos do 4° período em diante, com previsão de formatura a partir de dezembro de 2019.

As inscrições devem ser feitas pelo aplicativo da TAQE.
Para mais informações, acesse os sites:

Na modalidade superior, os cursos com vagas são: administração, comércio exterior, comunicação social, direito, economia, engenharia ambiental, engenharia civil, engenharia de controle e automação, engenharia de minas, engenharia de produção, engenharia elétrica, engenharia mecânica, engenharia química, geografia, geologia, história, jornalismo, nutrição, psicologia, publicidade e propaganda, relações públicas e sistemas de informação.

Já na modalidade técnico, há vagas para os seguintes cursos: administração, automação, eletroeletrônica, enfermagem, manutenção, meio ambiente, metalurgia, mineração, química e eletrotécnica e segurança do trabalho.

Por dentro do programa
 
O programa de estágio da AngloGold Ashanti é uma oportunidade para os estudantes colocarem seus conhecimentos acadêmicos em prática e vivenciarem a realidade de uma empresa, que está entre as mais avançadas do mundo no campo da tecnologia de mineração.

Além do aprendizado técnico específico na área de formação, o estagiário participa de atividades de desenvolvimento de competências para atuação no mercado de trabalho.

Vale destacar que, com mais de 4 mil empregados diretos, as operações brasileiras respondem por 15% da produção global de ouro do grupo.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade