UAI
Publicidade

Estado de Minas DISPUTA JUDICIAL

Coca Pola, a bebida dos indígenas colombianos à qual a Coca-Cola declarou guerra

A empresa indígena Coca Nasa enfrenta um novo desafio legal da Coca Cola - a gigante não quer o uso da palavra 'Coca' pela outra empresa


17/12/2021 06:43 - atualizado 17/12/2021 08:13


lata de Coca Pola
(foto: CocaNasa)

Um refrigerante, uma cerveja, um energético, um conhaque e até rum.

Esses são alguns dos produtos feitos com a folha da coca procedente de Cauca, região colombiana habitada pelos indígenas nasa, que enfrentaram a estigmatização histórica dessa planta.

Romper com preconceitos, em grande parte gerados pela cocaína, não tem sido fácil, nem para os nasa nem para outros povos incas e amazônicos da América do Sul. Na verdade, é uma luta que começou na época colonial e continua até hoje.

Mas é uma empresa indígena que quis levar essa batalha para um terreno incomum: o comercial.

"É impossível neste momento continuar a ignorá-la. Então, o que temos feito é tocar essa sensibilidade cultural, sangue, porque carregamos a folha de coca no nosso sangue", diz Fabiola Piñacué, fundadora da Coca Nasa, a primeira empresa comunitária que oferece produtos à base de folha de coca no atacado na Colômbia.

"Como sempre disseram que coca é cocaína, começamos a espalhar que 'coca não é cocaína'", disse a também integrante do povo nasa à BBC Mundo (serviço em espanhol da BBC).

A folha de coca tem vários usos tradicionais nas culturas dos Andes, além da cocaína. A planta tem propriedades analgésicas e a mastigação das folhas dá energia e suprime fome, sede e dores.


Coletores de folhas de coca em campo
A folha de coca é um elemento tradicional há séculos entre povos indígenas da América do Sul (foto: Getty Images)

Mas a Coca Nasa agora também enfrenta um novo desafio legal da Coca Cola, a multinacional que, por meio de seus representantes legais na Colômbia, exige que a palavra "coca" não seja usada nos produtos que vende.

"Eles nos pediram para parar de usar as marcas relacionadas à folha de coca que levam o nome de 'coca'. Este pedido é muito difícil de atender, porque a folha de coca é patrimônio dos povos indígenas", diz David Curtidor, representante legal da empresa.

"É uma disputa não só espiritual, mas também econômica. Primeiro foi com o império espanhol que ela foi banida, e agora é com o império da Coca-Cola", diz.

Como surgiu a Coca Pola e as outras bebidas?

A ideia de bebidas à base de folha de coca surgiu quando Piñacué estava na faculdade em Bogotá, no final dos anos 1990.

"Achei interessante fazer um refrigerante com a folha de coca", diz..

Sua iniciativa germinou alguns anos depois, quando a Coca Sek, uma bebida energética, nasceu em 2005: "Era muito importante fazer uma bebida mais requintada diante dos olhos e do paladar dos não indígenas".

Depois vieram o conhaque Wallinde, a Coca Libre (mistura de Sek e Wallinde), o licor Coca Ron e por fim a cerveja Coca Pola.


Bebidas da Coca Nasa
A ideia de bebidas à base de folha de coca surgiu quando Piñacué estava na faculdade em Bogotá, no final dos anos 1990 (foto: CocaNasa)

"Gostamos (os nasa) de tomar cerveja e vimos o potencial da bebida, que deveríamos começar a fazer um tipo de cerveja. Fizemos os testes e temos trabalhado nisso até conseguirmos e é aí que sai a Coca Pola ", explica Piñacué.

"Trabalhamos há 25 anos para refinar a apresentação, o sabor e a qualidade. Também a exibição dos nossos produtos, porque são muito bonitos, porque são marcantes, porque passamos a brincar com toda a cultura e cores", completa. .

A cerveja Coca Pola ainda não é vendida massivamente, como seus outros produtos, pois ainda é um produto "100% artesanal". A Coca Nasa tem 15 trabalhadores.

Mas a polêmica com a Coca-Cola deu um novo ímpeto na Colômbia, diz seu criador.

"Parece que isso incomoda os donos da Coca Cola, porque dizem que estamos plagiando, mas consideramos que não estamos plagiando ninguém, porque a folha de coca, nós, os povos, a herdamos", diz.

"Não tínhamos feito o lançamento como tal, mas a Coca Cola o faz ao indicar que não devemos usar o nome."

A batalha com a Coca Cola

Coca Cola e Coca Pola têm apenas o nome em comum.

O famoso refrigerante deve o seu nome aos extratos de folha de coca que seu criador, o químico John Pemberton, misturou inicialmente com xarope de açúcar.

Naquela época - no final do século 19 - o extrato de folha de coca misturado com vinho era um tônico comum, e a mistura doce de Pemberton permitia que ele ignorasse as leis locais que proibiam a venda de álcool.


Garrafas de Coca Cola
O famoso refrigerante deve o seu nome aos extratos de folha de coca que seu criador misturou inicialmente com xarope de açúcar (foto: Reuters)

No início deste mês, um escritório de advocacia de Bogotá que representa a Coca Cola apresentou uma ação judicial contra os produtos vendidos pela empresa local.

Em carta, publicada por Piñacué no Twitter, eles pedem que a empresa indígena "cesse e desista permanentemente de usar o nome Coca Pola ou qualquer termo semelhante que possa ser confundido com as marcas comerciais" de propriedade da gigante das bebidas.

Seu uso "pode %u200B%u200Bviolar a lei de marcas registradas da Colômbia" e "a lei da concorrência desleal", alertou o escritório de advocacia Brigard Castro em documento de 26 de novembro.

Há um prazo de 10 dias úteis para responder.

A BBC Mundo solicitou entrevista com Brigard Castro, mas não houve confirmação imediata.


Coletores de folhas de coca
A folha de coca não tem efeitos psicotrópicos se não for processada junto com outros elementos que a cocaína possui (foto: Getty Images)

Curtidor explica que é a segunda ação da Coca Cola contra a Coca Nasa, já que em 2007, após o lançamento da Coca Sek, eles receberam uma ação que acabou indeferida pelas autoridades.

"Ontem [14 de dezembro] o prazo foi cumprido. Eles nos ameaçam com uma ação judicial e estamos esperando que iniciem um julgamento, porque não vamos aceitar seu requerimento ameaçador", disse ele à BBC Mundo.

"Vários grupos de advogados, universidades, etc., nos ofereceram seu apoio jurídico para nos defender caso nos processem".

Na Coca Nasa, eles acreditam que não podem ser forçados a retirar o nome "Coca" de seus produtos porque uma resolução do Tribunal Constitucional da Colômbia concedeu proteção para o uso do termo aos povos indígenas.

"Os indígenas também devem se valer de suas propostas políticas e econômicas. Então, nessa perspectiva, nos parece muito importante que sejamos donos do conhecimento, desde a semeadura até que ele seja transformado e colocado em produto", diz Piñacué.

Sabia que a BBC está também no Telegram? Inscreva-se no canal.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade