Publicidade

Estado de Minas

Sem fake news: UFMG alia redes sociais e ciência contra a COVID-19


28/04/2021 13:57

O ano de 2021 demonstra que a luta contra o novo coronavírus ainda não chegou ao fim: no Estado de Minas Gerais, diversos leitos hospitalares ainda se encontram em capacidade máxima, e medidas de lockdown são constantemente adotadas para tentar frear o avanço da pandemia.

Neste contexto, o papel da tecnologia em nossa vida cotidiana cresce constantemente, dos estudos ao trabalho, é quase impossível atravessar a quarentena sem depender de dispositivos como o aparelho celular e computador. Mas a aliança entre a tecnologia e as ciências da saúde pode ir além de simplesmente suportar nosso cotidiano: o uso inteligente das redes sociais e dos dados coletados por smartphones pode ser uma ferramenta excepcional para o combate à pandemia, direta ou indiretamente.

É por isso que a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) têm investido para que seu departamento de microbiologia crie material acessível e de qualidade para informar ao público sobre novas descobertas, divulgar guias de comportamento seguro durante o lockdown, e principalmente, desmentir as notícias falsas que colocam em risco a vida da população em todo o país. Confira.

Podcast MicroBios: uma dose de 15 minutos de informação

Os podcasts são, para muitas pessoas, a evolução das estações de rádio, consistindo em programas de áudio que podem ser escutados durante a faxina, ao andar de carro, no fone de ouvido em um ônibus, ou em qualquer outra situação onde não precisamos prestar tanta atenção.

Embora atualmente diversas plataformas de podcast exijam pagamentos ou, em muitos casos, possuam programas exclusivos para alguns países, exigindo o uso de um app de VPN capaz de desbloquear sites como Netflix e Spotify estrangeiros, o podcast MicroBios da UFMG é grátis e pode ser acessado através de qualquer aplicativo de Podcasts, como o Apple Podcasts, Google Podcasts, Overcast e até o próprio Spotify.

O programa lida com a interação entre a microbiologia e a vida cotidiana, tratando de tópicos importantes como "o que são os vírus?", "história da microbiologia", e respondendo perguntas como "posso comer o resto do pão se encontrei uma fatia mofada?". Apesar do formato em áudio e com episódios curtos, a equipe se preocupou com a acessibilidade, divulgando vídeos em LIBRAS para quem precisar. Todos os roteiros são produzidos por uma equipe técnica da própria UFMG, e revisados pelo departamento de microbiologia.

Cartilha de Sobrevivência à Pandemia

Outra iniciativa da UFMG para alertar a população durante o período de quarentena é a criação de um Guia de Sobrevivência em formato PDF, legível em computadores e smartphones, traduzindo as principais recomendações de especialistas e da Organização Mundial da Saúde em uma série de ilustrações rápidas e de fácil entendimento.

O guia pode ser baixado gratuitamente nas redes sociais do projeto @MicroUFMG, e ensina o uso devido da máscara, produtos de limpeza eficazes contra o vírus, dúvidas frequentes quanto às medidas que funcionam ou não funcionam, e até mesmo como co-habitar com alguém infectado. O guia, juntamente aos outros esforços de divulgação científica sobre o coronavírus nas redes sociais do projeto, recebeu o título de Destaque da Extensão em 2020, nomeado pela Proex, responsável pelo financiamento das atividades de pesquisa.

Smartphones como ferramenta contra a COVID

O uso de smartphones, com seus sensores avançados e acesso imediato à internet, é debatido desde o início das medidas de quarentena no Brasil. No entanto, alguns esforços geraram polêmicas: O rastreamento de contatos, por exemplo, permite que os celulares armazenem informações sobre o trajeto de pessoas que cruzaram seu caminho, podendo alertar os usuários sobre possíveis contatos com a doença. Embora este recurso possa ser desligado, outras formas de monitoramento como o uso de torres de rede de telefonia móvel para identificar a posição do usuário só podem ser desligados através do uso de VPNs ou modo avião.

A importância da privacidade digital é um tema que tem ganhado força nos últimos anos, principalmente graças aos abusos por parte de Governos e grandes corporações sobre os dados coletados, ou como vivemos recentemente, os vazamentos de dados pessoais dos usuários. Especialistas em segurança digital também notaram o aumento da preocupação quanto à privacidade:

"Com manchetes nos lembrando diariamente que empresas e governos estão coletando nossos dados pessoais sem nosso consentimento informado e, muitas vezes, fazendo uso indevido ou deixando de protegê-los, não é de admirar que os consumidores em todo o mundo estejam se tornando mais protetores de seus dados. As pessoas estão realmente acordando para a necessidade de controlar a privacidade e a segurança online." Harold Li, vice-presidente, ExpressVPN.

E esta é apenas uma pequena porção dos danos que a coleta indevida de dados pode ocasionar ao público: o uso de plataformas direcionadas de anúncios e posts promovidos em redes sociais permitem a manipulação da opinião pública sobre fatos científicos, deturpando a compreensão sobre medidas como a vacinação e quarentena. É por isso que é importante ficar atento a perfis verificados e íntegros, como o projeto da microbiologia da UFMG, seguindo as boas práticas para combater notícias falsas e desinformação, ou seja, através do uso ético da tecnologia contra a doença e à favor da imprensa precisa e ciência.

A UFMG é, atualmente, uma das universidades mais bem conceituadas no país, e seus programas de microbiologia e graduação nas áreas da saúde e biologia são uma excelente oportunidade para o público mineiro. E agora, com a internet, podem alcançar todo o país. Confira também o robô que identifica sintomas da COVID-19 via WhatsApp.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade