Publicidade

Estado de Minas Enem

Aprovado em Medicina depois dos 30

Conheça a história de Samuel, que saiu de Sabinópolis para virar Doutor "cada um tem seu tempo"


28/04/2021 12:10 - atualizado 28/04/2021 12:41

Meu nome é Samuel João dos Santos Santana, aluno do 6° período de Medicina e bolsista pelo ProUni, do Centro Universitário Metropolitano da Amazônia (UNIFAMAZ) em Belém-PA.
 
O que mais me perguntam: como um mineiro foi parar em Belém do Pará? Vou contar um pouco dessa história para vocês.
(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)
Eu sempre estudei em escolas públicas desde o pré-escolar, na comunidade Córrego Santo Antônio Zona Rural de Sabinópolis-MG, onde vivi com meus pais, até o ensino médio na Escola Agrotécnica Federal de São João Evangelista-MG na qual me formei em 2005 no curso de Técnico Agrícola.
 
A Medicina era um sonho de criança, porém quando findei o curso técnico, fui para o mercado de trabalho e só em 2011 chegou o tempo de realizar esse sonho. Nesses 6 anos sem estudar, atuei em diversas áreas, dentre elas Técnico Agrícola, mecânico de motos, instrutor de autoescola, motorista de caminhão, etc.
 
Naquele ano, fui para Belo Horizonte me preparar, estudei em vários cursinhos, porém sem sucesso. Pensei em desistir, minhas deficiências de anos sem estudar eram grandes e não tinha condições de arcar com uma preparação individualizada. Foi nessa época que, através da indicação de um amigo, conheci o Determinante Pré-vestibular, que possuía atendimento individualizado e resultados impressionantes em aprovação para o curso de Medicina. Consegui minha vaga em 2016 através do "Programa de bolsapara
alunos carentes".
(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)
Senti que ali estava minha oportunidade! No primeiro ano consegui dobrarminha nota na redação do Enem. Não fui aprovado, mas consegui superar meu primeiro obstáculo. Desse ano para frente, tudo mudou em minha vida.?
 
Em 2018, recebi a notícia: fui aprovado! Foi o dia mais feliz da minha vida e a noite mais bem dormida também, todos meus colegas e amigos do cursinho vibraram com a minha conquista. Tenho muita gratidão a todos professores que me ajudaram nesse caminho. Em especial aos professores Renato e Camila (do Determinante Pré-vestibular e Percurso Educacional) e ao professor Márcio (Certa Palavra). Consegui minha vaga através do ProUni em Belém do Pará. Eram apenas duas vagas disponíveis.
 
Tive duas felicidades: uma de ser aprovado em uma das melhores faculdades do Norte, que possui corpo docente invejável, além de excelente e moderna estrutura física, e outra de ela ser localizada em Belém do Pará que é uma cidade fantástica.
 
Comecei a faculdade aos 30 anos, ao contrário de muitos, não vejo a idade como um empecilho, muito pelo contrário, me sinto mais preparado e maduro, e vejo a Medicina de uma forma menos idealizada e mais profissional. Para mim, ter essa ótica, me leva a ter menos frustações durante os 6 anos de curso e me faz ter certeza que é a profissão que escolhi exercer.
 
Me sinto realizado, lembro do primeiro “Deus lhe pague” de um paciente e a gratidão maior foi minha por ter feito a diferença na vida de alguém. Nem tudo são flores, na vida acadêmica tem várias matérias que não nos identificamos, mas eu me apaixonei pela cirurgia quando fiz minha primeira sutura em uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e desde então minhas noites de sextas-feiras são de muito aprendizado e correria na urgência e emergência, ainda não tenho certeza em qual área me especializarei, o que é muito comum, contudo, sei que ajudarei muitas vidas, nem que seja com uma palavra de conforto, pois elas salvam vidas e almas.
(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)
Todavia, a vida não se resume em faculdade, estágio e correria, também sobra tempo para socializar, equilíbrio é fundamental para manter a saúde mental; atividades religiosas, festas, boteco ou Mercado Ver-o-Peso, lugar onde mais gosto de ir em Belém. Tudo isso fazem parte do processo de formação. Sendo assim, vai um conselho para os estudantes e futuros estudantes de todos os cursos, aproveitem bem a faculdade, seus professores as atividades extras curriculares, festas, ligas acadêmicas, etc.
 
O tempo passa muito rápido e com ele as responsabilidades chegam e ele também fica cada vez mais escasso. Outro dia mesmo eu chegava em terras paraenses e era calouro, hoje já estou na metade do curso, o caminho é longo, às vezes dolorido, mas vale cada minuto vivido.
 

Com o apoio dos meus pais e meus dois irmãos, os quais serei eternamente grato, pois sem eles nada disso teria acontecido, sai de Minas Gerais no início de agosto de 2018 num frio de 8°C e cheguei a Belém em pleno verão de 40°C, dois extremos, (no Norte são duas estações: quente e muito quente) aqui fiz alguns amigos e conheci minha namorada, os quais se tornaram minha família, foram e são peças fundamentais para a minha adaptação nesse “novo mundo” Belém é uma cidade muito acolhedora de uma cultura riquíssima, com muitas peculiaridades, no almoço temos peixe frito com açaí e à noite o famoso Tacacá. Também não poderia esquecer da chuva tropical da tarde, que sempre após ela, há um compromisso previamente marcado a se cumprir. Sim! Marcamos os “trem” após a chuva. O Pará ainda é um estado pouco conhecido, temos lindas ilhas, praias de rio e sal, natureza exuberante e o pôr-do-sol mais lindo que conheço, vale a pena vir conhecer Marajó, Alter do Chão e quebrar paradigmas e preconceitos errôneos sobre a região. Hoje quando me perguntam porque escolhi Belém, eu digo que foi Belém quem me escolheu.

 
Artigo do Percurso Educacional e futuro Dr Samuel João

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade