Publicidade

Estado de Minas MEIO AMBIENTE

Alunos refletem sobre ciência sustentável para elaboração de projetos

Medidas de sustentabilidade buscam criar formas de integração dos alunos com a natureza e a importância de sua preservação


postado em 28/10/2019 15:30 / atualizado em 28/10/2019 16:41

Os alunos do Colégio Loyola estão aprendendo a não desperdiçar e a reaproveitar os alimentos(foto: Loyola/Divulgação)
Os alunos do Colégio Loyola estão aprendendo a não desperdiçar e a reaproveitar os alimentos (foto: Loyola/Divulgação)


Projetos que reforcem a importância da sustentabilidade e apresentem soluções que beneficiem o meio ambiente. Essas são as principais propostas dos projetos na área de ciências em várias escolas de Belo Horizonte.
 
No colégio Bernoulli Go, na Região Centro-Sul da capital mineira, a mensagem é: refletir formas de reagir à natureza de forma a não comprometer as futuras gerações. Segundo Mariana Vasconcelos, professora do 2º período do ensino infantil (5 e 6 anos), a sustentabilidade é uma questão urgente. “Com o consumo aumentado, é preciso repensar a utilização de recursos.”
 
Para isso, o colégio está trabalhando em três frentes: horta pedagógica, culinária e educação financeira. Os projetos atuam de maneira interdisciplinar, todos conscientizando as crianças de que o meio ambiente precisa ser uma preocupação constante. “Não é restringindo as atividades a datas comemorativas e sim, planejando ações durante todo o ano”, explica Mariana.
 
No caso dessa turma, os 20 alunos trabalham a questão da produção do lixo, com destaque para a coleta seletiva e redução da quantidade de lixo produzido. “O interessante é que, ao longo dos projetos, as crianças se tornam agentes de mudança, separando o lixo em sala de aula, reduzindo o uso do canudinho plástico, descobrindo quanto tempo o plástico demora a se desintegrar, os pais começam a ter uma outra atitude de enviar suco natural ou água mineral na merenda em vez de suco de caixinha, e por aí vai”, comenta a professora.

Outra questão abordada com o grupo foi a horta pedagógica. Eles plantam, colhem, aprendem a cultivar produtos como orégano e os benefícios dos alimentos naturais. “Paralelamente, também ensinamos a eles a diferença entre sacola plásticas e ecológicas”, acrescenta.
De acordo com a professora, o próximo passo é trabalhar a compostagem (ou seja, o reaproveitamento do lixo orgânico), transformando o material em adubo. “Quanto mais novas, as crianças são mais abertas”, destaca Mariana.

Os alunos do Colégio Bernoulli Go preparam a Feira de Ciências com a professora Mariana Vasconcelos (foto: Bernoulli/Divulgação)
Os alunos do Colégio Bernoulli Go preparam a Feira de Ciências com a professora Mariana Vasconcelos (foto: Bernoulli/Divulgação)

 

USO INTELIGENTE

No colégio Loyola, também na Região Centro-Sul de BH, 210 alunos do 2º ano do ensino fundamental (7 e 8 anos) estão trabalhando o tema sustentabilidade e o uso inteligente dos recursos naturais. Divididos em grupos, vários aspectos estão sendo abordados, como o uso da água de forma consciente, ações de sustentabilidade em BH, o não desperdício dos alimentos, a questão do lixo do fundo do mar, invenções sustentáveis, entre outros, com questões e soluções reais.
 
Enquanto um grupo apontou pessoas e empresas notáveis em BH, outra turma desenvolveu medidas de sustentabilidade no colégio e em casa. Outros coletaram óleo de cozinha para posteriormente produzir sabão em barra, evitando que o óleo, altamente poluente, fosse para as pias das casas. A professora acrescentou que os alunos estão altamente motivados, são muito curiosos nessa idade e sempre buscam soluções para os problemas. “Um grupo, por exemplo, visitou uma fazenda de alimentos orgânicos e descobriu como se faz uma composteira caseira para o reaproveitamento desses alimentos”, explica.
 
Alexandre Mesquita Sampaio tem 8 anos e adorou a experiência de trabalhar em casa o consumo consciente. “Aprendemos sobre as propagandas enganosas e a fazer uma economia consciente. Lá em casa, começamos a comprar menos e agora olhamos o prazo de validade dos produtos.” Segundo Nalu Magalhães, coordenadora pedagógica de série do 2º ano do ensino fundamental, os alunos também passaram a entender melhor o funcionamento dos captadores de água de chuva. “Com a economia dessa água, no período de chuvas, foi possível inclusive lavar as quadras, aguar as plantas”, disse. “Todos esses projetos foram pensados como práticas coletivas, sempre visando a sustentabilidade”, finaliza.
 
O projeto Você é o Investigador, do Colégio Santa Marcelina, foi realizado em cinco aulas de ciências, em um espaço próprio para a pesquisa (foto: Colégio Santa Marcelina/Divulgação)
O projeto Você é o Investigador, do Colégio Santa Marcelina, foi realizado em cinco aulas de ciências, em um espaço próprio para a pesquisa (foto: Colégio Santa Marcelina/Divulgação)
 
 
No Colégio Santa Marcelina, na Região da Pampulha, os alunos do 6º ano se transformaram em verdadeiros pesquisadores. Segundo Michele Caroline Adami de Araújo, professora de ciências do 6º e 9º anos e coordenadora da Área de Ciências da Natureza da instituição, foi criado um projeto de investigação, Você é o Investigador, uma prática metodológica em que os alunos fazem conexões com o que ocorre dentro e fora da escola. O projeto foi realizado com as quatro turmas.
 
Michele explica que, por meio de uma situação-problema, as crianças (de 11 anos) foram desafiadas a resolver um mistério em uma lagoa de uma cidade hipotética. “Nessa aula, eles trabalharam em pequenos grupos e puderam desenvolver o raciocínio crítico, a criatividade, a autoaprendizagem e também o trabalho colaborativo”, comenta.
 
O objetivo era ajudar o prefeito a descobrir o motivo da morte dos peixes, uma vez que a lagoa tinha um papel muito importante para a cidade – era a única que eles tinham. “Foi dado a eles um diálogo entre o prefeito e um biólogo, que continha os dados sobre a cidade, quem usava a água e quanto tempo esse problema estava acontecendo”, explica a professora. Segundo Michele, os alunos se envolveram, buscaram possíveis soluções e entenderam a importância de que cada indivíduo saiba que o ambiente limpo é fundamental para a saúde de todos. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade