Publicidade

Estado de Minas

Diretor de arte Fernando 3D aponta revolução no uso da tecnologia em filmes de terror e suspense


postado em 02/10/2019 17:19

Reprodução / MF Press Global
Reprodução / MF Press Global

Desde os clássicos do terror e do suspense como O Exorcista e Psicose, de Alfred Hitchcock, novas tecnologias vem sendo empregadas para ajudar a contar estórias cada vez mais realistas e assustadoras para o público que até hoje lota as salas de cinema para prestigiar estas produções.

O diretor de arte digital e especialista em 3D, Fernando Rodrigues de Oliveira, conhecido como Fernando 3D, aponta que houve uma revolução tecnológica que permitiu que este gênero de filmes alcançasse outro nível: "as tecnologias de efeitos visuais, 3D, computação gráfica e edição que hoje temos a disposição no cinema são muito superiores ao que havia 20 anos atrás e ajudam na imersão do público na história, assim como foi feito em 2010 com o filme Jogos Mortais que ganhou uma versão assustadora em 3D, assim como o clássico a Bruxa de Blair", comenta.

O uso do 3D em personagens

Fernando usa como exemplo o uso do 3D para compor a aparência do palhaço Pennywise no filme It A Coisa 2, que estreou este mês no Brasil: "como podemos reparar, o filme em si faz uso de pouca computação gráfica. No entanto, usa muitos efeitos especiais, de forma excepcional (há uma grande diferença entre efeitos especiais e efeitos visuais). Mas para contar a estória de seu principal personagem, o aterrorizante Pennywise, a produção usa de forma sutil de computação gráfica no palhaço, trabalhando a modelagem 3D, efeitos de luz, sombra e etc".

Reprodução / MF Press Global
Reprodução / MF Press Global

Segundo o diretor de arte digital, usar modelagem 3D e ferramentas de computação gráfica nos personagens, somado com a interpretação e presença de um ator real, confere muito mais realismo: "estamos vivendo um momento em que a interação entre real e virtual está muito maior, como já nos mostra a chamada Realidade Aumentada. Esses recursos são muito usados atualmente no cinema e tornam possível criar expressões mais horripilantes, distorcidas e surreais, garantindo bons sustos e impacto para o espectador".


Publicidade