Publicidade

Estado de Minas

Dentistas e médicos se juntam à expedição Alma Pantaneira e levam atendimento às áreas remotas do Pantanal


05/11/2020 19:34

Mesmo durante a pandemia, o grupo decidiu seguir a missão de oferecer atendimento à população carente do bioma

Divulgação
Divulgação

A jornada é de aproximadamente 12 dias, mas os desafios fazem cada segundo valer mais de uma hora. Os locais são de difícil acesso e o trajeto é feito por veículos e caminhões preparados, como jipes. Na última semana, os odontologistas da clínica da Dra. Patrícia Bertges embarcaram juntamente com outros profissionais da medicina para a Expedição Alma Pantaneira promovida pelo Instituto Alma Pantaneira/ Médicos do Pantanal que leva ações de saúde para a região, assim como outros projetos. 

Após percorrer lagoas e vazantes do bioma, a equipe atraca em fazendas locais e monta toda a estrutura necessária para os atendimentos. "Nós levamos nosso próprio equipamento de Raio X, assim como a cadeira de dentista com todo o aparato necessário para os mais variados tipos de atendimentos. Nessa expedição, fazemos desde de limpezas à extração, remoções de cáries e tratamento de canal", explica o dentista Vinícius.  

Divulgação
Divulgação

Além dos atendimentos odontológicos, há outras equipes médicas que prestam atendimentos variados em diversas áreas como nutrição e clínica médica, assim como veterinários e engenheiros. Durante a expedição deste ano, particularmente ainda mais desafiadora haja vista a pandemia causada pelo novo coronavírus e as queimadas no Pantanal que bateram recordes no mês outubro com mais de 2.827 focos segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), dois sargentos e um cabo do Corpo de Fuzileiros Navais Marinha do Brasil também estão participando.

O perfil das pessoas assistidas pela expedição é de idades variadas e comumente enfrentam diversos problemas de saúde devido à dificuldade de locomoção até grandes centros urbanos, falta de informação e tratamentos básicos. "As pessoas podem demorar até 3 dias para chegar em uma cidade e conseguir o acesso ao serviço que oferecemos. Encontramos muitos pacientes que vivem em ambientes insalubres e que estão suscetíveis a diversas infecções que facilmente poderiam ser evitadas por meio da medicina contemporânea", comenta Vinícius. 

Divulgação
Divulgação

Saiba mais sobre o projeto: http://www.institutoalmapantaneira.com.br/

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade