Publicidade

Estado de Minas Enem

Exercitando a Mente e o Corpo

Para se dar bem na Saúde e no Enem


23/03/2021 10:25 - atualizado 24/03/2021 09:38

Na prática de esportes, como a musculação, você já parou para pensar por que em alguns aparelhos acha mais fácil e consegue “levantar mais carga” que em outros?
 
Então, vamos lá...
 
Bom, além da anatomia do músculo, ou sua potência, alguns fatores influenciam no quanto você consegue pegar em cada exercício. Como professor de física, vou me limitar aos conceitos físicos em aplicações de alavancas/torque, sistema de roldanas, plano inclinado, etc.
Professor Física Franklyn Laporte(foto: Percurso Educacional)
Professor Física Franklyn Laporte (foto: Percurso Educacional)
Começamos com um exercício para ombros, a elevação lateral ou flexão de ombros. O exercício que é feito com o braço esticado, semi-flexionado e segurando o altere. Como o peso fica na extremidade oposta ao ombro, seu braço funciona como uma alavanca. Enquanto tenta elevar o braço, lateralmente, o Halter dificulta tal movimento durante todo o tempo, tentando ‘’ jogar seu braço para baixo’’. Com o músculo que está sendo ativado, você faz força contra a ação do peso que está segurando. Como o musculo exercitado é relativamente pequeno, é preciso uma força muito intensa.
Professor Física Franklyn Laporte(foto: Percurso Educacional)
Professor Física Franklyn Laporte (foto: Percurso Educacional)
De acordo com os conceitos de torque, a tendência de giro devido a aplicação de uma força, é tão maior quanto for a distância entre os pontos de aplicação dessa força e o ponto fixo, esse último, no caso do exercício, o ombro. Assim, o altere tem uma maior capacidade de girar seu braço para baixo de forma proporcional à distância que ele estiver do seu ombro, comparando ao músculo exercitado. Por esse motivo é difícil ver pessoas realizando esse exercício com cargas elevadas. Também por esse motivo, com o músculo já fadigado, pegar mais peso que o adequado facilita a execução exercício, por ‘’ roubar’’ dobrando o braço e diminuindo o tamanho da alavanca assim como no crucifixo deitado no banco.
 
Mudando de exercício, vamos exercitar seus tríceps...
 
Um dos aparelhos utilizados é o cross-over, porem a academia está lotada, você não quer esperar, nem revezar. Decide então, executá-lo no pulley. Você consulta a sua ficha, seleciona o peso indicado, e pensa: “esse negócio ‘tá’ mais pesado que o normal”
 
Bom, o que acontece é o seguinte, no cross-over existe uma roldana móvel acoplada ao suporte onde se encontram os pesos, ela sobe e desce enquanto você executa o exercício
 
“E daí?”
 
E daí que cada roldana móvel divide o peso pela metade para ser sustentado por cada cabo em
volta dela, então, como somente um desses cabos de aço é puxado por você, acaba fazendo
força para a metade da carga selecionada.
 
“Como assim?”

Enquanto isso, o pulley não é dotado dessa alavanca móvel, logo, toda a carga selecionada é movimentada.
 
Já percebeu que o ‘’ tríceps corda’’ é mais difícil de executar que o mesmo exercício feito com uma barra?
 
Se deve ao fato de com a barra seus braços ficam paralelos entre si, distribuindo igual e exatamente pela metade, para cada braço, a força necessária para o exercício. Enquanto com a corda, quando seus braços estão quase totalmente estendidos, acaba afastando um do outro (pelo menos o é o intuito) aumentando a força aplicada devido a decomposição de vetores.
 
Lembra do bendito plano inclinado? Não? Então dê uma olhada a seguir

Você se lembra do desespero para decompor o vetor da força Peso para encontrar a componente Px?
 
Lembra também que essa componente era a responsável por puxar o bloco para baixo?
 
Então, esse é o princípio básico para o funcionamento do Leg-press livre. Perceba que o suporte é inclinado, logo, daqueles vários quilos que são colocados, você faz força para sustentar ou movimentar somente o Px das anilhas. 
(foto: Freepick)
(foto: Freepick)
Mas, calma lá, não fique encucado com tudo isso e sair aumentando sua carga na academia. Tanto a carga, quanto os exercícios, são elaborados e selecionados pelo seu educador físico. Ele é o profissional que sabe muito bem o que deve fazer e o quanto deve selecionar na carga, consulte-o sempre, senão, o maior prejudicado pode ser você mesmo. E claro, minha ideia não é mostrar que está sendo enganado pelos aparelhos durante seu treino de musculação, quero mostrar curiosidades e aplicações da física no seu cotidiano, até mesmo quando se diverte, treina e cuida da sua saúde.
 
Então, ótimos treinos pra você, seguindo sempre seu professor/instrutor, cuidado na hora de desmontar o supino, não deixe peso demais em um dos lados, evitando o torque agir, derrubando a barra com os outros pesos, fazendo você passar aquela vergonha na academia.
 
Cuidado também ao fazer o agachamento livre. Deixe sempre a barra alinhada com seu centro de gravidade (próximo do umbigo) e seus pés, por que se esse centro de gravidade deslocar demais, vai acabar caindo.
 
Ah, já ia me esquecendo...
 
Se você tem o hábito de treinar gritando, gemendo, urrando, saiba que a onda sonora que está emitindo é uma propagação de energia, que poderia muito bem estar economizando para melhorar seu rendimento no treino, além de ser extremamente desagradável.

Até a próxima,
 
Abraços.

Artigo de Física do Professor Franklyn Laporte e Percurso Pré-vestibular e Enem 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade