Publicidade

Estado de Minas

ONG fundada por Aletânia Oliveira fornece alimentos a famílias que foram afetadas pela pandemia do novo coronavírus


postado em 15/07/2020 18:04

A criadora de conteúdo digital Aletânia Oliveira, referência no universo fashion na internet, tem se dedicado ao social através do Projeto Alimentando o Bem, que tem auxiliado famílias carentes da baixada santista durante a pandemia da covid-19.

Aletânia Oliveira/MF PRESS GLOBAL
Aletânia Oliveira/MF PRESS GLOBAL

A pandemia do novo coronavírus não é apenas uma emergência sanitária e de saúde pública, mas também um fenômeno que tem causado a perda de milhões de postos de trabalho e recessão econômica que, segundo as estimativas do mercado, superam os 8% do PIB nacional. Milhões de brasileiros têm vivido na pele grandes dificuldades devido ao encerramento das atividades comerciais e a quarentena, adotadas em muitos estados, segundo as recomendações da OMS, como medidas para conter o avanço da covid-19.

Sensibilizada com a situação de famílias que vivem no entorno de sua residência no Guarujá,  a influenciadora digital e fashionista Aletânia Oliveira se uniu a alguns amigos para ajudar essas pessoas que estão passando por momentos difíceis no âmbito familiar, financeiro e de saúde: "Eu tenho a minha casa em um condominio de luxo na praia de Sao Pedro, no Guarujá. Embora eu viva numa casa confortável e esteja fazendo a minha quarentena nela, entristece muito o meu coração ver logo ao lado de mim, onde há uma comunidade carente chamada Perequê, que muitas pessoas que estão até passando fome por causa da pandemia. Pessoas que viviam do sustento que tiravam da praia e agora com o esvaziamento, necessário para conter a covid-19, estão sem trabalho. Muitos funcionários do condominio são de lá e faziam bicos como copeiros, cozinheiros, jardineiros para complementar a renda familiar, mas agora com a pandemia deixaram de serem contratados e estão vivendo dias muito difíceis. Eu não poderia ver tudo isto e ficar indiferente, seria desumano", revela.

Projeto Alimentando o Bem

Aletânia, junto com amigos, fundaram a ONG Alimentando o Bem, que tem procurado ajudar fornecendo refeições e mantimentos a moradores da comunidade do Perequê: "A Emar Batalha, que é minha amiga e joalheira, entrou à frente deste projeto comigo e assim começamos a servir marmitas para os moradores da comunidade. Começamos com 50 marmitas e hoje já servimos 200, além de cestas básicas para as famílias. É um começo, mas queremos ir muito além. Temos contado com a colaboração de muitos dos nossos amigos mais próximos, que além de doações se engajam pessoalmente nesta causa."

A influenciadora digital tem metas maiores para o projeto: "não queremos apenas servir marmita, mas tornar isto em um projeto social mais abrangente. Hoje, com a  divulgação nas redes sociais temos tido boa aceitação e assim podemos atrair pessoas para colaborarem com o projeto. Eu este ano vou organizar um bazar beneficente e a Emar está fazendo jóias em colaboração com artesãos locais que serão vendidas para arrecadar dinheiro para o projeto. Estamos todos nos movimentando para ir além e poder ajudar mais estas pessoas."

Educação como arma contra a violência e as drogas

O entorno da comunidade do Perequê tem enfrentado uma onda de violência, tráfico de drogas e assalto, o que também é, segundo a visão de Aletânia, uma consequência da falta de oportunidades de emprego e renda: "com o projeto também visamos conseguir dar oportunidades para os jovens adolescentes do Perequê. Não há empregos na região e por esse motivo muitos jovens infelizmente são captados e recrutados pelo tráfico de drogas, o que faz com que a região tenha até mesmo experimentado um aumento da violência e dos assaltos. Queremos ajudar esses jovens, que estão envolvidos nas drogas e no crime, dando uma oportunidade para saírem da marginalidade, através de cursos de capacitação e geração de empregos locais."

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade